Ontotecnologias do Corpo

Objectivos

A disponibilizar brevemente

Caracterização geral

Código

722011069

Créditos

10.0

Professor responsável

Manuel Luís Bogalheiro Rocha Fernandes

Horas

Semanais - 3

Totais - 280

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável

Bibliografia

Agamben, Giorgio (1998), O poder soberano e a vida nua. Homo sacer. Lisboa: Editorial Presença
Cascais, António Fernando (2009), “O que é um dispositivo?”, in António Fernando Cascais, Nuno Nabais e José Luís Câmara Leme (orgs.), Lei, Segurança, Disciplina. Trinta anos depois de Vigiar e punir de Michel Foucault. Lisboa: Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa, pp. 31-53
Esposito, Roberto (2010), Bios. Biopolítica e filosofia. Lisboa: Edições 70
Foucault, Michel (1984), Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 3ª ed.
Foucault, Michel (1977), A vontade de saber. Lisboa: Edições António Ramos

 

Método de ensino

O método de ensino consiste na exposição teórica dos conteúdos curriculares (75%), na apresentação, análise e discussão de casos/exemplos práticos, com recurso a suporte audiovisual e digital e à análise e discussão dos projectos de investigação dos alunos (25%).

Método de avaliação

Serão objecto de avaliação a memória descritiva da investigação final(25%), apresentada, analisada e discutida na aula, e o ensaio ou relatório escrito final de investigação(75%)

Conteúdo

1. A tecnociência moderna e a manipulação do corpo
1.1 Antropotécnica e sociotécnica: Leroi-Gourhan
1.2 Filosofias e sociologias do corpo: corporeidade, processo civilizacional, habitus
1.3 O dispositivo panóptico em Michel Foucault
1.4 O dispositivo de sexualidade em Michel Foucault
1.5 A biopolítica - Michel Foucaul, Giorgio Agamben, Roberto Esposito
1.6 A manipulação biotecnocientífica dos corpos: a condição pós-humana
1.7 Biotecnociências e processos de subjetivação: De Donna Haraway à teoria queer

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: