Teoria e Análise Musical

Objectivos

a) Desenvolver competências técnicas e conceptuais na área da Análise Musical a um nível aprofundado;
b) Desenvolver o conhecimento e promover a avaliação crítica de algumas das principais correntes do pensamento teorico-musical;
c) Compreender o contexto histórico, sociológico e estético dos fenómenos musicais que constituem o objecto da análise;
d) Adquirir os instrumentos metodológicos necessários à realização de tarefas específicas nas áreas da análise e/ou da teoria musical.

Caracterização geral

Código

722021031

Créditos

10

Professor responsável

A disponibilizar brevemente

Horas

Semanais - 3 letivas + 1 tutorial

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não Aplicável

Bibliografia

Antokoletz, E. (2014). A History of Twentieth-Century Music in a Theoretic-Analytical Context. New York: Routledge.
Christensen, T. (Ed.) (2002). The Cambridge History of Western Music Theory. Cambridge, CUP.
Cook, N. & Pople, A. (Eds.) (2004). The Cambridge History of Twentieth-Century Music. Cambridge: CUP.
Cross, J. (Ed.) (2003). The Cambridge Companion to Stravinsky. Cambridge: CUP.
Devoto, M. (2004). Debussy and the Veil of Tonality. Hillsdale: Pendragon.
Morgan, R. P. (Ed.) (1993). Modern Times. Houndmills: Macmillan.
Shaw, J. & Auner, J. (Eds.) (2010). The Cambridge Companion to Schoenberg. Cambridge: CUP.
Simms, B. (2000). The Atonal Music of Arnold Schoenberg, New York: OUP.
Taruskin, R. (1996). Stravinsky and the Russian Traditions. Oxford: OUP.
Taruskin, R. (2010). Music in the Early Twentieth Century. Oxford: OUP.
Trezise, S. (Ed.) (2003). The Cambridge Companion to Debussy, Cambridge: CUP.
Van Den Toorn, P. (1983). The Music of Igor Stravinsky. New Haven: YUP.

Método de ensino

As questões teóricas, metodológicas e analíticas são aprofundadas com base num programa intensivo de discussões de grupo, exercícios práticos e leituras, promovendo assim o desenvolvimento de capacidades críticas e técnicas de alto nível. Não é imposto um método particular de análise, mas o aluno é encorajado a desenvolver a sua própria abordagem analítica das obras musicais.

Método de avaliação

30% de aulas teóricas e 70% de práticas. As aulas práticas realizam-se a partir de apresentações orais pelos alunos dos seus trabalhos individuais, e da subsequente discussão em grupo. A avaliação incide sobre as apresentações orais e a qualidade da participação na discussão (30%), e pelo menos um trabalho escrito aprofundado (70%).

Conteúdo

As linguagens musicais de Debussy, Stravinsky e Schoenberg. Análise de uma selecção de obras destes compositores, a definir em cada ano em função das áreas de interesse dos alunos, em correlação com o programa de leituras estabelecido no início do semestre.