Escrita de Viagens - 1. semestre

Objectivos

Este seminário pretende apresentar as características, as regras, os problemas e as possibilidades da escrita de viagem,fornecendo instrumentos técnicos e teóricos para a criação de textos de viagem. Na primeira parte, serão analisados alguns textos de autores clássicos do género, e descritos os subgéneros, desde a narrativa turística até à reportagem.
Algumas questões serão discutidas: uma viagem deve ser planeada? Uma viagem é uma aventura? O que torna uma viagem interessante? E o que torna enfadonho o relato de uma viagem? Será ainda estudada a estrutura do texto de viagem, nas suas formas de diário, narrativa de personagens, memórias, registo científico ou histórico e ensaio filosófico. A segunda parte do seminário será dedicada à elaboração individual de um texto de viagem.

Caracterização geral

Código

722091165

Créditos

10

Professor responsável

Paulo Manuel Pires Machado Moura Antunes

Horas

Semanais - 3 letivas + 1 tutorial

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

n.a.

Bibliografia

CHATWIN, Bruce (2008), Anatomia da Errância, trad. Helena Cardoso, Quetzal, Lisboa

KAPUSCINSKI, Ryszard (2005), O Império, trad. Wlodzimiers Josef Szymaniak e Isabel Ponce de Leão, Campo das Letras, Lisboa

MAGRIS, Cláudio (1992), Danúbio, trad. Miguel Serras Pereira, Publicações Dom Quixote, Lisboa

PINTO, Fernão Mendes (2001) Relógio D’Água, Lisboa

SAID, Edward (2004), Orientalismo, trad. Pedro Serra, Livros Cotovia, 2004

THEROUX, Paul (2009), O Velho Expresso da Patagónia, trad. Nuno Guerreiro Josue, Quetzal, Lisboa

Método de ensino

Exposição pelo professor e sessões de análise e debate colectivo.

Método de avaliação

Elaboração de um ensaio final ou de um texto de viagem.

Conteúdo

Primeira parte: serão analisados alguns textos de autores clássicos do género, e descritos os subgéneros, desde a narrativa turística até à reportagem. Algumas questões serão discutidas: Uma viagem deve ser planeada? Uma viagem é uma aventura? O que torna uma viagem interessante? E o que torna enfadonho o relato de uma viagem? Será ainda estudada a estrutura do texto de viagem, nas suas formas de diário, narrativa de personagens, memórias, registo científico ou histórico e ensaio filosófico.
Segunda parte: elaboração individual de um texto de viagem.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: