Tradução e Globalização

Objectivos

São objetivos do seminário:
1. debater de forma plural o conceito e o fenómeno da globalização, suas vantagens e desvantagens;
2. problematizar noções de «globalização», pondo-as em diálogo (dissonante?) com conceitos (concorrentes?) como «hibridação», «multiculturalismo», «(neo)colonialismo» e «(neo)imperialismo», entre outros;
3. refletir sobre a tradução como metáfora do relacionamento entre culturas e povos e/ou como instrumento de hegemonia político-cultural;
4. estudar o impacte do ato tradutório e a reflexão tradutológica que o acompanha numa cultura
crescentemente globalizada.
Pretende o seminário promover as competências de:
1. análise e interpretação de textos e fenómenos culturais;
2. reflexão crítica sobre a produção, receção e circulação de textos traduzidos num espaço crescentemente global(izado);
3. indagação constante e investigação criteriosa.

Caracterização geral

Código

73217169

Créditos

6

Professor responsável

A disponibilizar brevemente

Horas

Semanais - 2

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

n.a.

Bibliografia

APPADURAI, A (ed.) (2001),Globalization, Durham/London: Duke University Press.
APTER, E. (2013),Against World Literature, London: Verso.
BAUMAN, Z. (2011),Collateral Damage. Social Inequalities in a Global Age, Cambridge: Polity.
COWEN, T. (2002),Creative Destruction: How Globalization is Changing the World’s Cultures, Princeton:
Princeton UP.
CRONIN, M. (2003), Translation and Globalization, London/New York: Routledge.
GARCÍA CANCLINI, N.(1999), La globalizacion imaginada, Buenos Aires: Paidos Iberica.
LECHNER, F. J. e BOLI, J.(ed.) (2011), The Globalization Reader, Malden: Blackwell.
PIETERSE, J. (2009),Globalization and Culture, Lanham: Rowan & Littlefield.
PYM, A. (2010),Exploring Translation Theories, London/New York: Routledge.
SAID, E. (1993),Culture and Imperialism, Londom: Vintage.
SPIVAK, G. C. (2012),An Aesthetic Education in the Era of Globalization, Cambridge/London: Harvard UP.
VENUTI, L.(ed.), (2000),The Translation Studies Reader, London/New York: Routledge.

Método de ensino

Ensino: O ensino é presencial, estando os estudantes obrigados a assistir a dois terços, pelo menos, das
sessões. As sessões são sempre teórico-práticas, implicando cada sessão momentos de exposição pela
docente e de debate e apresentação de trabalhos orais pelos estudantes. Uma planificação das sessões
(incluindo leituras) será distribuída na primeira sessão.

Método de avaliação

Avaliação: A avaliação dos alunos é contínua, decorrendo daí que a preparação crítica dos textos e temas a debater, a participação (20%) são fundamentais. Para além desses elementos de avaliação, os Mestrandos serão chamados a elaborar trabalhos orais (20%) e a apresentar um ensaio final (60%).
Condições essenciais para o aproveitamento neste seminário são a capacidade e disponibilidade para refletir e discutir os temas e textos propostos, domínio da língua portuguesa e aturado espírito de investigação.

Conteúdo

O seminário será lugar de indagação crítica acerca do fenómeno da globalização nos seus múltiplos aspetos e consequências, bem como do papel que a tradução desempenha em processos de promoção ou resistência à globalização. Pensar-se-ão os efeitos (linguísticos, políticos, sociais) de uma cultura global(izada) na construção/diluição/transformação de identidades locais.
A partir da consideração de alguns veios reflexivos sobre a globalização, espera-se que os estudantes
discutam o impacte dos processos de globalização nas práticas discursivas e na (re)configuração das
identidades locais; a (re)definição da geografia translatória no contexto global; e representações da atividade translatória e da globalização em diversos média.
Obras a discutir:
Salman Rushdie (2012), Joseph Anton. A Memoir, London: Jonathan Cape.
Babel (2006), O Fiel Jardineiro (2005), Bride and Prejudice (2004), O Amor é um Lugar Estranho – Lost in Translation (2003)

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: