Diagnóstico e Conservação de Cerâmicos e Vidro

Objectivos

O objectivo principal desta unidade curricular é o de fornecer o conhecimento e as ferramentas necessárias aos alunos de modo a que estes fiquem aptos a avaliar e a diagnosticar o estado de conservação de objectos de cerâmica e de vidro: identificando as patologias que os afectam, propondo conjuntos de medidas de conservação preventiva e eventualmente delinearem uma proposta de conservação e restauro para estes materiais. Esta UC faz parte de um conjunto de UCs de diagnóstico e conservação de diversos materiais (pedra, pintura, materiais metálicos, fotografia, documentos gráficos e têxteis) oferecidos pelo 1º ciclo de estudos do DCR no âmbito de uma formação completa e de oferta alargada.

A fim de se atingirem os objectivos propostos para a UC, os alunos têm de aprender a conhecer quais os diferentes tipos de cerâmicas e vidros, bem como as suas propriedades químicas, ópticas, mecânicas e termomecânicas, aprendendo também sobre as diversas metodologias para caracterizar, reconhecer e distinguir os diferentes materiais. Os alunos ficarão também a conhecer os mecanismos de degradação destes materiais e as técnicas analíticas que podemos usar para as perceber melhor.

Para além do essencial treino das competências práticas, uma parte integrante e fundamental do treino académico é a componente de investigação. É um dos papeis fundamentais do Professor o de fomentar a participação em projectos de conservação, simpósios e palestras dadas por professores e/ou especialistas convidados. A investigação científica é uma parte vital do conceito de formação, o que aliado ao facto de esta ser uma Faculdade de Ciências e Tecnologia, faz com que seja necessário dar a conhecer ao aluno a possibilidade de seguir uma carreira cientifica dedicada à investigação.

Os alunos deverão chegar ao fim desta UC, capazes de:

  • Compreender a transdisciplinaridade do conhecimento adquirido na disciplina de diagnóstico e conservação de cerâmicos e vidro e da conservação e restauro em geral;
  • Distinguir e conhecer os diferentes tipos de vidros
  • Distinguir os vários tipos de cerâmica e a sua classificação;
  • Conhecer as diferentes técnicas de trabalhar e decorar a cerâmica e o vidro;
  • Conhecer e reconhecer as patologias que podem afectar os objectos cerâmicos e os vidros;
  • Elaborar e preencher uma ficha de diagnóstico para objectos cerâmicos e vítreos de diferentes cronologias;
  • Elaborar uma proposta de intervenção e/ou conservação preventiva baseada no diagnóstico proposto previamente.

 

Não só do programa proposto é feita a formação dos alunos, fazendo também parte do seu processo formativo o desenvolvimento de outras competências, as chamadas soft skills, tais como:

- Capacidade de trabalhar em equipa, mas também a de trabalhar e tomar decisões individualmente;

- Capacidade de estruturar o trabalho, organizando e fazendo a gestão do tempo para cumprir prazos;

- Capacidade de estruturar comunicações por escrito, bem como comunicações orais;

- Capacidade de participar em apresentações como apresentador e como audiência.

Caracterização geral

Código

7418

Créditos

6.0

Professor responsável

Inês Alexandra Ramalho Coutinho

Horas

Semanais - 5

Totais - 84

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

não se aplica

Bibliografia

Clark, D. E., Pantano, C. G., & Hench, L. L. (1979). Corrosion of Glass. New York: Books for Industry.

Koob, S. Conservation and care of glass objects. London: Archetype P, 2006. ISBN: 978-1904982081

Navarro, J., “El Vidrio”. Madrid: CSIC, 2003. ISBN: 9788400081584.

Vilarigues, M. (2008).Estudo do efeito da adição de iões metálicos na corrosão de vidros potássicos.PhD thesis UNL 

Brown, S.; Strobl, S., “A Fragile inheritance: The care of stained glass and historic glazing: a handbook for custodians”. Northampton: Church House Publishing, 2002. ISBN: 0715176005.

Buys, S.; Oakley, V. “Conservation and Restoration of Ceramics”. Oxon: Butterworth-Heinemann, 1996. ISBN: 978-0750632195

Oakley, V.L.; Jain, K.K. “Essentials in the Care and Conservation of Historical Ceramic Objects”. London: Archetype P. 2002. ISBN: 978-1873132739

Método de ensino

A metodologia que proponho tem como objectivo levar os alunos a integrarem e relacionarem o conhecimento adquirido nas outras disciplinas que fazem parte da Licenciatura em Conservação – Restauro e também introduzir conceitos e conhecimento que serão aprofundados em outras UCs, nomeadamente nas que fazem parte dos planos dos Mestrados em Conservação e Restauro e em Ciências da Conservação. Desta forma os alunos desenvolvem não só um pensamento crítico, como irão também exercitar a transdisciplinaridade que está patente nos cursos de 1º e 2º ciclos da área em questão. 

No que diz respeito às aulas teóricas, nestas serão apresentados os conteúdos e será fornecido o conhecimento respeitante ao vidro e aos cerâmicos, iniciando com o conceito de diagnóstico respeitante a estes materiais, abordando seguidamente as suas composições químicas e os seus mecanismos de degradação. Todas as aulas teóricas serão acompanhadas de um artigo, capítulo de livro ou texto de leitura obrigatória e cujo conteúdo será discutido entre os alunos e o Professor no inicio de cada aula (o artigo, capítulo de livro ou o texto serão entregues na aula anterior à de discussão do mesmo), promovendo assim uma interacção mais directa com os alunos. A leitura dos artigos/ textos pretende estimular os alunos a procurar mais informação sobre os temas abordados nas aulas, aprofundando-os e estimulando assim uma atitude muito mais motivada e interessada, o que muitas das vezes leva ao pedido de mais informação sobre determinado tema por parte do aluno. Serão seleccionados artigos/ textos que podendo ser mais antigos no seu ano de publicação, são ainda hoje consideradas obras de referência, como é o caso do artigo de Zachariasen1932, mas serão também estudados outros contributos bibliográficos mais recentes, com linhas de investigação recentes e focando as actualizações na área aqui referente. No plano abaixo descrito apresento pelo menos um exemplo de contributo bibliográfico por aula teórica.

Quanto às aulas práticas, estas serão um espaço de experimentação, demonstração e observação. Pretende promover-se a discussão de situações concretas, recorrendo a casos de estudo, promovendo assim o debate entre os alunos sobre os casos apresentados. Pretendo criar um equilíbrio entre a componente prática e a componente teórica, onde a teoria irá dar o conhecimento necessário para o desenvolvimento da prática. As experiências a realizar nas aulas e os objectos de vidro e de cerâmica que serão trabalhados pelos alunos nestas aulas irão suscitar dúvidas, levantar questões e colocar problemas que os farão reflectir, pretendendo com isto que se adquiram competências de trabalho colaborativo em grupo, mas também que os alunos sejam capazes de solucionar problemas individualmente. 

As visitas de estudo inserem-se tanto na componente teórica como na componente prática das aulas, e por isso optei por as colocar como uma actividade teórico-prática. É proposta uma visita de estudo obrigatória, e inserida no espaço das aulas desta UC. A visita poderá ser feita ao Museu Nacional de Arte Antiga ou ao Museu Caloust Gulbenkian (incluindo em ambos os espaços expositivos e de reserva), dependendo da disponibilidade de cada instituição. A escolha destas instituições recai no facto de ambas incluírem nas suas colecções materiais cerâmicos e vidros de diversos períodos cronológicos, com diversas funções e em diversos estados de conservação, permitindo assim ao Professor ajudar o aluno a “treinar o olho” e estar atento às diversas condições em que podemos encontrar os materiais cerâmicos e os vidros. Esta aula serve também o propósito de se abordar o tema dos métodos e escolhas expositivas de cada museu e como esse factor pode influenciar a integridade e o estado de conservação dos objectos. 

Com o propósito de complementar e aprofundar o conhecimento dos alunos sobre certos temas abordados nas aulas, irão ser propostas e organizadas visitas de estudo extra, fora do tempo de aulas e facultativas aos alunos. Um dos locais a serem propostos para uma visita de estudo extra será o Museu do Azulejo em Lisboa.

Finalmente, a organização de semináriosaparece como último aspecto basilar do método pedagógico aqui proposto. Os seminários surgem com o objectivo de termos uma aula lecionada pelo especialista em determinado tema a partilharem a sua experiência e conhecimento com os alunos. Estão previstos dois seminários no período das aulas, um dedicado ao vitral (dado pela Professora do DCR responsável pelo Diagnóstico de Conservação e Restauro de Vitral) e outro dedicado às propriedades termomecânicas dos vidros e dos cerâmicos (dado por um Professor do Departamento de Ciências dos Materiais, FCT NOVA). Serão propostos mais dois seminários fora do tempo de aulas que poderão por exemplo, cobrir o tema de diagnóstico e problemas de conservação em azulejos (seminário extra 1) e patologias e problemas de conservação em cerâmicas arqueológicas (seminário extra 2). Para leccionar os seminários extra posso contar com a presença de vários conservadores e arqueológos que pertencem a diversas instituições como o Centro de Arqueologia de Lisboa (CAL), e a várias câmaras municipais e com as quais tenho acordos de parceria no âmbito do projecto submetido à ultima edição dos Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico (IC&DT) em todos os Domínios Científicos 2017, da responsabilidade da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Método de avaliação

O método de avaliação irá contemplar a componente Teórica, a componente Prática e a componente do tipo Teórico-prático

Esta UC tem frequência, isto é, conjunto de condições a satisfazer pelo estudante para ter acesso a exame; O aluno terá acesso ao Exame de Recurso desde que não falte a mais de 2/3 das aulas práticas.

componente teórica pretende avaliar o conhecimento que os alunos adquiriram sobre a composição e mecanismos de degradação dos materiais cerâmicos e dos vidros. A componente teórica pode ser feita através da realização dos dois testes ao longo do semestre ou em alternativa, através do exame no final do período das aulas. É obrigatório ter aproveitamento positivo à componente teórica.

componente prática será avaliada através do desempenho nas aulas práticas e irá avaliar a qualidade do relatório de diagnóstico, tendo em conta aspectos como a correcta identificação de todas as patologias dos objectos estudados nas aulas, entre outros. É obrigatório ter aproveitamento positivo à componente prática.

Finalmente a componente Teórico-prático pretende avaliar a participação activa nas aulas através da resposta a perguntas colocadas, à qualidade dos comentários aos diversos temas e à participação e preparação dos textos que são de leitura obrigatória para cada aula e que são discutidos, em jeito de seminário no início de cada aula. A qualidade da apresentação oral do trabalho é também um factores de avaliação desta componente.

Esta UC tem 3 componentes de avaliação contínua: 2 testes de Avaliação teórica (T),  uma de avaliação prática (P, relatório do trabalho prático) e 2 componentes de avaliação Teórico-prática (a apresentação oral e discussão do relatório e a avaliação da participação nas discussões dos textos de leitura obrigatória para cada aula)Para ter aprovação à UC é necessário ter um mínimo de 9.5 valores em duas componentes, Teórica e Prática. Cada componente é avaliada numa escala de 0 a 20.

 A nota final da unidade curricular é obtida pela média das três componentes:

  • Componente Teórica vale 50% (cada teste tem um peso igual de 25%), 
  • Componente Prática vale 25% (a nota do relatório valerá 25%),
  • Componente do tipo Teórico-prático vale 25% (a apresentação oral e discussão do relatório tem um peso de 15% e a participação nas discussões dos textos de leitura obrigatória para cada aula têm um peso de 10% na nota final). 

Nota Final = (0.5*T) + (0.25*P) + (0.25*TP)

T= média dos 2 testes Teóricos ou nota do exame de recurso. 

TP= apresentação oral e discussão do relatório vale 15% e a participação nas discussões dos textos de leitura obrigatória para cada aula vale 10%

Factores como a capacidade de resolver problemas, assiduidade e pontualidade serão avaliados continuamente ao longo de todo o semestre e em todos os componentes.

Conteúdo

De seguida será apresentado o programa proposto a leccionar por aula na UC de DCCV. As componentes teórica e prática serão apresentadas em conjunto de forma a demonstrar a simbiose entre as partes. 

Por cada aula teórica será sugerida bibliografia, sendo que uma das referências será de leitura obrigatória para discussão na aula. Quando são referenciados livros como a referência de leitura obrigatória, significa que apenas um ou dois capítulos do livro serão de leitura obrigatória. Esta bibliografia será alterada e actualizada sempre que possível e que se justifique.

Na Tabela 1 é apresentado um resumo esquemático das aulas teóricas e praticas. 

Tabela 1: Resumo esquemático das aulas teóricas e das aulas práticas com os conteúdos a serem abordados por aula.

 

Aulas

Teóricas

Práticas

Vidro

Aula 1

Aula apresentação, Introdução ao Diagnóstico, Introdução ao Vidro parte 1

Ver vários tipos de vidros com diferentes composições químicas, cores, etc.; fazer contas de vidro (maçarico)

Aula 2

Introdução ao vidro parte 2

Síntese de vidros em laboratório

Aula 3

Processos de degradação do vidro

Métodos de exame e análise

Aula 4

Introdução ao Vitral, Diagnóstico de Vitral

Diagnóstico de Vitral

Cerâmica

Aula 5

Introdução à cerâmica parte 1

Estudo de pastas cerâmicas parte 1

Aula 6

Processos de degradação da cerâmica

Estudo de pastas cerâmicas parte 2; síntese de vidrados em laboratório

Cerâmica e Vidro

Aula 7

Teste 1

Ver soprar vidro

Aula 8

Diagramas de fase ternários, Propriedades termomecânicas do Vidro e da Cerâmica

Exercício sobre Diagramas de fase ternários

Aula 9

Visita de Estudo

Exercício sobre Diagramas de fase ternários

Aula 10

Conservação Preventiva, Manuseamento, Acondicionamento e Transporte.

Materiais e caixas de acondicionamento

Aula 11

Aula prática de Diagnóstico de Cerâmica e Vidro

Aula 12

Aula prática de Diagnóstico de Cerâmica e Vidro

Aula 13

Aula prática de Diagnóstico de Cerâmica e Vidro

Aula 14

Teste 2

Aula prática Diagnóstico de Cerâmica e Vidro

Aula 15

Entrega de relatórios de diagnóstico, apresentação oral e discussão dos relatórios

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: