Química Orgânica Geral A

Objectivos

Aquisição de conhecimetos básicos em Química Orgânica, necessários à formação de um futuro Engenheiro Biomedico e Licenciado em Biologia Celular e Molecular.

Caracterização geral

Código

11194

Créditos

6.0

Professor responsável

Elvira Maria Sardão Monteiro Gaspar

Horas

Semanais - 4

Totais - 60

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

A disponibilizar brevemente

Bibliografia

Livro recomendado:

  • Organic Chemistry (5th edition) by Paula Yurkanis Bruice
  • Organic Chemistry with Biological Applications 2e by John E. McMurry


Bibl. complementar:

  • Streitwieser, A.; Heathcock, C.; Kosower, E. “Introduction to Organic Chemistry”, MacMillan, 4ª Ed., 1992
  • Volhardt, K.; Schore, N.E. “Organic Chemistry”, W.H. Freeman & Co., 3ª Ed., 1999

  Aulas P e TP:

  •  Gaspar, E. "Guia de Laboratório de Química Orgânica Geral A ", Fevereiro, 2019
  •  Gaspar, E  "Folhas de Problemas e Problemas resolvidos" (a fornecer antecipadamente em relação às aulas, durante o semestre)  

Método de ensino

O ensino é realizado através de aulas teóricas, aulas teórico-práticas 
(resolução de problemas) e práticas (laboratório). A fim de estimular a curiosidade 
intelectual dos alunos, que por sua vez leva à melhoria da aprendizagem, independentemente 
de suas escolhas de curso, combino o uso da explicação em quadro-negro com datashow, usando o powerpoint e vídeos
 (que disponibilizo no Plataforma Clip) para tornar essa unidade de crédito (UC) mais viva, real e útil para os alunos; 
sendo estudantes millenium, são aprendizes audiovisuais devido ao mundo digital centrado na imagem em que vêm crescendo.
 De fato, os alunos entendem melhor os conceitos se puderem imaginá-los. Tento ilustrar até os conceitos mais abstratos, usando exemplos ou analogias. 
Também  correlaciono com exemplos da química do dia-a-dia e / ou de meus tópicos de investigação,
 para que os alunos entendam a sua utilidade e continuem motivados.
 
 Nas aulas teórico-práticas, os alunos resolvem exercícios usando os conceitos introduzidos nas aulas teóricas. 
 
Na componente prática da UC, os alunos realizam experiências laboratoriais que incorporam conceitos teóricos e estão de acordo com os interesses e expectativas dos cursos que escolheram. Os trabalhos são relativamente simples, seguros e agradáveis ​​de executar, com a preocupação de um alto componente pedagógico. 
 
No que diz respeito à avaliação, inclui a parte teórica (70%) e a parte laboratorial (30%), a parte teórica é avaliada por 2 testes e / ou exame final, incluindo também o parâmetro de auto-avaliação (10% da nota teórica) . O componente experimental é avaliado pela preparação das aulas, pelo desempenho dos alunos no laboratório e pelo empenho colocado no caderno de laboratório; 
a avaliação pelos colegas numa apresentação laboratorial final também é um parâmetro da avaliação prática (10% da pontuação prática). 
 
Para concluir esta UC com sucesso, os alunos devem fazer o seguinte: 
 
• Estudar pelo o livro e estar presente nas aulas teóricas; 
• Preparar os exercícios quinzenais relativos às aulas de TP;
 • Efectuar a apresentação laboratorial final;
 • Efectuar os dois testes ou o exame final 
• Participar nas aulas TP e ser participante activo nas aulas laboratoriais e na apresentação final.

Método de avaliação

 

O ensino é efectuado através de aulas teóricas, teórico-práticas (resolução de problemas) e práticas (laboratoriais).

 


 

A classificação final de cada aluno na parte laboratorial (P) desta disciplina resultará de uma ponderação dos seguintes factores:

 

  • Preparação do trabalho (informação (individual) registada no Caderno de Laboratório): A1
  • Desempenho experimental (avaliação do trabalho no laboratório): A2
  • Avaliação do Caderno de Laboratório: A3
  • Avaliação prática efectuada pelos colegas, através de uma apresentação final: B.
  • Serão efectuados 2 mini-testes práticos: C

 

 

 

Cada um destes factores será considerado para a classificação final A = (A1 + A2 + A3) / 3.

 

Cada componente tem de ser igual ou superior a 9,5 valores (escala de 20).

 

                A classificação final resultará então da seguinte expressão:

 

Classificação final da parte prática da disciplina = A x 0,30 + B x 0,1 + C x 0,60.

 

 

 

 

 

A avaliação inclui a parte teórica (70%) e a laboratorial (30%).

 

 

 

A parte teórica é avaliada por dois testes e/ou exame final, estando incluído também o parâmetro de auto-avaliação.

 

A auto-avaliação contribui (5%)  para a componente teórica.

 

Os testes tem factor de ponderação de 30% para o 1º Teste e 70% para o 2º Teste. A média dos testes terá de ser igual ou superior a 9,5 valores (escala de 20 valores).

 

 

 

Os alunos para terem frequência à Unidade de Crédito QOG A necessitam de:

 

1- Frequentar (presença) 2/3 das aulas TP efectivas.

 

2- Executar os 2 Trabalhos práticos dos Protocolos (componente prática).


Conteúdo

1.         Introdução. Conceitos fundamentais

1.1.      Origens da Química Orgânica. Compostos orgânicos e sua importância.

1.2.      Estrutura dos compostos orgânicos.

            Estrutura electrónica e molecular. Ligação covalente e hibridação.

Representações de Lewis e de Kekulé.

            Deslocalização electrónica. Ressonância. Aromaticidade

1.3.      Grupos funcionais.

            Principais classes de compostos orgânicos. Nomenclatura. Regras IUPAC.

1.4.      Propriedades físicas de compostos orgânicos .

2.         Reactividade em Química Orgânica

2.1.      Noções básicas de termodinâmica e cinética química.

Equilíbrio e velocidade reaccional. Perfil e mecanismos reaccionais. Tipos de mecanismos de reacções orgânicas.

2.2.      Acidez e basicidade de compostos orgânicos.

3.         Compostos saturados de carbono e hidrogénio

3.1.      Alcanos e cicloalcanos

            Estrutura e propriedades. Isomeria estrutural. Análise conformacional.

4.         Estereoquímica

4.1.      Isomeria estrutural e estereoisomeria.

4.2.      Quiralidade. Enanteomeria e diastereomeria. Simetria molecular. Especificação de configuração.

4.3.      Actividade óptica. Racemização. Resolução de misturas racémicas.

5.         Reacções de substituição nucleofílica e de eliminação

5.1.      Substituição nucleofílica alifática.

            Nucleofilia e basicidade.

            Mecanismos, cinética e estereoquímica.

5.2.      Reacções de eliminação.

            Mecanismos, orientação e reactividade.

5.3.      Competição substituição / eliminação.

6.         Compostos insaturados de carbono e hidrogénio

6.1.      Alcenos e alcinos

            Estrutura, nomenclatura e propriedades.

6.2.      Compostos aromáticos.

 

7. Compostos de Carbonilo

Aldeídos e cetonas.

  

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: