Modernismo e Modernismos na Arte do século XX

Objectivos

1) Proporcionar aos estudantes um conhecimento aprofundado sobre os principais problemas que se colocam à produção artística nacional ao longo do século XX.
2) Trabalhar os conceitos que historiograficamente definem o Moderno, a Modernidade e o Modernismo na Arte Portuguesa.
3) Aplicar os conhecimentos adquiridos e desenvolver capacidades críticas através da discussão de textos teóricos selecionados e da elaboração de um breve ensaio.

Caracterização geral

Código

722170109

Créditos

10.0

Professor responsável

Ana Margarida Duarte Brito Alves

Horas

Semanais - 3

Totais - 280

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

N/A

Bibliografia

AAVV (1982), Os Anos Quarenta na Arte Portuguesa, Lisboa, FCG
AAVV (1983), Depois do Modernismo. Lisboa: SNBA
AAVV (1994), Anos 60, Anos de Ruptura: Uma perspectiva da Arte Portuguesa nos Anos Sessenta, Lisboa: Livros Horizonte
AAVV (2001), O Surrealismo em Portugal,1934-1952, Lisboa: Museu do Chiado
ACCIAIUOLI, M. (1998), Exposições do Estado Novo, Lisboa: Livros Horizonte
ACCIAIUOLI, M. (2013), António Ferro. A Vertigem da Palavra, Lisboa: Bizâncio
FERNANDES, J., coord. (1997), Perspectiva: Alternativa Zero, Porto: Fundação de Serralves
FRANÇA, J.-A. (1991), A Arte em Portugal no século XX, Lisboa: Bertrand

Método de ensino

Trata-se de uma unidade curricular teórico-prática que combina, regularmente, uma componente expositiva e uma componente de debate em torno de cada um dos pontos do programa. Pretende-se assim aprofundar e consolidar os conhecimentos adquiridos e garantir o envolvimento crítico e activo dos alunos na discussão de textos de referência indicados pela docente.

Método de avaliação

elaboração de um trabalho individual final(70%), preparação e participação nos debates realizados nas aulas(30%)

Conteúdo

1) Do Humorismo ao Modernismo.
2) A diluição do Futurismo. Os Anos 20 e o papel das revistas e magazines na introdução de um novo gosto. A Brasileira do Chiado e as suas pinturas.
3) O Salão dos Independentes em 1930 e a importância da arquitectura no certame.
4) Política do Espírito e Bom Gosto. A acção de António Ferro no SPN/SNI. Modernismo e Nacionalismo.
5) A arquitectura nos Anos 30 e 40. A Lisboa nova e o desempenho dos arquitectos na sua construção. Os concursos para o monumento ao Infante D. Henrique em Sagres. A definição arquitectónica da Exposição do Mundo Português.
6) Neo-Realismo versus Surrealismo. A tensão Figuração /Abstracção.
7) As Rupturas dos Anos 60. Ernesto de Sousa e a Alternativa Zero (1977).
8) A exposição Depois do Modernismo (1983) e as linhas de abertura das décadas de 80 e 90.