História da Música - de 1950 à Actualidade - 1. semestre

Objectivos

No final da disciplina os estudantes devem:
a) Ter adquirido competências metodológicas e conceptuais na área da História da Música; conhecer a literatura específica nos domínios da história e cultura da música desde a II Grande Guerra;
b) Conhecer as principais problemáticas, tendências estilísticas, agentes, instituições, práticas e discursos, géneros musicais respeitantes ao período considerado;
c) Ser capaz de contextualizar do ponto de vista histórico, cultural, sociológico e estético os fenómenos musicais relativos ao período em questão;
d) Conhecer aprofundadamente o repertório musical, musico-teatral e multimedia do período considerado e saber integrá-lo num contexto de produção artística e intelectual, e nos respectivos quadros socioculturais;

e) Dominar as metodologias actuais de apresentação e comunicação de resultados da investigação.

Caracterização geral

Código

711021027

Créditos

6

Professor responsável

Paula Gomes Ribeiro

Horas

Semanais - 4

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável

Bibliografia

Bennet, A. (2001). Cultures of popular music. Buckingham: Open University Press.
Bosseur, J. Y. (1990). Revoluções Musicais. Lisboa: Caminho da Música.

Carvalho, M. V. (2007). A tragédia da escuta — Luigi Nono e a música do século XX´. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda.
Castelo-Branco, S. (ed.) (2010), Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX, 4 vols. Lisboa: Círculo de Leitores
Cook, N. & Pople, A. (2004). The Cambridge history of 20th-century music. Cambridge: Cambridge University Press.

Griffits, P. (2010). Modern music and after. Oxford: Oxford University Press.

Nattiez, J.-J. (ed.) (2003). Musiques du XXe siècle (Musiques. Une encyclopédie pour le XXIe siècle I). Arles/Paris: Actes Sud/Cité de la musique.

Taruskin, R. (2010). Oxford History of Western Music, Vol. 5: Music in the Late Twentieth Century. Oxford: Oxford University Press.

Método de ensino

As aulas são teórico-práticas: 60% teóricas e 40% práticas. Os processos de ensino-aprendizagem fazem amplo uso de meios audiovisuais, e têm base no modelo de aprendizagem ativa. Entre as metodologias usadas contam-se: exposição e demonstração, discussão, aprendizagem colaborativa, revisão de literatura, resolução de problemas, estudo de casos, interpretação de exemplos musicais e audiovisuais, leituras e apresentações individuais e de grupo.

Método de avaliação

Os estudantes devem entregar um ensaio de 6.000 palavras sobre um tema proposto, apresentá-lo e discuti-lo oralmente na aula (60%), e realizar e debater oralmente duas recensões (20% cada). A participação nas aulas e o exercício de pensamento crítico serão valorizados.

Conteúdo

1. A vanguarda internacional no rescaldo da guerra: Nono, Boulez, Stockhausen e Peixinho em Darmstadt; serialismos na Europa e EUA.
2. Indeterminismo e abertura: Cage, Feldman, Brown, Cunningham e a escola de NI; improvisação e transgressão: happenings, assemblages, Fluxus - Kaprow, Maciunas e Beuys.
3. Teatro musical e multimedia, entre Kagel, Capdeville, Aperghis e a actualidade.
4. A expansão das tecnologias do som e da imagem na exploração do espaço sonoro e audiovisual: Stockhausen, Berio, Maderna, Schaeffer, Xenakis; o espectralismo e o IRCAM.
5. Pensar a música como revolução cultural e política nas décadas de 60 e 70, entre o rock, a ‘pop art’, o minimalismo, o jazz, Woodstock, o ‘american dream’, o Maio 68 e o 25 Abril.
6. Moderno ou pós-moderno? Repensar o ´novo´ e a ´história´ depois da ´morte do autor´. Percursos estilísticos e intelectuais, na expansão da globalização.
7. Transformações dos paradigmas de escuta e produção musical do advento da WWW aos nossos dias.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: