Metodologias Nucleares em Investigação

Objectivos

1.       CONHECIMENTOS

a.       Distinguir os diferentes graus de evidência em saúde

b.       Descrever as vantagens e limitações dos diferentes tipos de estudos clínicos

c.       Identificar, discutindo, vantagens e limitações, das abordagens experimentais inovadoras na área da biomedicina

d.       Descrever as potencialidades do/dos biobancos mais relevantes a nível nacional

2.       COMPETÊNCIAS

a.       Escolher metodologias adequadas para testar hipóteses e responder a perguntas científicas concretas

b.       Ajustar modelos multivariáveis

c.       Interpretar gráficos e resultados de estudos clínicos e outros, incluindo os de medicina de precisão baseados nas “ómicas”

d.       Aplicar os princípios éticos da investigação com humanos e animais no desenho de protocolos

e.       Elaborar revisões sistemáticas

f.        Aceder a base de dados nacionais e internacionais

g.       Trabalhar em equipa

3.       APTIDÕES

a.       Construir e analisar bases de dados

b.       Utilizar o programa SATA

c.       Manipular animais de laboratório e candidatar-se a certificação FELASA B

Caracterização geral

Código

121000

Créditos

12

Professor responsável

Professora Doutora Maria Emília Carreira Saraiva Monteiro

Horas

Semanais - A disponibilizar brevemente

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Portuguese

Pré-requisitos

 

Bibliografia

A definir para cada sessão específica.

Método de ensino

O ensino será presencial, em inglês e incluirá maioritariamente um ensino interativo baseado em:

·      Apresentação e discussão de metodologias de investigação clínica e biomédica específicas;

·      Apresentação e discussão de trabalhos e recomendações;

·      Aplicação de recomendações e de legislação a casos específicos;

·      Apresentação e discussão de problemas;

·      Interpretação de gráficos e de resultados;

·      Apresentação de biobancos e bases de dados;

·      Apresentação de estudos de medicina de precisão baseados em “ómicas”;

·      Análise de dados em Graph Prism®, Stata®, Access®;

·      Treino prático de manipulação de animais de experimentação (roedores, peixe zebra e insetos).

Método de avaliação

A avaliação é distribuída ao longo do tempo e incluirá a ponderação dos seguintes componentes:

·       Profundidade e adequação dos conhecimentos – 50%

·       Capacidade de análise de dados e manipulação de animais– 20%

·       Capacidade de apresentação de resultados -20%

·       Atitudes (assiduidade) – 10%

Conteúdo

PARTE COMUM

A.      A cadeia de valor em saúde e o financiamento.

B.      A medicina baseada na ciência. Graus de evidência, tipos de estudos clínicos e intervenientes.

C.      Biobancos e registos nacionais e multinacionais.

D.      Os desafios éticos na investigação em saúde humana: qualidade dos dados e proteção dos sujeitos. As ICH-GCPs.

E.       Aspetos éticos e legais do uso de animais para fins experimentais.

F.       Modelos emergentes de investigação biomédica: in vitro, in vivo e in silico.

G.      Metodologias emergentes de investigação biomédica: moleculares, analíticas e de imagem.

H.      As “ómicas”, exemplo de interface biomedicina/medicina.

I.         A análise de dados, quantitativa e qualitativa. Interpretação e aplicação de testes e modelos estatísticos (Stata®); construção de bases de dados (Access®); revisões sistemáticas e meta análises; validação de questionários.

PARTE ESPECÍFICA (optar por 1)

A.         Desenho de estudos clínicos e estatística avançada

B.         Boas práticas laboratoriais. Experimentação animal.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: