Política e Arte Contemporânea

Objectivos

1) Compreender os processos através dos quais as relações entre arte e política se constituem como elemento transversal na arte contemporânea
2)Tomando como referência os exemplos seleccionados, analisar os desdobramentos das relações/ tensões
entre arte e política desde as vanguardas até a actualidade
3) Conhecer os principais discursos críticos e teóricos que, na segunda metade do século XX, problematizaram as relações entre arte e política
4) Analisar as articulações entre produção artística e políticas institucionais em diferentes contextos históricos
e culturais
5) Aplicar os conhecimentos adquiridos e desenvolver capacidades críticas através da discussão de textos
teóricos seleccionados e da elaboração de um breve ensaio.

Caracterização geral

Código

722031094

Créditos

10

Professor responsável

A disponibilizar brevemente

Horas

Semanais - 3 letivas + 1 tutorial

Totais - A disponibilizar brevemente

Idioma de ensino

Pré-requisitos

Bibliografia

1. C. Harrison, P. Wood (eds). Art in theory, 19001990. An anthology of changing ideas, Cambridge Mass., Blackwell, 1993.
2.T.J. Clark. Farewell to an idea. Episodes from a history of Modernism, New Haven, London, Yale University
Press, 1999.
3. S. BuckMorss. Dreamworld and catastrophe. The passing of mass utopia in the east and west, Cambridge
Mass., London, MIT Press, 2000.
4 M. Acciaiuoli. Exposições do Estado Novo: 19341940, Lisboa, Livros Horizonte, 1998.
5. C. Greenberg. Art and culture: critical essays, Boston, Beacon Press, 1989.
6. B. Groys. Art Power, Cambridge Mass., London, MIT Press, 2008.
7. A. Huyssen, Present Pasts. Urban palimpsests and the politics of memory, Stanford, Stanford University
Press, 2003.
8. A. Giunta, Avantgarde, internationalism and politics. Argentine art in the sixties, Durham, Duke University
Press, 2007.
3. C. Bishop. Radical Museology, Koln, Walther Konig, 2013.
7. J. Rancière, The Politics of Aesthetics, London, New York, Continuum, 2009.

Método de ensino

Trata-se de uma unidade curricular teórico-prática que combina, regularmente, uma componente expositiva e
uma componente de debate em torno de cada um dos pontos do programa. Pretende-se assim aprofundar e
consolidar os conhecimentos adquiridos e garantir o envolvimento crítico e activo dos alunos na discussão de
textos de referência indicados pela docente.

Método de avaliação

A avaliação final contemplará a preparação e participação nos debates realizados nas aulas (30%) e na
elaboração de um trabalho individual final (70%).

Conteúdo

1) Vanguarda, política e transgressão na Europa: Futurismo, Dada e Surrealismo.
2) União Soviética: Construtivismo versus Realismo Socialista. Política e Visualidade.
3) O debate em torno do papel social da arte nos E.U.A.. As posições de Meyer Schapiro, Alfred Barr e Clement Greenberg.
4) Arte em contextos de ditadura e opressão política: os casos de Alemanha, Itália e Portugal.
5) Maio de 1968: desdobramentos e ressonâncias na cenas artísticas Europeia e NorteAmericana.
6) Arte e política durante a Guerra Fria: o caso da América Latina.
7) Arte, memória e poder na produção artística contemporânea.
8) Repensar o museu na contemporaneidade.
9) Perspectivas actuais: produção artística, conflito e globalização.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: