Norma e Variação - 1. semestre

Objectivos

1. Compreender a relatividade do conceito de norma em função de diferentes vertentes de uso (oral / escrito) e de diferentes fatores extralinguísticos.
2. Identificar fatores associados à variação linguística relativos a tempo, espaço e sociedade.
3. Conhecer de forma explícita as regras da ortografia portuguesa e identificar os diferentes tipos de critérios em que se fundamenta.
4. Identificar traços de variação do português europeu e relacioná-los com fatores de vária ordem (geográficos, sociais, de registo), discutindo o seu enquadramento na perspetiva da consultoria e revisão linguística.
5. Reconhecer alguns dos principais traços diferenciadores de variedades nacionais do português e discutir o seu enquadramento na mesma perspetiva.

Caracterização geral

Código

722131104

Créditos

10

Professor responsável

Maria Teresa Brocardo

Horas

Semanais - 3 letivas + 1 tutorial

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

n/a

Bibliografia

Martins, Ana Maria & Ernestina Carrilho (eds.) (2016) Manual de Linguística Portuguesa. Berlin/Boston: De Gruyter.
Milroy, J. & L. Milroy (1991, 2ª ed.) Authority in Language. Investigating Language Prescription and Standardisation. London: Routledge.
Peres, João A. e Telmo Móia (1995) Áreas Críticas da Língua Portuguesa. Lisboa: Caminho.
Raposo, Eduardo P. et al. (orgs.) (2013) Gramática do Português. 2 vols. Lisboa: FCG.
Sampson, Geoffrey (2014) Writing systems: methods for recording language. In Keith Allan (ed.) Routledge Handbook of Linguistics. London: Routledge, pp. .47-61
Tagliamonte, Sali A. (2006) The linguistic variable. In Analysing Sociolinguistic Variation. Cambridge: CUP, pp. 70-98.
Wetzels, W. Leo, Sergio Menuzzi & João Costa (eds.) (2016) The Handbook of Portuguese Linguistics. Malden / Oxford: Wiley Blackwell.

Método de ensino

As unidades letivas funcionam em regime de seminário, algumas de caráter mais expositivo e outras com trabalho mais prático. Envolvem a participação planeada dos estudantes, com intervenções de diferentes tipos: apresentações sobre temas do programa, recensões, resultados de tarefas previamente executadas, como, p. ex., recolha de dados, trabalhos práticos de revisão ou consultoria, formulação de problemas e propostas de resolução.

Método de avaliação

A avaliação final da UC decorrerá de: participação dos estudantes nas sessões do seminário com tipos de tarefas descritos acima (40%); 1 trabalho escrito, orientado pela docente, apresentado e discutido em aula (60%).

Conteúdo

1. Aspetos gerais e introdutórios
Variação linguística (propriedade inerente à línguas humanas naturais) versus normalização linguística (não transversal, decorrente de fatores não linguísticos).
Definição, reconhecimento e relevância de norma(s) linguística(s).
Correção e adequação de registos.
Preconceito linguístico.
2. Variação linguística em português
Áreas de variação em português europeu.
Variáveis associadas a fatores (mais) específicos (dialetais e / ou sociais; (in)formalidade do registo) e variáveis (mais) transversais a diferentes usos e registos.
Alguns traços distintivos de variedades nacionais do português.
3. Aspetos gramaticais
Identificação de algumas áreas ‘críticas’ ou de ‘instabilidade’ nos usos do português.
Descrição e caraterização de alguns desses usos.
Delineamento de estratégias para a o seu tratamento em consultoria e revisão linguística
4. Aspetos ortográficos
Sistemas de escrita.
Relações de representação associadas aos sistemas fonográficos alfabéticos.
Fundamentos, critérios e caraterização da ortografia portuguesa.
5. Problemáticas da normalização linguística no português
Normalização e políticas linguísticas – autoridades (mais) institucionais / (mais) difusas.
Posições puristas e propostas de flexibilização de prescrições normativas.
Discussão do papel da linguística e do seu possível contributo para perspetivas normativas.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: