Temas do Pensamento Antropológico - 2. semestre

Objectivos

O objetivo fundamental da cadeira de Temas do Pensamento Antropológico é introduzir os estudantes a certas linhas de força dos debates
contemporâneos da Antropologia, nomeadamente a ênfase nas questões de poder e a aproximação à História. É proposta uma leitura de
fenómenos atuais de globalização, nacionalismo e etnicidade sob o prisma dos seus antecedentes históricos, em particular o imperialismo tardio.
Tendo em mente as mutações sofridas pela disciplina no contexto pós-colonial e a crítica política da Antropologia moderna, é igualmente
sugerida uma reavaliação das abordagens clássicas das situações de mudança em contexto colonial. Em torno da dialética entre as noções de
pré-colonial, colonial e pós-colonial, pretende-se designadamente que os estudantes desenvolvam um sentido crítico em relação às articulações,
no plano teórico e etnográfico, entre a Antropologia da contemporaneidade e o arquivo da disciplina, incluindo alguns estudos de caso do
universo lusófono.

Caracterização geral

Código

711001043

Créditos

6

Professor responsável

João de Freitas Leal

Horas

Semanais - 4

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não tem.

Bibliografia

ASAD, Talal (ed.)
[1973] Anthropology and the Colonial Encounter, New York, Humanity Books, s.d.
INDA, Jonathan; ROSALDO, Renato (eds.)
2002 The Anthropology of Globalization. A Reader, Malden MA-Oxford, Blackwell
ERIKSEN, Thomas
1993, Ethnicity and Nationalism. Anthropological Perspectives. London, Boulder CO, Pluto Press

Método de ensino

As aulas seguem uma metodologia teórico-prática, com uma primeira componente expositiva das ideias-chaves de cada ponto curricular por parte do docente, com recurso a projeção de slides com citações e imagens selecionadas, e em modo aberto de permanente interação com os estudantes, através de questões, comentários e intervenções livres. Num segundo momento, que por vezes interpenetra a componente expositiva, os estudantes são convidados a analisar em pormenor, por meio de discussão coletiva, determinadas passagens ou outros conteúdos que permitem aprofundar a matéria sinteticamente exposta, e a realizar pequenos exercícios de análise e interpretação em grupo. Em algumas das aulas, uma terceira componente é constituída pela realização de debates sobre a matéria lecionada.

Método de avaliação

A avaliação é constituída por duas provas escritas e pela realização de pequenos exercícios em aula, sendo que os estudantes podem optar por uma modalidade alternativa de avaliação com uma prova escrita global.

Conteúdo

I - Antropologia e colonialismo: críticas e releituras
A descolonização e o julgamento dos clássicos; Malinowski, a Antropologia aplicada e a \"Indirect Rule\" britânica; Georges Balandier, a Igreja Kimbanguista e a situação colonial; Max Gluckman e a análise situacional do colonialismo na África do Sul.
II - O que é a globalização? Uma perspetiva antropológica.
A teoria da transformação radical de Arjun Appadurai; etnografias da globalização; antecedentes históricos da des/territorialização da cultura.
III - O labirinto das fronteiras: nacionalismo e etnicidade
A perspetiva pioneira de Fredrik Barth; relações entre etnicidade e cultura.
IV- A Antropologia Histórica e o arquivo colonial
Estudos de caso: Sudão do Sul; Timor Leste; Lunda (Angola).

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: