O Império Português: Centros e Periferias (Séculos XV-XVIII) - 1. semestre

Objectivos

a) Compreender as sucessivas configurações do Império português, bem como a interacção das diferentes instâncias de poder que o estruturaram, entre os séculos XV e XVIII; b) Identificar os diversos estatutos jurídico-políticos dos territórios que integraram o Império Português durante o período em análise; c) Reconhecer a existência de diferentes modelos de organização político-administrativa no contexto do Império Português; d) Conhecer a bibliografia especializada e as problemáticas historiográficas mais relevantes no âmbito do período e das temáticas abordadas; e) Aplicar os conhecimentos de forma crítica e saber apresentar, quer por escrito quer oralmente, os resultados de uma investigação baseada em fontes primárias.


Caracterização geral

Código

722051289

Créditos

10

Professor responsável

Alexandra Pinheiro Pelucia

Horas

Semanais - 3 letivas + 1 tutorial

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não se aplica

Bibliografia

BETHENCOURT, Francisco, «Configurações Políticas e Poderes Locais», in A Expansão Marítima Portuguesa, 14001800, dir. Francisco Bethencourt e Diogo Ramada Curto, Lisboa, Edições 70, 2010, pp. 207-264. CARDIM, Pedro, «La Aspiración Imperial de la Monarquía Portuguesa (Siglos XVI y XVII)» in Comprendere le Monarchie Iberiche. Ricorse Materiali e Rappresentazioni del Potere, ed. Gaetano Sabatini, Roma, Viella, 2010, pp. 37-72. COSTA, João Paulo Oliveira e, «A Formação do Aparelho Central da Administração Ultramarina Portuguesa no século XV», in Anais de História de Além-Mar, vol. 2, Lisboa, CHAM, 2001, pp. 87-114. COSTA, Leonor Freire, Naus e Galeões na Ribeira de Lisboa. A Construção Naval no Século XVI para a Rota do Cabo, Cascais, Patrimonia, 1997. HESPANHA, António Manuel e Maria Catarina Santos, «Os Poderes num Império Oceânico», in História de Portugal, dir. José Mattoso, vol. IV, O Antigo Regime (1620-1807), pp. 395-413.

Método de ensino

As aulas terão um carácter teórico-prático. Para além de exposições teóricas, a participação oral dos alunos será promovida no contexto da reflexão conjunto em sala de aula sobre alguns temas, bem como da exploração e comentário de textos ou de fontes primárias

Método de avaliação

A avaliação contempla duas provas escritas: um trabalho individual a incidir sobre fontes primárias (15-20 páginas e com a ponderação de 60% da nota final) e um relatório de conferência (20% da nota final). O desempenho oral dos alunos será também alvo de avaliação (20%).







Conteúdo

I. O centro coordenador 1.1. Expansão e centralização 1.2. Desígnios imperiais 1.3. Os órgãos de decisão política 1.4. A gestão dos negócios ultramarinos 1.5. A organização logística II. As periferias ultramarinas 2.1. Formas de integração jurisdicional 2.2. Soluções de integração administrativa 2.3. Capitais, governos e cortes 2.4. Poderes informais 2.5. Redes clientelares