Prescrição racional de medicamentos

Objectivos

• A PRM pretende formar os futuros clínicos nos aspetos relacionados com o desenvolvimento, seleção e utilização prática de medicamentos. Aborda os aspetos práticos associados à terapêutica farmacológica de doenças comuns, na perspetiva do doente, tendo em conta fatores como as comorbilidades, as interacções medicamentosas e a utilização de fármacos no contexto de doenças sistémicas.
• Objectivos específicos:
- Noções básicas de farmacoeconomia, farmacoepidemiologia e farmacovigilância.
- Uso crítico do conceito de Medicina Baseada na Evidência (MBE). Integração prática da MBE na terapêutica do doente crónico e com múltiplas patologias.
- Implicações terapêuticas e de investigação da terapêutica farmacológica em comparação com a não convencional.
- Aplicar na prática o conhecimento terapêutico em doenças muito prevalentes e com carácter sistémico.
- Analisar numa perspetiva de “vida real” as opções terapêuticas dos grupos terapêuticos mais utilizados: medicação com ação no sistema cardiovascular, hipoglicemiantes, antiagregantes e anticoagulantes, antibióticos e antivirais, analgésicos e anti-inflamatórios, fármacos comuns no tratamento da depressão e ansiedade e broncodilatadores.                                                                       
- Compreender os fatores que condicionam a gestão do tratamento de doentes crónicos nomeadamente a polimedicação, analisando-se os seus riscos, implicações clínicas, económicas e sociais. 

Caracterização geral

Código

11210

Créditos

3

Professor responsável

Prof. Doutor José Delgado Alves

Horas

Semanais - A disponibilizar brevemente

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

 

Bibliografia

Após cada aula teórica serão disponibilizados no Moodle os diapositivos principais utilizados na aula e as referências bibliográficas específicas.

1 Sackett DL, Haynes RB, Guyatt GH, Tugwell P. Clinical Epidemiology. A Basic Science for Clinical Medicine. Second Edition. Little, Brown and Company; 1991.
2 Piantadosi S. Clinical Trials. A Methodological Perspective. Third Edition. Wiley - Interscience; 2017.
3 Brunton L, Chabner B, Knollman B. Goodman and Gilman’s The Pharmacological Basis of Therapeutics, 13th Edition, McGraw- Hill, 2017.
4 Strom BL, Stephen EK. Textbook of Pharmacoepidemiology. Fourth edition, eletronic edition. John Wiley & Sons, LTD; 2013.
5  Katzung BG, Masters SB, Trevor AJ. Basic and Clinical Pharmacology, 14th Edition.McGraw Hill Companies, Inc.  2017.
6 Rothman KJ, Greenland S, Lash TL. Modern Epidemiology, 3rd Edition 2008 Lippincott Williams & Wilkins
7 Textbook of Pharmacoepidemiology. Eds, Brian L Strom, Stephen E Kimmel. 4th ed, 2013. John Wiley and Sons Ltd.
8 Note for guidance on Statistical Principles for Clinical Trials. CPMP/ICH/363/96. European Medicines Agency (1998).
9 Points to consider on switching between superiority and non-inferiority. CPMP/EWP/482/99. European Medicines Agency (2000). 
10 Choice of Control Group in Clinical Trials. CPMP/ICH/364/96. European Medicines Agency (2001).
11 Guideline on the choice of the non-inferiority margin. EMEA/CPMP/EWP/2158/99. European Medicines Agency (2005). 
12 Guideline on clinical trials in small populations. CHMP/EWP/83561/2005. European Medicines Agency (2006).
13 Guideline on adjustment for baseline covariates in clinical trials. EMA/CHMP/295050/2013. European Medicines Agency (2015).
14 Monteiro C et al. Interacções medicamentosas como causa de iatrogenia evitável. Rev Port Clin Geral 2007;23:63-73
15 Valor Terapêutico Acrescentado. CF Ribeiro. Rev Port Clin Geral 2008; 24:723-8
16 Avaliação Económica de programas de saúde. Lourenço O, Silva V. Rev Port Clin Geral 2008;24:729-52
17 Plano Nacional de Saúde 2011-2016. Política do medicamento, dispositivos médicos e avaliação de tecnologias em saúde. Alto comissariado da Saúde.
18 Guyatt, Oxman et al. GRADE guidelines: A new series of articles in the Journal of Clinical Epidemiology. Journal of Clinical Epidemiology; 64 (2011) 380-382
19 Guyatt, Oxman et al. GRADE guidelines: 2. Framing the question and deciding on important outcomes. Journal of Clinical Epidemiology; 64 (2011) 395-400
20 GRADE guidelines: 7. Rating the quality of evidenced – inconsistency. Journal of Clinical Epidemiology; 64 (2011) 1294-1302
21 GRADE guidelines: 11. Making an overall rating of confidence in effect estimates for a single outcome and for all outcomes. Journal of Clinical Epidemiology; 66 (2013) 151-157
22 GRADE guidelines: 14. Going from evidence to recommendations: the significance and presentation of recommendations. Journal of Clinical Epidemiology; 66 (2013) 719-725
23 Glenny AM, Altman DG et al. Indirect comparisons of competing interventions. Health Technology Assessment 2005; 9(26)
24 Guideline Comparators and Comparisons: direct and indirect comparisons. EunetHTA. Adapted version (2015)

Método de ensino

A Unidade Curricular de Prescrição Racional do Medicamento é uma disciplina semestral. Tem 3ECTS a que correspondem 2 horas de aulas teóricas por semana, com a duração real de 110 minutos.
Pela natureza do tema em discussão, algumas das aulas poderão ser ministradas sob a forma de seminários.

Método de avaliação

A avaliação será realizada com base em prova escrita, constituída por 40 perguntas de resposta de escolha múltipla com 1 resposta verdadeira.
Os alunos com classificação igual ou superior a 9,5 serão aprovados.
Melhorias de nota deverão ser feitas repetindo o exame nas épocas definidas.
A nota final será a mais elevada dos exames realizados.

Conteúdo

- Efeitos adversos e interações medicamentosas: farmacovigilância.
- Noções básicas de farmacoeconomia e dos tipos de estudos utilizados na sua avaliação.
- Conceito de farmacoepidemiologia e quais as suas principais ferramentas.
- Conceito de Medicina Baseada na Evidência: protocolos, normas de orientação clínica e características das recomendações.
- Implicações terapêuticas e de investigação da terapêutica farmacológica em comparação com as terapêuticas não convencionais.
- Aprendizagem e aplicação da terapêutica geral em grupos nosológicos muito prevalentes e com carácter sistémico: doenças cardiometabólicas (hipertensão arterial, insuficiência cardíaca, diabetes mellitus), inflamação e dor, terapêutica anti-microbiana.

- Noções gerais de novas terapêuticas com impacto futuro previsível: imunossupressoras, génica e células estaminais.
- Gestão terapêutica do doente crónico e do doente idoso.
- Polimedicação: realidade atual, riscos e implicações clínicas, económicas e sociais.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: