Ética, Políticas Públicas e Diplomacia Ambiental

Objectivos

Compreender o processo de formação da revolução científica moderna, que deu origem, duplamente, à revolução industrial e a uma nova concepção da empresa científica orientada guiada pelo desempenho tecnológico e por objectivos de rentabilidade ligados à economia de mercado.
Investigar as raízes éticas da modernidade, nomeadamente a mudança de um padrão de ética estritamente humanista para um novo modelo de pensar ético capaz de integrar no seu seio o cuidado com o valor intrínseco e a integridade do ambiente.
Identificar os obstáculos epistemológicos e institucionais ao estabelecimento e implementação de sólidas políticas públicas capazes de enfrentar a crise ambiental e as crescentes ameaças das alterações climáticas.
Reconhecer a natureza cíclica da política internacional de ambiente, reflectida na dificuldade em estabelecer regimes internacionais efectivos, em particular no domínio das alterações climáticas.

Caracterização geral

Código

73224107

Créditos

5

Professor responsável

A disponibilizar brevemente

Horas

Semanais - 2

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável

Bibliografia

ARENDT,Hannah, The Human Condition- A Study of the Central Dilemmas Facing Modern Man, New York, Doubleday Anchor Books, l958.
-----------”Truth and Politics”, Between Past and Future. Eight Exercises in Political Thought, New York, Penguin Books USA Inc., [1961] 1993, pp.
227-264.
BACON, F. , The New Organon [1620] , Cambridge, Cambridge University Press, 2000.
----------- New Atlantis and The Great Instauration, Jerry Weinberger (ed.), Arlington Heights, Illinois, Harlan Davidson, Inc., 1989, pp. 35-83.
MORE, Thomas, Utopia [1516],London, Everyman’s Library, 1988.
KUHN, Thomas S., The Structure of Scientific Revolutions [1962], 2nd edition, The Univ. of Chicago Press, Vol. 2, Number 2, 1970, 210 pp.
LYOYARD, Jean-François, La Condition Postmoderne, Paris, Minuit, 1979, 108 pp.
SOROMENHO-MARQUES, V., Metamorfoses. Entre o Colapso e o Desenvolvimento Sustentável, M.Martins, Europa-América, 2005.
WHITE JR, Lynn, “The historical roots of our ecologic crisis”, Science, vol. 155, 1967.

Método de ensino

Aulas teóricas sobre os temas do programa da responsabilidade do professor.
Leituras obrigatórias por parte dos alunos na base de uma programação prévia.
Em cada aula existe um período destinado a uma discussão aberta, embora organizada, sobre os diferentes conteúdos teóricos abordados.

Método de avaliação

A avaliação completa combina o desempenho do estudante no decurso do trabalho das aulas com um ensaio final redigido pelo estudante. O conteúdo do ensaio é discutido, antes e depois da sua redacção por parte do aluno.

Conteúdo

A revolução científica moderna. Os trabalhos de Thomas More, Francis Bacon e Descartes relativamente ao papel da ciência como força motora no processo de concretização das promessas do pensamento utópico.
O nascimento da ética ambiental. De Thoreu até Aldo Leopold e Arne Naess. Peter Singer e Hans Jonas. Os limites do “ecocentrismo”.O impacto de uma ciência dominada pelas aplicações técnicas na “divisão das Duas Culturas”. O debate epistemológico. De Charles Snow a Thomas S. Kuhn e o conceito de “paradigma”. Jean-François Lyotard e as implicações filosóficas da pós-modernidade. Hannah Arendt e a necessidade de uma ciência do “regresso à terra”.
O complexo processo da formação das políticas internacionais de ambiente. Actores estaduais e não estaduais. O papel dos interesses instalados e das facções ideologicamente motivadas. O problema da implementação e monitorização dos tratados internacionais e respectivos protocolos. O caso da Convenção-Quadro das Nações Unidas para as A.C.