Pensamento Hispânico - 2. semestre

Objectivos

1) Identificação da natureza e aspectos principais do pensamento hispânico contemporâneo;
2) Análise da evolução do intelectual no universo cultural ibero-americano na perspectiva da História das Ideias;
3) Conhecimento geral dos autores mais relevantes do pensamento hispânico.


Caracterização geral

Código

711031075

Créditos

6

Professor responsável

Júlio Silva

Horas

Semanais - 4

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável.

Bibliografia

1. PROYETO PENSAMENTO HISPANICO: http://www.ensayistas.org/
2. BEORLEGUI, Carlos, Historia del pensamiento filosófico latinoamericano, Bilbao, Universidad de Deusto, 2004.
3.PAIM, Paim, História das Ideias Filosóficas no Brasil, 5ª edição, Londrina, Editora, UEL 1997
4.GUY, Alain Guy, Historia de la filosofia española, Barcelona, Anthropos,1985.




Método de ensino

Aulas expositivas.
Análises e comentários de textos.
Discussão de temas e trabalhos apresentados pelos alunos.



Método de avaliação

Avaliação: participação activa nas aulas e apresentação de trabalhos orais e escritos (60 %) e teste (40 %).

Conteúdo

1) Introdução ao pensamento hispânico contemporâneo.
2) Panorâmica dos aspectos culturais do pensamento espanhol contemporâneo. A difícil transição política do absolutismo para o liberalismo na primeira metade do século XIX. A interpretação dos acontecimentos históricos pelos intelectuais liberais e católicos Ambiguidades e limites da cultura espanhola da primeira metade do século XIX.
3) A Restauração (1874-1875) e a crise do “fin-du-siècle” (1898-1905). A derrota na guerra hispano-americana e a perda das últimas colónias (1898). Repercussões do “cataclismo nacional” no campo cultural: a concepção dos intelectuais como minoria selecta e artífices da identidade nacional.
4) A Geração de 98 e o pensamento de Miguel Unamuno (1864-1936).
5) José Ortega Gasset (1883-1955): Razão vital; Razão histórica; A posição orteguiana relativamente ao realismo ontológico; Ortega y Gasset perante as correntes fenomenológicas e existencialistas.