Estudos de Segurança e Estratégia - 2. semestre

Objectivos

Dar o conhecer o universo estratégico, uma vez que a conflitualidade internacional, mesmo quando não traduzida assim tecnicamente, tem primariamente a ver com a estratégia. Assim o discente deve estar familiarizado com a área disciplinar da estratégia. Conhecer a evolução do pensamento estratégico. Equacionar os conceitos de segurança e defesa à luz da estratégia

Caracterização geral

Código

722071086

Créditos

10

Professor responsável

António Horta Fernandes

Horas

Semanais - 3 letivas + 1 tutorial

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não tem

Bibliografia

Fernandes, António Horta, acolher ou Vencer? A estratégia e a guerra na actualidade, Lisboa, Esfera do Caos , 2011.
ABREU, Francisco, FERNANDES, António Horta, Pensar a Estratégia. Do político-militar ao empresarial, Lisboa, Sílabo, 2004.
COUTAU-BÉGARIE, Hervé, Traité de Stratégie, Paris, Economica, 1999.
COUTO, Abel Cabral, Elementos de Estratégia. Apontamentos para um curso, 2 vols., Lisboa, IAEM, [s.d.].

Método de ensino

Exposição magistral clássica seguida de debate.

Método de avaliação

Uma recensão crítica (20%) e um exame final (80%).

Conteúdo

O objecto da estratégia
Estratégia, Geopolítica e Geoestratégia
A estratégia entre a política e a táctica
A estratégia e a guerra
O nascimento da estratégia na modernidade
O pensamento seminal de Clausewitz
O conceito de nação em guerra nos três primeiros decénios do século XX
A estratégia na época da guerra total
A guerra total em Ludendorff
A guerra limitada em Liddell Hart
A estratégia na época do nuclear e da guerra subversiva: o advento da estratégia integral
As principais escolas contemporâneas de teoria da estratégia
A escola francesa: Beaufre, Poirier, Charnay
A escola portuguesa
O pensamento de Abel Cabral Couto
Francisco Abreu e a Estratégia integral
A estratégia como ética do conflito: a estratégia como disciplina de fins
A estratégia face a disciplinas afins emergentes
Face aos Estudos de Segurança
Face aos Estudos para a Paz
A estratégia e o terrorismo: a inexistência de uma topologia