Documentário - 2. semestre

Objectivos

a) Contactar com os principais pontos da história do documentário, enquadrando-os na história geral do cinema.
b) Saber problematizar os limites do documentário como conceito e como conjunto de práticas.
c) Relacionar as estratégias formais das obras com o ponto de vista ético e político que lhes esteja subjacente.
d) Saber transformar uma ideia numa curta-metragem de natureza documental, no sentido de uma concretização prática dos conhecimentos transmitidos.
e) Articular a história do documentário com momentos decisivos da História do século XX.
f) Operacionalizar conceitos e movimentos da história do documentário à luz das transformações técnicas e estéticas do cinema.

Caracterização geral

Código

722011046

Créditos

10

Professor responsável

Luís Mendonça

Horas

Semanais - 3 letivas + 1 tutorial

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável.

Bibliografia

Comolli, Jean-Louis. 2004. Voir et pouvoir: L’innocence perdue : cinéma, télévision, fiction, documentaire. Paris: Éditions Verdier.
Macdonald, Kevin, e Mark Cousins (eds.). 2006. Imagining Reality. Londres: Faber & Faber.
Mendonça, Luís. 2017. Fotografia e Cinema Moderno: Os Cineastas Amadores do Pós-Guerra. Lisboa: Edições Colibri.
Monteiro, Paulo Filipe. 2003. «Parentescos entre ficção e real: O caso do cinema». Revista de Comunicação e Linguagens, Dezembro.
Nichols, Bill. 2017. Introduction to Documentary. Bloomington: Indiana University Press.

Método de ensino

As aulas traduzem uma articulação permanente entre a problemática do documentário em cinema e o modo como diferentes estratégias formais configuram diferentes representações da realidade. Casos de estudo serão enquadrados historicamente e oferecidos à leitura – e debate – em aula, no sentido de se entender o movimento documental como uma confluência de práticas e políticas.

Método de avaliação

A avaliação realiza-se com base no desenvolvimento e concretização de um projecto para um exercício filmado que não poderá ter mais de 5 minutos. A produção deste filme será orientada ao longo da cadeira até à sua concretização final, beneficiando do apoio prestado pelo Laboratório de Edição Digital. A História do Documentário servirá de suporte e inspiração aos alunos para “porem em marcha” uma ideia para um documentário. A avaliação incide mais sobre o projecto (guião detalhado integrando elementos explorados durante as aulas) do que sobre o objecto fílmico final.

Conteúdo

A concepção desta unidade curricular transforma a história do documentário numa permanente interrogação acerca dos limites de um cinema pela imagem vis-à-vis de um cinema pela realidade (para invocar a famosa distinção de André Bazin). Recorrendo a filmes e textos, completos ou em excertos, as aulas assentam numa reflexão orientada para a acção.
1. Lumière revisitados: entre a ficção e o documentário.
2. O olhar etnográfico de Edward S. Curtis e Robert Flaherty.
3. Sinfonias urbanas: a cidade como plateau.
4. Joris Ivens à conquista do mundo.
5. Escola Grierson: os pioneiros ingleses.
6. Escola de Nova Iorque: Pare Lorentz e a Frontier Films.
7. Cinema directo e cinéma vérité: da América de Drew e Brault à Europa de Rouch e Morin.
8. Os caminhos do eu a partir do New American Cinema.
9. O cinema observacional: Frederick Wiseman e Allan King.
10. Robert Kramer e o retrato de um país.
11. Trabalhar com o arquivo: o caso de 48 de Susana de Sousa Dias.