Epidemiologia Bioestatística e Investigação em Saúde

Objetivos educativos

O Curso de Mestrado em Epidemiologia Bioestatística e Investigação em Saúde (EPIBIS) tem como finalidades dotar os participantes de conhecimentos e metodologias de investigação epidemiológica que permitam elaborar e desenvolver de forma autónoma projetos de investigação epidemiológica, designadamente:

 a) autonomizar os participantes na colocação de questões de investigação com impacto populacional;

 b) dotar os participantes de conhecimentos sobre epidemiologia básica, avançada e aplicada a várias especialidades e doenças;

 c) fornecer conhecimentos de estatística básica e avançada para aplicação em estudos em saúde;

 d) reforçar o gosto pelo estudo e conhecimento, com o objectivo final de melhorar os cuidados prestados aos doentes;

 e) fornecer conhecimentos sobre bioética e boas práticas clínicas;

 f) desenvolver a capacidade crítica em relação aos resultados de investigação publicada e disponível;

 g) melhorar a escrita e submissão de protocolos e artigos científicos, optimizar a gestão de projetos e a gestão de equipas;

 h) adequar e optimizar a comunicação de resultados para várias audiências (científica, comunicação social, população geral).

No final do mestrado pretende-se que o estudante tenha adquirido, entre outras, a capacidade de avaliar criticamente a aplicabilidade prática de teorias, conceitos e modelos de investigação na área da saúde, de produzir e gerir investigação em serviços de saúde e efetuar a gestão de projetos desenvolver soluções bem argumentadas para problemas de investigação em serviços de saúde.

 

Caracterização geral

Código DGES

702

Ciclo

Mestrado (2.º Ciclo)

Grau

Mestre

Acesso a outros cursos

Acesso ao 3º Ciclo

Coordenador

Pedro Manuel Vargues Aguiar

Data de abertura

1-10-2020 (data a confirmar)

Número de vagas

O Curso funciona com um número máximo de 15 alunos

Propinas

As propinas são anualmente estabelecidas, disponivel em https://www.ensp.unl.pt/wp-content/uploads/2020/04/propinas-curso-de-mestrado-em-epidemiologia-bioestatitica-e-investigacao-em-saude-20-21-1.pdf

Horários

Ano 1
Unidades curriculares obrigatórias
3ª e 5ª feira | 16:30h às 22:10h
Unidades curriculares opcionais
4ª feira entre as 14.30 e as 22.10 horas e/ou sábado entre as 9.30 e as 13.10 horas.

Idioma de ensino

A disponibilizar brevemente

Requisitos para obtenção do grau ou diploma

 

1.   O EPIBIS está organizado segundo o sistema europeu de acumulação e transferência de créditos (ECTS).

2.   O número total de créditos necessário à obtenção do grau de Mestre em Epidemiologia Bioestatística e Investigação em Saúde é de 120 créditos (ECTS).

3.   Os dois primeiros semestres são estruturados em unidades curriculares a que correspondem 60 créditos (ECTS), sendo considerados dois tipos de unidades de acordo com as áreas científicas das especializações do plano de estudos em anexo:

a) Unidades curriculares obrigatórias, a que correspondem 52 créditos (ECTS)  

b) Unidades curriculares opcionais livres a que correspondem 8 créditos (ECTS)    

4.  O plano de estudos do EPIBIS é completado nos 3.º e 4.º semestres com a preparação e elaboração de um Trabalho de Projeto, a que correspondem 60 créditos (ECTS).

 

Condições de acesso

A disponibilizar brevemente

Regras de avaliação

Os elementos de avaliação poderão ser de natureza diversa, de acordo com a índole de cada unidade curricular, podendo incluir nomeadamente:

– Provas individuais escritas ou orais;

– Trabalhos individuais, ou de grupo, escritos ou orais;

– Elaboração e apresentação oral e individual de projetos e relatórios de investigação;

– Resolução de problemas práticos.

A frequência de unidades curriculares poderá implicar precedências se tal estiver consignado nas fichas de cada unidade curricular, elaboradas e devidamente publicitadas.

A classificação em cada uma das unidades curriculares integrantes do plano de estudos é efetuada na escala numérica inteira de 0 a 20 valores, implicando a aprovação:

– Presença mínima de 75% do tempo estabelecido como horas de contacto;

– Uma classificação final mínima de 10 valores resultante dos diversos elementos constituintes da avaliação estabelecidos para cada unidade curricular.

Os alunos que não tenham obtido aprovação em determinada unidade curricular poderão efetuar uma prova de recurso em data a estabelecer pelo Calendário Escolar.

a)       Cada estudante só poderá efetuar provas de recurso de Unidades Curriculares que totalizem um máximo de 8 créditos (ECTS) em cada ano letivo.

O Trabalho de Projecto é sujeito a provas públicas de discussão e avaliação por um júri designado pelo Coordenador do Mestrado, segundo diretrizes definidas pelo Conselho Científico da ENSP.

A classificação final do Trabalho de Projecto é resultante da média aritmética das classificações de cada elemento do júri, implicando a aprovação uma classificação de pelo menos 10 valores por parte de mais de metade dos seus membros.

A classificação resultante da avaliação em cada unidade curricular será afixada no prazo máximo de 30 dias após a conclusão do último elemento classificativo previsto.

O calendário de avaliações será anualmente aprovado pelo Diretor, ouvidos o Conselho Científico e o Conselho Pedagógico.

O regime de prescrições será o constante da legislação aplicável na Universidade Nova de Lisboa