História e Teorias do Jornalismo

Objectivos

a) Compreender o jornalismo enquanto campo historicamente construído e a especificidade teórica de uma “história dos media” e de uma “história do jornalismo”.
b) Relacionar os sistemas mediáticas e a produção jornalística com os sistemas económicos e políticos.
c) Analisar os diversos modelos de sistemas mediáticos, e a sua articulação com os contextos históricos, diferenciando as tradições europeias e a norte-americana.
d) Discutir os efeitos da deslocalização do trabalho jornalístico: podemos pensar o jornalismo sem a existência de redacções? Os discursos jornalísticos e o reequacionamento dos processos de selecção, em função dos impactos na profissão e nos públicos provocados pela transição para o digital. Os novos produtores de conteúdos informativos, formativos e de entretenimento, como bloguers, twiters, cidadãos e instituições podem ser considerados jornalistas? Existe jornalismo sem jornalistas? Projetar cenários para a sobrevivência do jornalismo no futuro.

Caracterização geral

Código

722011135

Créditos

10.0

Professor responsável

Carla Maria dos Santos Filipe Batista

Horas

Semanais - 3

Totais - 280

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não tem.

Bibliografia

1) BATISTA, Carla (2011), Apogeu, Morte e Ressurreição da Política nos Jornais Portugueses – do século XIX ao Marcelismo. Lisboa: Editora Escritório.
2) BATISTA, Carla; CORREIA, Fernando (2007), Jornalistas, entre o ofício e a profissão. Lisboa: Editorial Caminho.
3) CURRAN, James (1996) ‘Commercialism and Professionalism in the American News Media’, in James Curran (ed.) Mass Communication and Society. London: Arnold.
4) McNAIR, Brian (1998), The Sociology of Journalism. London: Arnold.
5) SCHUDSON, Michael (1995), The power of news. New York: Harvard University Press.

Método de ensino

As aulas serão um misto de exposição teórica por parte do docente, discussão coletiva de textos previamente distribuídos e análise prática de materiais jornalísticos.

Método de avaliação

1. Um trabalho final, estruturado como um artigo científico, ou um ensaio académico, de preferência com uma componente empírica, sobre um dos temas incluídos no programa, valendo 50% da nota, que não deverá exceder os 20 000 caracteres.(50%), 2. Uma recensão crítica de uma dos livros ou artigos da bibliografia da cadeira, ou outro relacionado que deve ser previamente comunicado à docente, valendo 25% da nota, e que não deverá exceder os 6000 caracteres.(25%), 3. A participação na aula, nomeadamente através da leitura de textos e outros materiais pedagógicos, e o contributo para a dinamização de pelo menos uma parte de uma das sessões lectivas, com entrega posterior de materiais escritos, valendo 25% da nota.(25%)

Conteúdo

Esta disciplina aborda o jornalismo como um campo social, numa dupla perspectiva: ao nível da reflexão académica (as teorias); e dos contextos sociais e culturais (a história). As teorias jornalísticas são vistas como quadros de análise da vinculação da actividade jornalística à vida social, propondo-se uma leitura crítica e uma atenção aos contextos espacio-temporais concretos, valorizando a dimensão histórica e o carácter socialmente construído, não só da produção e da recepção do jornalismo, mas também do pensamento sobre o jornalismo.
O programa inicia-se no século XIX, com o início da profissionalização e industrialização do jornalismo, o crescimento dos públicos e a progressiva consensualização de um conjunto de valores profissionais, éticos e deontológicos.