Produção de Culturas Energéticas

Objectivos

Aquisição de conhecimentos, capacidades e competências (1) Potencial de algumas culturas energéticas em termos da sua produção, processamento e utilização; (2) Valorização para fins energéticos ou outros; (3) Dimensão ambiental, económica e social.

Caracterização geral

Código

8458

Créditos

6.0

Professor responsável

Ana Luísa Almaça da Cruz Fernando, Maria Margarida Boavida Pontes Gonçalves

Horas

Semanais - 5

Totais - 70

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Conhecimentos básicos de biologia e ecologia.

Bibliografia

Biewinga, E. E., van der Bijl, G. (1996) Sustainability of energy crops in Europe. A methodology developed and applied. Centre for Agriculture and Environment, Utrecht, Holanda, CLM 234-1996, 209 pp. 

Jones, M. B. & Walsh, M. (2000) Miscanthus for energy and fibre, Jones, M. B. & Walsh, M. (Eds.), Earthscan Publications Ltd. (Publs.), 334 pp (ISBN 184971097X)  

El Bassam, N. (1998) Energy plant species. James & James (Science Publishers) Ltd. (Ed.), Londres, Reino Unido, 334 pp. (ISBN 1873936753) 

 

EEA - European Environment Agency (2005). Agriculture and Environment in EU-15 – the IRENA indicator report. Report No 6/2005. European Environment Agency. Copenhagen, Denmark, 128 p.. Available at: Agriculture and Environment in EU-15 – the IRENA indicator report. Report No 6/2005.

EEA - European Environment Agency (2006). How much bioenergy can Europe produce without harming the environment? Report No 7/2006. European Environment Agency. Copenhagen, Denmark, 67 p.. Available at: http://www.eea.europa.eu/publications/eea_report_2006_7

 

EEA - European Environment Agency (2007). Estimating the environmentally compatible bioenergy potential from agriculture, EEA  Report 12/2007. European Environment Agency. Copenhagen, Denmark, 134 p.. Available at: http://www.eea.europa.eu/publications/technical_report_2007_12

 

EEA - European Environment Agency (2008). Maximising the environmental benefits of Europe´s bioenergy potential. EEA Report  10/2008. European Environment Agency. Copenhagen, Denmark, 94 p.. Available at: http://www.eea.europa.eu/publications/technical_report_2008_10.

EEA - European Environment Agency (2009). Water resources across Europe — confronting water scarcity and drought. EEA Report 2/2009. European Environment Agency, Copenhagen, Denmark, 55 p.. Available at: http://www.eea.europa.eu/publications/water-resources-across-europe.

Método de ensino

Sessões teóricas com data-show. Sessões teórico-práticas em sala com computador

Método de avaliação

Elaboração de dois trabalhos individuais escritos. Apresentação oral e discussão individual de um trabalho. Classificação final: média das classificações dos três elementos (0,35TP1+0,35TP2+0,3Apresentacao) Aprovação: classificação mínima de 9,5 valores (escala de 20) na classificação final. No início do semestre, será definido o objectivo de cada um dos três elementos de avaliação, incluíndo os critérios de correção.

No caso dos alunos não obterem aprovação por avaliação contínua, poderão ir a exame final. Neste caso a classificação final será: 0,70* nota exame + 0,30* nota apresentação individual. Aprovação: classificação mínima de 9,5 valores (escala de 20) na classificação final.

Conteúdo

Componente teórica

1. Produção de biomassa potencial; factores condicionantes. Processos fotossintéticos. Genótipos. Factores ambientais. Factores externos. 2. Culturas energéticas. Definição e âmbito. Produção, colheita, transporte e armazenamento. Processamento e utilização. Impacte Ambiental. Dimensão económica e social. 3. Exemplos de culturas energéticas. Culturas ricas em açúcares para produção de etanol: sorgo sacarino, cana-de-açúcar, beterraba. Culturas ricas em biomassa lenho-celulósica: Miscanthus, cardo, bambu. Culturas ricas em fibra: Kenaf, algodão, linho. Culturas ricas em óleos: girassol, colza.

Componente prática

1. Estudo da produtividade de algumas culturas energéticas em Portugal. 2. Caracterização de algumas culturas energéticas tendo em vista a sua utilização para fins energéticos ou outros. 3. Avaliação do impacte ambiental de culturas energéticas. 

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: