História da Arte do Renascimento e do Barroco em Portugal - 2. semestre

Objectivos

1.Conhecimento das grandes linhas de desenvolvimento da arte do Renascimento ao Barroco e Rococó em Portugal entre os séculos XV e XVIII. 2.Conhecimento da problemática e dos debates críticos e historiográficos sobre a matéria. 3.Conhecimento e identificação dos aspectos estilísticos e culturais das obras, personalidades e núcleos artísticos mais relevantes do período. 4.Domínio de algumas referências fundamentais da bibliografia, além dos instrumentos críticos indispensáveis ao aprofundamento de qualquer assunto neste campo. 5.Capacidade de escrever um pequeno ensaio sobre estes temas.

Caracterização geral

Código

711061034

Créditos

6

Professor responsável

Docente a definir

Horas

Semanais - 4

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não se aplica

Bibliografia

1.Craveiro, M.L .(2009). A arquitectura “ao romano”. Lisboa: Fabu Editores. 2.Deswarte, S. (1992). Ideias e imagens em Portugal na época dos Descobrimentos. Francisco de Holanda e a teoria da arte. Lisboa: Difel. 3.Kubler, G. (1988). A arquitectura portuguesa chã. Lisboa: Vega. 4.Pereira, J. F .(Org.) (1989). Dicionário da arte barroca em Portugal. Lisboa: Presença. 5.Pereira, P. (Org.) (1995). História da arte portuguesa (Vols. 1-2).Lisboa: Círculo de Leitores. 6.Pimentel, A. F. (1992). Arquitectura e poder. O Real Edifício de Mafra. Coimbra: Instituto de História da Arte. 7.Rodrigues, D. (2009). A pintura num século de excepção.1450-1550. Lisboa: Fabu Editores. 8.Serrão, V. (2009). A pintura maneirista e protobarroca. Lisboa: Fabu Editores. 9.Serrão, V. (2001). O Renascimento e o Maneirismo. Lisboa: Presença. 10.Serrão, V. (2003). O Barroco. Lisboa: Presença. 11. Sobral, L. M. (1996). Do sentido das imagens. Ensaios sobre pintura barroca e a cultura do seu tempo. Lisboa: Estampa. 12.Soromenho, M. (2009). A arquitectura do ciclo filipino. Lisboa: Fabu Editores.

Método de ensino

A metodologia do ensino integra-se nos procedimentos da História da Arte, fundamentada na consideração das obras e das linguagens inerentes à cultura visual. Abrangendo a história da arquitectura e do urbanismo, a pintura, a escultura e certos aspectos das artes decorativas, obriga a transmitir aos alunos noções metodológicas sobre a abordagem destes objectos. Por isso as aulas são organizadas a partir da sequência de reproduções, apresentadas em power-point, ocasionalmente acompanhadas pelo comentário de textos.

Método de avaliação

A avaliação consta de dois elementos: recensão crítica de um livro (10pp.) e um teste de compreensão geral sobre a matéria. A classificação final resulta do somatório (50%+50%) de ambos..

Conteúdo

1.Renascimento, Humanismo, Classicismo e Maneirismo. Conceptualização e problematização historiográfica sobre a arte portuguesa. 2.Formulações e aproximações à arte renascentista no século XV. O significado dos painéis de S. Vicente e os equívocos da polémica. 3.As orientações da arquitectura quinhentista e o triunfo do Renascimento na época de D. João III. Os modelos e a cultura arquitectónica “ao romano”. 4.A consciência do clássico na escultura e a intervenção dos escultores franceses. Os focos de Coimbra, Lisboa e Évora do Renascimento ao Maneirismo 5.A pintura e os seus principais centros de produção na 1ª metade do século XVI. Hegemonias estilísticas e padrões de gosto entre a Flandres e a Itália. 6.A arquitectura chã e o Classicismo no tempo de D. Sebastião e Filipe I. A importância e a repercussão da arquitectura militar. 7.A pintura da “Maniera” e as orientações tridentinas. Personalidades, formulários e realizações. 8.O Barroco e o Rococó no enquadramento estético dos séculos XVII e XVIII em Portugal. Problemas de definição e periodização na historiografia artística. 9.A arquitectura entre a continuidade do Estilo Chão e o Barroco: da época filipina ao período de D. Pedro II. A talha dourada de estilo português e a escultura. 10.A pintura do Protobarroco seiscentista e a diversificação dos géneros. A incidência decorativa e figurativa dos revestimentos azulejares. 11.O Barroco monumental na arquitectura e a influência das encomendas régias de D. João V. Lisboa, o Palácio-Convento de Mafra e as relações com a arte europeia. 12.Os regionalismos no período setecentista e a geografia artística do Barroco Tardio e do Rococó. Os focos do Porto e de Braga, a Beira e o Algarve.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: