História da Tradução - 1. semestre

Objectivos

Conhecer alguns problemas básicos da historiografia em geral para poder discutir em que medida se adaptam ao objecto “tradução”; e bem assim tomar consciência da diversificação da tradução a partir do século XX.
Portanto há que perceber por que razões um projecto de uma história DA tradução não foi ainda concretizado.
Numa segunda fase será preciso treinar a delimitação do objecto, de modo a que histórias parciais da
tradução possam ser concretizadas, o que exige também um conhecimento aprofundado do estado da arte (o que está feito em história da tradução até à data, por exemplo histórias da tradução centradas nos tradutores, numa área geográfico-política ou na tradução para uma língua). Este conhecimento permitirá a discussão de vários modelos, para aferir da sua validade para o caso português, em que o Seminário se vai centrar com particular ênfase.

Caracterização geral

Código

73217171

Créditos

12

Professor responsável

Maria Zulmira Castanheira

Horas

Semanais - 2

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

n.a.

Bibliografia

Anthony Pym, Method in Translation History, St Jerome Publishing, Manchester, UK, 1998
Lieven D’hulst, «Translation History», in: Handbook of Translation Studies, John Benjamins Publishing
Company, 2010.
Henri van Hoof, Histoire de la traduction en Occident. Paris, Duculot, 1991
Routledge Encyclopedia of Translation Studies. Ed. Mona Baker and Gabriela Saldanha. London & New York, Routledge 2009
Translation, History, Culture. A Sourcebook. Ed. André Lefevere. London & New York, Routledge 1992
Translators through History. Ed. J. Delisle and J. Woodsworth. John Benjamins Publishing Company, 1995, rev. ed. 2012
Lawrence Venuti, The Translator’s Invisibility. A History of Translation. London and New York, Routledge, 1995
Jorge Pinho, O escritor invisível: A tradução tal como é vista pelos tradutores portugueses. Quidnovi, 2006
Teresa Seruya, “Contributos para uma história da tradução em Portugal”, in: Traduzir é preciso, Übersetzen tut not, Berlin, ed. tranvia, Walter Frey, 2013

Método de ensino

O ensino deste Seminário não pode prescindir de sessões de exposição pela docente, para o levantamento e problematização das questões. Mas quando se tratar da ilustração destas os alunos serão chamados a colaborar na exposição de casos concretos. Por exemplo, quanto aos modelos historiográficos aplicados à tradução, ao fazermos o estado da arte, cada aluno poderá expor e avaliar um deles. A participação dos alunos será também exigida no comentário de textos teóricos a trabalhar em conjunto nas sessões. Também as capacidades de investigação serão postas à prova, sobretudo em relação ao caso português. Pretende-se treinar a investigação em: bibliografia em geral, bibliotecas, bases de dados, trabalhos académicos e outros.

Método de avaliação

Os alunos serão também convidados a colaborar em projectos de investigação relacionados com tradução nos três centros a que o DET está associado.A avaliação constará de um trabalho final de seminário (45%), duas apresentações orais (35%) e participação nas sessões (20%)

Conteúdo

0. História da tradução: um projecto incomensurável?
1. História da tradução e Estudos de Tradução: uma relação difícil
2. Da exequibilidade de uma história da tradução: várias delimitações
3. A definição do objecto da história da tradução
4. O discurso historiográfico sobre a tradução. Progresso, evolução e mudança. Periodização.
5. História da tradução em Portugal: um projecto a cumprir
6. Pressupostos e condições do projecto

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: