Gestão Integrada da Doença

Objectivos

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Este módulo constitui introdução à temática da Gestão da Doença procurando reforçar uma estratégia de articulação entre os programas verticais de saúde e a necessária horizontalização dos cuidados, com enfoque numa abordagem multidisciplinar da doença crónica, e no continuum de cuidados ao longo da vida da pessoa com doença crónica, incluindo o levantamento de necessidades e o planeamento da oferta de serviços.

Este módulo de formação pretende alcançar os seguintes objetivos:

a) Formar para o desenvolvimento e implementação dos processos de gestão da doença nos diversos níveis de decisão e de prestação de cuidados de saúde;

b) Contribuir para a disseminação, em Portugal, de boas práticas nacionais e internacionais de gestão da doença crónica;

c) Promover a criação, implementação e disseminação de estratégias de gestão para prevenção e controlo da doença crónica;

d) Capacitar para a integração de conhecimentos, conjugação de diversas IGNOREes de informação com vista à análise e planeamento em saúde.

Caracterização geral

Código

9344

Créditos

4.0

Professor responsável

A disponibilizar brevemente

Horas

Semanais - A disponibilizar brevemente

Totais - 36

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Requisitos para frequência

Licenciatura

Bibliografia

Bibliografia principal 

·         BUSSE, Reinhard; BLÜMEL, Miriam; SCHELLER-KREINSEN, David; et al. Tackling chronic disease in Europe: Strategies, interventions and challenges. Copenhagen: WHO Regional Office for Europe on behalf of the European Observatory on Health Systems and Policies, 2010.

·         Direção-Geral da Saúde, Institute for Health Metrics and Evaluation. Portugal: The Nation’s Health 1990–2016: An overview of the Global Burden of Disease Study 2016 Results. Seattle, WA: IHME, 2018.

·         NOLTE, Ellen; KNAI, Cécile. Assessing chronic disease management in European health systems: country reports. Copenhagen: WHO Regional Office for Europe on behalf of the European Observatory on Health Systems and Policies, 2015.

·         ESCOVAL, Ana; COELHO, Anabela; DINIZ, José Alexandre; et al. Gestão integrada da doença: uma abordagem experimental de gestão em saúde. Revista Portuguesa de Saúde Pública. 9 (2010) 105-116.

·         GUERRA, João; NICOLAU, Vanessa; ESCOVAL, Ana. Gestão da Doença: o caso das doenças reumáticas. In Doenças reumáticas em Portugal: da investigação às políticas de saúde. Porto: Observatório Nacional das Doenças Reumáticas, 2014.

·         PORTUGAL. Direção-Geral da Saúde. A Saúde dos Portugueses: Perspetiva 2016. Lisboa: Direção-Geral da Saúde, 2016.

. WHO. WHO global strategy on people-centred and integrated health services: Interim Report. Switzerland: World Health Organization , 2015.

Método de ensino

Metodologias de ensino (avaliação incluída) 

·       Aulas teóricas em sistema participativo;

·       Seminários (análise crítica e discussão de estudos de caso);

. Apresentação e discussão do Trabalho de grupo.

Avaliação

a) Trabalho individual (40%).

b) Elaboração de um ensaio até 5 páginas após pesquisa, análise, interpretação e discussão bibliográfica selecionada - trabalho de grupo (40%).

c) Apreciação do empenho nos trabalhos, assiduidade e participação nas aulas em regime de avaliação contínua (20%).

Método de avaliação

A disponibilizar brevemente

Conteúdo

Conteúdos programáticos 

1. A epidemiologia da doença crónica: novos desafios para a gestão da doença;

2. Estratégia nacional: planeamento e implementação;

3. Organização e prática na gestão integrada da doença;

4.     Desafios e novas competências para as equipas de saúde;

5.    Sistemas de Informação e tecnologia no suporte à gestão da doença crónica;

6.    Contratualização, financiamento e modelos de pagamento na gestão da doença crónica;

7.     Avaliação na gestão da doença crónica: modelos e qualidade;

8.     Autogestão na doença crónica;

9.     Apresentação de casos de estudo;

10. Avaliaçãocasos práticos: análise e discussão.