Mestrado em Direito Forense e Arbitragem

Objetivos educativos

Este curso pretende preparar os alunos para as profissões forenses. De entre estas, a advocacia e a magistratura são as clássicas saídas do curso de Direito pelo que o Mestrado se dirige em específico para a sua aprendizagem, teórica e prática. Para além da oferta clássica, adiciona-se o ensino dos meios de resolução alternativa de letígios, em especial a arbitragem mas também a mediação. O ensino neste curso procura desenvolver competências específicas como a oralidade, o trabalho em equipa e a prática no local de trabalho (através de estágios). Privilegia-se também uma vertente internacional, com unidades curriculares lecionadas em inglês.

Caracterização geral

Código

30

Ciclo

Mestrado (2.º Ciclo)

Grau

Mestre em Direito Forense e Arbitragem

Acesso a outros cursos

A disponibilizar brevemente

Coordenador

A disponibilizar brevemente

Data de abertura

A disponibilizar brevemente

Número de vagas

A disponibilizar brevemente

Propinas

A disponibilizar brevemente

Horários

A disponibilizar brevemente

Requisitos para obtenção do grau ou diploma

A disponibilizar brevemente

Condições de acesso

Estudantes que tenham concluído uma licenciatura em estudos jurídicos e licenciados que tenham concluído ciclos de estudos de 240 ECTS noutras áreas científicas, em função do respetivo curriculum e experiência profissional.

Regras de avaliação

O mestrado em Forense e Arbitragem tem um tronco comum e duas vertentes: advocacia e magistratura. O primeiro semestre letivo é comum às duas vertentes e o segundo é separado. Os alunos deverão escolher, no fim do 1.º semestre, a vertente que querem frequentar no 2.º semestre.

O curso tem a duração de 3 semestres e 90 ECTS: dois semestres letivos (60 ECTS) e um semestre para elaboração da dissertação, frequência de estágio ou realização de trabalho de projeto (30 ECTS).

No segundo semestre, cada uma das vertentes tem um número de disciplinas obrigatórias e um conjunto de disciplinas facultativas.

No tronco comum (1.º semestre) ensinam-se matérias essenciais à prática forense e pouco desenvolvidas no 1.º Ciclo, como Insolvência, Providências Cautelares, Arbitragem e Mediação.

Na vertente advocacia (2.º semestre) privilegiam-se conteúdos procurados pela prática atual da advocacia, podendo os alunos optar por matérias de especialiação em arbitragem ou em Direito Penal e Civil.

Na vertente magistratura (2.º semestre) insere-se uma forte componente dos conteúdos da prática frequente dos nossos tribunais e que são exigidas nas provas de acesso ao CEJ: Processo Penal e Direito Penal, Responsabilidade Civil, Arrendamento, Contrato-Promessa, Família e Crianças, Direito Constitucional e Europeu. Haverá também uma disciplina específica para o treino de exames de acesso ao CEJ, quer escritos, quer orais.

A dissertação na vertente magistratura deverá consistir em análise de jurisprudência recente sobre temas habituais nas provas de acesso. Na vertente advocacia os alunos poderão, em alternativa à dissertação, obter o grau de mestre através da realização e discussão de um trabalho de projeto ou através de frequência de um estágio em instituição nacional ou internacional de resolução de conflitos, elaboração e discussão pública do respetivo relatório.

Em qualquer das vertentes, os alunos poderão obter a acreditação pública e privada enquanto mediadores, através da frequência das disciplinas de Mediação.