Património e Identidades - 1. semestre

Objectivos

Compreender e problematizar os conceitos de \"património” e de “identidade(s)” quando articulados.
Adquirir e analisar informação com a utilização de referentes teóricos que permitam compreender e criticar as problemáticas inerentes ao património enquanto factor identitário.
Adquirir/desenvolver competências para a identificação e a delimitação de campos de saber e investigação conducentes a leituras transdisciplinares do património e da(s) identidade(s) em contexto contemporâneo.
Conhecer manifestações de utilização do património como factor identitário ao longo da história de Portugal (estudos de caso).
Incentivar uma exigência de rigor e de pesquisa, aliados a uma atitude crítica na construção de conhecimento em suporte oral e escrito.

Caracterização geral

Código

722051420

Créditos

10

Professor responsável

Carla Alferes Pinto

Horas

Semanais - 3 letivas + 1 tutorial

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Pré-requisitos

n.a.

Bibliografia

AUGÉ, Marc (2001) [1998]. Les formes de l´oubli. Paris: Éditions Payot & Rivages.
BETHENCOURT, Francisco; CURTO, Diogo Ramada (coord) (1987). A memória da nação. Lisboa: Sá da Costa.
CUSTÓDIO, Jorge (coord) (2010). 100 anos de património. Memória e identidade. Lisboa: IGESPAR.
GOODY, Jack (2006) [1997]. La peur des représentations. Paris: La Découverte.
HALBWACHS, Maurice (1997) [1950]. La mémoire collective. ed. Gérard Namer. Paris: Albin Michel.
HEINICH, Nathalie (2012) [2009]. La fabrique du patrimoine. Paris: Maison Sciences de l´Homme.
HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence (2004) [1983]. Línvention de la tradition. Paris: Éditions Amsterdam.
LE GOFF, Jacques (coord) (1998). Patrimoine et passions identitaires. Paris: Fayard.
TORGAL, Luís Reis; MENDES, Amado; CATROGA, Fernando (1996). História da história em Portugal (sécs.XIXXX). Lisboa: Círculo de Leitores.
TRAVERSO, Enzo (2005). Le passé, modes d´emploi. Histoire, mémoire, politique. Paris: La Fabrique Éditions.

Método de ensino

O seminário terá como sistema de continuidade sessões presenciais e trabalho autónomo dos alunos.
As aulas presenciais serão de carácter teórico-prático, alternando momentos de exposição teórica dos temas, conceitos, vocabulário e métodos específicos da área com a análise e comentário de textos apresentados pelos alunos.

Método de avaliação

A avaliação será composta por duas actividades de cariz científico-discursivo diferenciado:
1. Um estudo escrito (10 páginas) resultado de uma investigação individual tendo como suporte uma questão sobre a qual será realizado um estado da arte e que deverá ser equacionada com base em informação empírica. O estudo será valorizado em 40% da nota final (um a oito valores).
2. Um conjunto de três intervenções orais em aula (15minutos cada) passadas a escrito, depois da
apresentação e crítica em seminário. Cada uma das intervenções será valorizada de 20% da nota final (um a quatro valores), sendo atribuído 10% à intervenção oral e 10% às duas páginas de resumo.

Conteúdo

1. História, memória, património, identidade(s)
2. Os \"objectos\"-património
3. Construir identidades. A busca do \"Reino\"
a) Os invasores Romanos, Godos e Muçulmanos
b) A Renascença e os antigos Lusitanos
c) A reacção anti-castelhana
d) Os lusitanismos Académicos, regalistas e episcopalistas
e) O território identitário: os municípios e o povo
4. Construir identidades. Comemorar
a) As comemorações de Camões e Pombal (1880-1882)
b) Os centenários e o \"Mundo Português\" (1940)
c) 1498-1500, 1998-2000, a Comissão Nacional para a Comemoração dos
Descobrimentos Portugueses (1986-2002)
5. Património e identidades. Os construtores
a) Historiadores
b) Etnólogos
c) Geógrafos
d) Literatos e Poetas

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: