Geologia Geral

Objectivos

Numa disciplina que se pretende propedêutica na Licenciatura, os objectivos gerais são:

- uniformizar conhecimentos de base, hetrogéneos, que os alunos adquirem no Ensino Secundário e constituir base estruturante a diversas disciplinas da licenciatura;
- fornecer conhecimento amplo e aprofundado sobre as Geociências, especialmente sobre a origem e evolução do planeta e a interacção entre os diferentes sistemas terrestres;
- dar a conhecer o papel que os Engºs Geólogos e os Geólogos desempenham na Sociedade actual;
- sensibilizar os alunos para a necessidade da exploração racional de recursos e utilização e gestão sustentável da superfície do planeta;
dar a conhecer instrumentos de trabalho de base e executar operações inerentes ao trabalho do Geólogo e do Engº Geólogo, nomeadamente sobre cartas topográficas, geológicas e bússola de geólogo;
- testar e melhorar capacidades relativas à visualização tridimensional.

Competências específicas
No final da disciplina o aluno deve saber:
-identificar e classificar diferentes tipos de rochas dos 3 grupos principais e interrelacioná-los geneticamente;
- medir atitudes de planos geológicos (i.e. estratificação, falhas, filões);
- interpretar cartas topográficas, executar perfis topográficos e operações sobre escalas;
- determinar a declinação magnética, magneto-cartográfica e a convergência de meridianos num dado ponto e data;
interpretar cartas geológicas não complexas e executar perfís geológicos expeditos e rigorosos;
-distinguir unidades estratigráficas formais e informais.

Caracterização geral

Código

10663

Créditos

6.0

Professor responsável

José Carlos Ribeiro Kullberg, Paulo do Carmo de Sá Caetano

Horas

Semanais - 5

Totais - 90

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não existem quais requisitos em especial.

Bibliografia

K.CONDIE & R.SLOAN (1998). Origin and Evolution of Earth. Prentice Hall, New Jersey, 485 p.
W.HAMBLIN & E.CHRISTIANSEN (1998). Earth’s dynamic systems. Prentice Hall, New Jersey, 8ª ed.
F.PRESS, R.SIEVER, J.GROTZINGER & T.JORDAN (2003). Understanding Earth. W.Freeman & Co., New York, 4ª ed.
B.SKINNER, S.PORTER & D.BOTKIN (1999). The Blue Planet: an introduction to Physical Geology. MacMilan Publ. Co., New York, 4ª ed.
A.STRAHLER & A.STRAHLER (1996). Introducing Physical Geography. John Wiley & Sons, Inc., New York, 2ª ed.
VALLEJO, L. I. Gónzalez de (Coord.) (2002) Ingeniería Geológica. Prentice Hall, Madrid, 744 p.

Método de ensino

Na disciplina são utilizados diferentes métodos de ensino, a saber:

- Ensino tutorial, para a componente lectiva presencial prevista no calendário escolar, para as componentes teórica e teórico-prática.

- Ensino assistido, não presencial, utilizando o Moodle, onde o aluno contacta o docente para colocar dúvidas, para além das horas convencionais semanais destinadas a dúvidas, previstas na Lei.

Método de avaliação

Na componente Teórica:

- Realização de 4 mini-testes (T1, T2, T3, T4), sem datas previamente anunciadas, no período de avaliação contínua, ou seja, durante o decorrer do semestre. Serão realizados durante a última meia-hora de 4 aulas escolhidas pelo(s) docente(s) ao longo do semestre.

- É obrigatória a comparência, resolução e entrega de pelo menos 3 destes 4 mini-testes para a obtenção de uma nota final na avaliação contínua da componente Teórica. A nota final (T) obtida neste período de avaliação contínua será a média simples entre os 3 ou 4 testes realizados; para o(a)s aluno(a)s que realizem os 4 testes, para efeitos desta média, apenas serão considerados as 3 melhores classificações.

- Quando estas condições não forem satisfeitas, haverá acesso à época de Recurso, desde que a condição de frequência (ver em baixo) seja cumprida.

-  A nota final a componente teórica será: T = (T1+T2+T3 ou T4)/3

Na componente Prática haverá 2 testes (com datas indicadas no CLIP) onde a classificação será obtida da seguinte forma::

P = (P1+P2)/2

Para a obtenção de frequência à UC, cada aluno deverá ter presença a pelo menos 2/3 das aulas da componente Prática.

A classificação final (F) é obtida da seguinte maneira:

F = (T + P)/2

sendo que, para aprovação na disciplina, as condições seguintes têm de se observar cumulativamente:

- F >= 9,5/20 valores

- Obtenção de pelo menos 6/20 valores em qualquer das componentes da avaliação T1, T2, T3 (ou T4), P1 e P2.

Conteúdo

Teóricas
Importância das Geociências. A Terra no Sistema Solar. Origem e evolução da Terra.
Sismologia: ondas, escalas e cartas sísmicas, sismogramas; prevenção sísmica. Estrutura do globo terrestre: unidades do interior e superfícies de descontinuidade. Meteoritos.
Morfologia continental e oceânica. Deriva continental. Tectónica de placas - a teoria da expansão oceânica e a hipótese de Vine e Matthews. A escala paleomagnética. Noções de falha transformante e de placa litosférica. A formação de cadeias de montanhas; subducção e obducção.
Estratigrafia: dualidade da classsificação estratigráfica, correlações, estudo de uma bacia sedimentar (eustatismo e subsidência), princípios fundamentais. Descontinuidades.
Geologia estrutural: deformações na crosta (fracturação e dobramento), noção de andar estrutural, regimes tectónicos e estruturas associadas, classificação de dobras e de falhas.
O papel da Geologia na Sociedade actual e a Geologia como ciência aplicada e de apoio à decisão em Engenharia. A Engenharia Geológica e as três principais áreas de actividade: geotecnia, georrecursos e geoambiente. Recursos Geológicos em Portugal e legislação. Águas subterrâneas. Caracterização de terrenos. Conceito de maciço rochoso. Caracterização do solo.
Exemplos de estudos geoambientais.
Práticas
Minerais essenciais. O ciclo das rochas. Análise macroscópica dos principais tipos de rochas e respectivos processos geológicos. A bússola de geólogo. Cartas topográficas. Mapas geológicos: perfís e interpretação.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: