Tabagismo Prevenção e Cessação

Objectivos

Objectivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Compreender a evolução dos paradigmas da saúde e a sua contextualização no quadro da prevenção e cessação tabágica (saber-saber);

Caracterizar estratégias conducentes ao desenvolvimento da prevenção do tabagismo (e.g. settings) avaliando criticamente e identificando boas práticas nas vertentes da prevenção e cessação (de um indivíduo ou grupo de pessoas); 

Adquirir as referências e as capacidades técnicas necessárias para implementar, analisar, avaliar e utilizar metodologias de promoção da cessação tabágica;

Catalisar num espaço de investigação-discussão-acção-validação-disseminação de boas práticas contributos de vários especialistas na matéria, desenvolvendo o saber fazer;

Desenvolver competências de contextualização e sensibilidade cultural relativamente às necessidades de diferentes grupos humanos no âmbito da prevenção e cessação tabágica (saber estar ou ser);

Desenvolver estratégias que contribuam para o empoderamento dos cidadãos de modo a procederem a escolhas saudáveis através de mecanismos comunicacionais de base Web (www.parar.net);

Aplicar métodos inovadores na promoção da cessação tabágica. 

Caracterização geral

Código

9358

Créditos

4.0

Professor responsável

Luis Ângelo Saboga Nunes

Horas

Semanais - A disponibilizar brevemente

Totais - 57

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Requisitos para frequência

Domínio da língua inglesa

 

Bibliografia

Bibliografia principal 

Saboga-Nunes L, Levin-Zamir D, Rabius V. Tobacco still a major killer- will we achieve the end game? European Journal of Public Health. 2017;274:22–5. 

Doi: org/10.1093/eurpub/ ckx161  https://doi.org/10.1093/eurpub/ckx161

Fiore MC, Bailey WC, Cohen SJ et al. Treating tobacco use and dependence.

Clinical Practice Guideline. Rockville MD : U.S. Department of Health and Human Services, 2000

WHO (2003). Framework Convention on Tobacco Control. Geneva: WHO. in www.who.int/fctc/en/. Data de acesso: Junho 2010 

Chambers, M. - NHS Stop Smoking Services: Service and Monitoring Guidance 2010/11, Best Practice Guidance, U.K. Department of Health, 2009 

Saboga Nunes, L. - Salutogenic Paradigm and Web Assisted Tobacco Intervention: the Case of www.parar.net (2006). in Eysenbach G.(ed.) Improving Public Health Through the Internet. Abstracts Book, 11th World

Congress on Internet in Medicine, Toronto, 2006. Toronto, ON: JMIR Publications 

Método de ensino

Metodologias de ensino (avaliação incluída) 

A metodologia de ensino em blended-learning é variada e procura promover uma aprendizagem activa e participada, com leitura indispensável dos textos

de base e discussão de tópicos ou exercícios.

Cerca de metade das sessões serão iniciadas com uma exposição a cargo de um docente, seguindo-se-lhe uma discussão de tópicos relacionados com o tema em análise onde os alunos são incentivados a intervir.  

As outras sessões serão eminentemente práticas com resolução de exercícios, apresentação de resultados e discussão de implicações dos temas de ensino para a prática de gestão de organizações e sistemas de saúde. Os seminários consistem de trabalho de grupo com a presença de um docente, onde se desenvolve a discussão aprofundada dos temas de ensino.

Apreciação do empenho, trabalho e participação (20%), efectuada através da observação da participação dos alunos e da sua apresentação e discussão de tópicos e exercícios nas sessões envolvendo actividade em grupo (40%)

Prova de avaliação individual (40%) com questões de escolha múltipla, de resposta curta e de desenvolvimento, versando sobre a matéria leccionada. 

Método de avaliação

A disponibilizar brevemente

Conteúdo

Conteúdos programáticos

(I) introdução: prevenção; epidemiologia; representações sociais; políticas de saúde e legislação; componentes do tabaco e neurobiologia; patologias e processo de desintoxicação (método renasceres®); cessação tabágica como estratégia de saúde pública e intervenção estruturada paradigmas para a acção (patogénico e paradigma salutogénico) e teorias do comportamento humano. 

(II) hábitos tabágicos; mudança cultural; boas práticas; educação e aprendizagem para a saúde; base de evidência e normas clínicas como critério de garantia de qualidade (farmacoterapia outras terapias); Estilos de vida e direitos fundamentais dos cidadãos.  

(III) Redes sociais de apoio; Comportamentos, estratégias pessoais e organizacionais; planeamento, programas e estratégias de intervenção; comunidade de práticas www.parar.net o desenvolvimento das capacidades de i) compreensão, ii) gestão e iii) investimento como estratégias de prevenção da recaída.