Literatura e Cinema - 1. semestre

Objectivos

Pretende-se que os alunos:

a) aprendam a contextualizar certas obras de literatura e de cinema, estabelecendo um diálogo com a História da Literatura e do Cinema em Portugal e com a Crítica literária e de Cinema;
b) se familiarizem com um vocabulário específico da gramática formal do cinema, tais como: plano, sequência, montagem, travelling, banda-sonora, argumento, entre outros;
c) pratiquem uma leitura e visualização atentas e informadas de vários géneros de textos literários e fílmicos, com vista ao desenvolvimento de um discurso crítico sobre eles;
d) reflictam sobre como Literatura e Cinema articulam diversas aproximações discursivas perante necessidades de representação e expressão com que, em certas situações, se confrontam.

Caracterização geral

Código

711091155

Créditos

6

Professor responsável

Golgona Anghel

Horas

Semanais - 4

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável

Bibliografia

Textos literários:
Oliveira, Carlos de, Uma abelha na chuva (1953), Lisboa, Assírio & Alvim, 2015.
Brandão, Raul, O Gebo e a Sombra (1923)/ O Avejão, Lisboa, Publicações Europa América, 2003.
Bessa-Luís, Agustina, Vale Abraão (1991), Lisboa, Relógio d’Água, 2017.
Pessoa, Fernando, Livro do Desassossego, ed. Richard Zenith, 8.ª ed., Lisboa, Assírio & Alvim, 2009.
Garrett, Almeida, Frei Luís de Sousa (1844), 10ª ed., Porto, Porto Editora, 2017.
Filmografia:
Botelho, João, Quem és tu?, 112 min., 2001.
______ , Filme do desassossego, 90 min., 2010.
César Santos, João, Sophia de Mello Breyner Andresen, 19 min., 1969.
Costa, Pedro, Juventude em marcha, 155 min., 2006.
Leitão de Barros, José, Camões: Erros Meus, Má Fortuna, Amor Ardente, 118 min., 1946.
Lopes Ribeiro, António, Frei Luís de Sousa, 115 min., 1950.
Lopes, Fernando, Uma abelha na chuva, 66 min., 1971.
Oliveira, Manoel de, Acto da Primavera, 94 min., 1962/ Vale Abraão, 202 min., 1993./, O Gebo e a Sombra, 2005.

Método de ensino

As aulas terão um carácter teórico e prático, apoiando-se sempre numa relação próxima de visionamento de excertos de filmes e de leitura intensiva das obras.
Excepto no caso das curtas-metragens - que serão apresentadas na íntegra durante as aulas-, será disponibilizado o acesso em línea à versão completa das longas-metragens.
No início do semestre, será também fornecida aos alunos uma antologia de textos críticos.
Espera-se que os alunos leiam antecipadamente os textos previstos para reflexão na aula.

Método de avaliação

Apresentação oral: 30 %.
Realização de um teste escrito: 70 %.

Conteúdo

1. “O espelho da nação”
1.1. Leitão de Barros, Camões à americana, “uma obra de utilidade pública”
1.2. António Lopes Ribeiro, um caso de teatro filmado
2. “Cinema novo, país velho”
2.1 Manoel de Oliveira, “a realidade do artifício”
2.2. Carlos de Oliveira e Fernando Lopes, desconstrução do cinema narrativo
3. “Autorismo nacional”
3.1. Raul Brandão, da vida dos fantasmas
3.2. Manoel de Oliveira: a) “a alma descarnada das coisas”; b) como pode o cinema entrar no teatro?
3.4. Agustina Bessa-Luís, do humor como possibilidade de salvação
3.5. Manoel de Oliveira, a) “Um rio chama outro rio” - “lugares geográficos/lugares do espírito”;
3.7. João César Monteiro (Santos), “um quarto em frente ao mar” ou como filmar a poesia?
3.8. João Botelho, a) estratégias narrativas b) da literatura como pintura
3. 10. Fernando Pessoa: do texto-lido como “literatura alterada”
3.11. Pedro Costa, a) política e poesia, a riqueza de qualquer um; b) partilhar cartas, a imaginação de um leitor comum

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: