Controvérsias na Filosofia Contemporânea

Objectivos

a) Adquirir um conhecimento básico das figuras mais relevantes do pensamento filosófico antigo e de alguns dos seus textos.
b) Adquirir uma compreensão básica da especificidade da filosofia antiga como momento de fundação e princípio da tradição filosófica.
c) Adquirir a capacidade de identificar os problemas filosóficos mais significativos do pensamento antigo.
d) Adquirir um conhecimento básico das principais linhas de desenvolvimento da filosofia antiga.
e) Adquirir a capacidade básica de situar conceitos, concepções metodológicas e posições doutrinais no contexto histórico a que pertencem.
f) Adquirir uma compreensão básica da terminologia filosófica antiga e do seu papel na génese da terminologia filosófica.
g) Adquirir a capacidade básica de ler e interpretar alguns textos fundamentais da filosofia antiga.
h) Reconhecer a importância do estudo da filosofia antiga para a compreensão de questões filosóficas actuais.

Caracterização geral

Código

722031035

Créditos

10.0

Professor responsável

António Jorge de Castro Caeiro

Horas

Semanais - 3

Totais - 280

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

N/A

Bibliografia

TEXTOS DE NIETZSCHE
http://www.nietzschesource.org/#eKGWB
http://www.thenietzschechannel.com/library/library.htm

TEXTOS DE SCHELLING
https://de.wikisource.org/wiki/Friedrich_Wilhelm_Joseph_Schelling

Método de ensino

(A) A maior parte das aulas são de exposição com espaço para a intervenção livre e obrigatória dos alunos, para o esclarecimento da leitura de passagens relevantes dos textos em análise. (C) Algumas aulas são leccionadas no chamado regime de seminário, i.e., consistem em leitura, comentário e análise de texto (com recurso a pdf projectados por computador). (C) Por fim, algumas aulas consistem na discussão, com os alunos, de matérias já expostas e dos problemas que elas levantam.

Português com apoio tutorial em língua estrangeira

 

Método de avaliação

A meio do semestre os alunos realizam uma prova de frequência (20%), Assiduidade(10%), O principal elemento de avaliação é uma segunda prova de frequência no final do semestre(70%)

Conteúdo

Há dois sentidos para o conceito de Caos, embora popularmente apenas um tenha vingado, o da ideia de desordem e confusão. O sentido primordial é o que da raiz da palavra que significa bocejo, ou abertura abismal da boca. Os dois sentidos combinados permitem a imagem de que a confusão nos suga, engole e traga. Talvez seja esse o seu único padrão. Ligada à ideia de caos não raras vezes está a ideia de destruição ou de nada. O nada de onde vem a geração e a destruição para onde regressa tudo o que veio a ser. A vontade de poder e o mito do eterno retorno do mesmo em Nietzsche bem como o conceito de Caos em Schelling são configurações que resultam do diagnóstico do caos e do nada como manifestações do ser. O caos «é», como o nada «existe», o que parece ser uma contradição nos termos. 

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: