Prática de Ensino Supervisionada em Português e Espanhol

Objectivos

a) Mobilizar conhecimentos científicos, pedagógicos, didáticos e metodológicos para a definição, gestão e avaliação de planos curriculares e de práticas pedagógicas específicas do ensino de línguas (L1 e L2/LE).
b) Aplicar ao trabalho de observação de aulas lecionadas pelo orientador cooperante e à planificação, execução e avaliação de aulas de línguas as competências adquiridas em metodologias de investigação educacional, transversais à formação em Ciências da Educação e em Didática.
c) Desenvolver a planificação e a implementação de práticas pedagógico-didáticas inovadoras.
d) Desenvolver um conhecimento dos estudantes em contexto escolar, suas semelhanças e diferenças, particularmente em termos das suas necessidades, comportamento, motivação e níveis de aprendizagem.
e) Desenvolver uma reflexão informada e crítica sobre os contextos educativos de L1 e L2/LE.
f) Relacionar as componentes formativa, reflexiva e investigativa com a atividade do professor de língua (L1 e L2/LE).

Caracterização geral

Código

722160051

Créditos

45

Professor responsável

A disponibilizar brevemente

Horas

Semanais - 2

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português e Espanhol

Pré-requisitos

n.a.

Bibliografia

Alonso, E. et al. (2012). Soy profesor/a: aprender a enseñar. Vols 1 y 2. Madrid: Edelsa.

Bronckart, J.-P. (2016). Projets d’enseignement et capacités d’apprentissage. L’exemple de la langue maternelle. In: Pourquoi et comment devenir didacticien? (p. 105-122). Lille: Presses Universitaires du Sep

Johnson, K. and Golombek, P. (2011). Research on Second Language Teacher
Education. New York: Routledge.

Kelly, M. et al. (2004). European Profile for Language Teacher Education – A Frame of Reference. Council of Europe. Available at
.

Leurquin, E., Coutinho, M. A. & Miranda, F. (orgs). (2015). Formação docente. Textos, teorias e práticas. Campinas, SP: Mercado de Letras.

Vieira, I. and Moreira, M. (2008). Reflective teacher education towards learner
autonomy: building a culture of possibility. In M. Raya and T. Lamb (Eds.), Pedagogy for Autonomy in Language Education (p. 266-282). Dublin: Authentik.

Método de ensino

A construção da profissionalidade docente enquadra-se numa abordagem potenciadora do desenvolvimento do pensamento crítico e da capacidade reflexiva em articulação com uma metodologia de aprender a fazer fazendo (\"learning by doing\", na terminologia de Schön), sem perder de vista a dimensão investigativa. A supervisão decorre numa perspetiva prescritiva, colaborativa e reflexiva e conduz a uma reflexão sobre a atividade docente e o desenvolvimento profissional e pessoal, com abertura à inovação e à transformação.
Ensino presencial

Método de avaliação

A avaliação é contínua nas modalidades de avaliação formativa e sumativa respeitante a todo o trabalho desenvolvido no âmbito da Prática de Ensino Supervisionada. As ponderações são estabelecidas em reunião com os orientadores cooperantes e estão disponíveis nas fichas de avaliação intermédia (formativa) e final (sumativa) que os mesmos utilizam.

Conteúdo

a) Observação e análise de contextos educativos.
b) Aplicação prática do currículo e programas (Português e LE).
c) Planificação e lecionação de aulas e unidades de ensino.
d) Adaptação do ensino de línguas (L1 e L2/LE) a diferentes contextos educativos e a necessidades individuais dos alunos.
e) Desenvolvimento, aplicação e avaliação de materiais e recursos.
f) Dimensão cultural e intercultural no ensino de língua (L1 e L2/LE).
g) Educação para a cidadania (intercultural) em relação com o ensino-aprendizagem de língua (L1 e L2/LE).
h) Planificação e implementação de atividades e projetos de integração escolar.
i) Avaliação contínua, incluindo modalidades de avaliação diagnóstica, formativa e sumativa.
j) Trabalho em equipa, colaboração e networking.
k) Prática reflexiva e autoavaliação.
l) Redes internacionais de comunicação e intercâmbio.
m) Portafolio Europeu de Línguas e Autobiografia de Encontros Interculturais.
n) Construção ética da profissão docente.