Organologia - 1. semestre

Objectivos

Ao concluir com a proveitamento esta disciplina o aluno será capaz de:

a) Conhecer as principais questões conceptuais, metodológicas e terminológicas no domínio da Organologia;
b) Aplicar os critérios da classificação sistemática dos instrumentos musicais definidos por Hornbostel e Sachs;
c) Reconhecer a identidade sonora de vários tipos de idiofones, membranofones, cordofones, aerofones e electrofones;
d) Conhecer os principais instrumentos musicais da Antiguidade Greco-Romana aos nossos dias, a sua história, função social, morfologia, construção e relação com a prática musical;
e) Realizar pesquisas bibliográficas e preparar leituras críticas de artigos e outros textos de carácter organológico.

Caracterização geral

Código

711021081

Créditos

6

Professor responsável

Rui Magno Pinto

Horas

Semanais - 4

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não tem

Bibliografia

Campbell, D. M. & altri (2004). Musical Instruments, History, Technology, and Performance of Instruments of Western Music. Oxford: Oxford University Press.
Hagel, S. (2009). Ancient Greek Music. A New Technicak History. Cambridge: Cambridge University Press.
Henrique, L. (2004). Instrumentos musicais. Lisboa. FCG (3ª ed.).
Kartomi, M. (1990). On Concepts and Classifications of Musical Instruments. Chicago: Chicago University Press.
Mathiesen, T. (1999). Apollo’s Lyre. Greek Music and Music Theory in Antiquity and the Middle Ages. Lincoln: University of Nebraska Press.
Michels, U. (2003, 2007). Atlas de Música, 2 vols. Lisboa: Gradiva.
Montagu, J. (1976). The World of Medieval and Renaissance Musical Instruments. Londres: David & Charles.
Montagu, J. (1979), The World of Baroque and Classical Musical Instruments. New York: The overlook press
Montagu, J. (1981), The World of Romantic and Modern Musical Instruments. Londres: David & Charles.

Método de ensino

A disciplina articula-se em 60% de aulas teóricas e 40% de práticas fixadas num plano em que as respectivas temáticas são previamente definidas. As aulas teóricas são reservadas à exposição dos temas enunciados nos conteúdos programáticos, com espaços para discussão e perguntas dos alunos. Faz-se um uso sistemático de apresentações em Powerpoint com imagens, vídeos e gravações musicais. Dada a especificidade de algumas matérias, inclui-se a colaboração de 3 outros docentes, num total de 10h.
As aulas práticas são reservadas à leitura crítica e discussão de textos, demonstrações práticas de instrumentos, realização de visitas de estudo e momentos de avaliação.

Método de avaliação

A avaliação divide-se em dois momentos distintos: um teste escrito (geralmente realizado a meio do semestre, 50%) e um teste oral (no final, 50%). Neste último, os alunos discutem os problemas abordados com base em imagens, esquemas e instrumentos musicais que lhes são apresentados.

Conteúdo

1. Introdução: A Organologia, objecto de estudo e metodologias. Tentativas de classificar sistematicamente os instrumentos da Antiguidade ao século XX. A formação das grandes colecções de instrumentos e as classificações de Mahillon e Hornbostel e Sachs (1914). As novas bases de dados: o projecto MIMO.
2. Da Antiguidade Greco-Romana à Idade Média: história, fontes, problemas de caracterização e terminologia dos instrumentos musicais.
3. O Renascimento e a proliferação de novos instrumentos. As afinações. O orgão. Os cordofones com teclado e os seus mecanismos.
4. Os séculos XVII e XVIII e a afirmação dos instrumentos que estarão na base da orquestra moderna. Cristofori, a invenção do piano e a sua difusão a partir de 1770. 5. O século XIX como época de massificação e as transformações daí resultantes para os instrumentos. Instrumentos mecânicos.
6. As transformações científicas e tecnológicas do século XX e o surgimento dos electrofones.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: