Seminário de Especialidade em Filosofia do Conhecimento e Epistemologia

Objectivos

a) Adquirir conhecimentos aprofundados no domínio da Filosofia do Conhecimento e da Epistemologia.
b) Adquirir a capacidade de relacionar e confrontar de forma sistemática diferentes correntes da história da filosofia e da investigação filosófica atual.
c) Adquirir conhecimentos aprofundados de problemas de fronteira e/ou interdisciplinares.
d) Adquirir competências de investigação avançada na Especialidade.
e) Adquirir competências para identificar, formalizar, analisar e interpretar problemas, hipóteses, modelos, soluções, a partir de iniciativas pessoais de investigação.
f) Adquirir a capacidade de sujeitar as perspetivas próprias a um sistemático confronto com possibilidades alternativas.
g) Adquirir a capacidade de produção de textos, de acordo com o cânone académico, que possam vir a contribuir para o desenvolvimento da área de especialização.

Caracterização geral

Código

73203105

Créditos

10.0

Professor responsável

Nuno Carlos da Silva Carvalho Costa Venturinha

Horas

Semanais - 2

Totais - 280

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

N/A

Bibliografia

COHEN, S. (1987) Knowledge, Context, and Social Standards. Synthese 73: 3-26.
DeROSE, K. (2009) The Case for Contextualism: Knowledge, Skepticism, and Context. Oxford: OUP.
HAWTHORNE, J. (2004) Knowledge and Lotteries. Oxford: Clarendon Press.
ICHIKAWA, J. J., ed. (2017) The Routledge Handbook of Epistemic Contextualism. Abingdon: Routledge.
LEWIS, D. (1996) Elusive Knowledge. Australasian Journal of Philosophy 74: 549-567.
SOSA, E. (2004) Relevant Alternatives, Contextualism Included. Philosophical Studies 119: 35-65.
STANLEY, J. (2005) Knowledge and Practical Interests. Oxford: Clarendon Press.
VENTURINHA, N. (2018) Description of Situations: An Essay in Contextualist Epistemology. Cham: Springer.
WILLIAMSON, T. (2005) Contextualism, Subject-Sensitive Invariantism and Knowledge of Knowledge. The Philosophical Quarterly 55: 213-235.
WRIGHT, C. (2005) Contextualism and Scepticism: Even-handedness, Factivity and Surreptitiously Raising Standards. The Philosophical Quarterly 55: 236-262.

Método de ensino

O método de ensino adotado combina leituras e comentários de textos em seminário com a discussão de trabalhos apresentados pelos alunos.

Método de avaliação

Apresentação e discussão do trabalho em aula(40%), Trabalho escrito(60%)

Conteúdo

O Contextualismo Epistémico e os seus Críticos

O Contextualismo Epistémico (CE) procura explicar os predicados epistémicos na base dos mesmos fatores semânticos que justificam o nosso uso de adjetivos gradativos. A ideia é considerar frases da forma “S sabe que p” enquanto obedecendo a diferentes padrões epistémicos que são tornados salientes no contexto conversacional. Estes padrões podem ser mais ou menos epistemicamente exigentes e determinarão em cada caso aquilo que conta como “conhecimento”, um conceito totalmente relativo do ponto de vista contextualista. Contudo, se o CE está também comprometido com a erradicação do ceticismo radical, os seus críticos têm razão ao salientar que uma visão relativista não responde à questão cética. Este seminário discute contributos fulcrais para o CE, as principais críticas que lhe são dirigidas e um importante movimento reflexivo na epistemologia contemporânea que reage contra o contextualismo tradicional: o invariantismo sensível ao sujeito.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: