Retórica e Jornalismo

Objectivos

a) Compreender o discurso jornalístico do ponto de vista pragmatico-argumentativo;
b) Escrutinar e analisar as categorias argumentativas e artifícios retóricos de que se serve o discurso jornalístico para construir a realidade mediática;
c) Distinguir, de um ponto de vista analítico, os planos racional e emocional do discurso jornalístico e manifestar, de um ponto de vista pragmático-argumentativo, a existência de necessárias conexões entre ambos os planos;
d) Enunciar os critérios que fundam a pretensão de racionalidade do discurso jornalístico, não obstante a natureza antinómica dos fins que norteiam o seu exercício: informar v/s captar.

Caracterização geral

Código

722011078

Créditos

10.0

Professor responsável

Dima Mohammed

Horas

Semanais - 3

Totais - 280

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável

Bibliografia

BORGES, Hermenegildo Ferreira (2007), “Espaço Público e ‘Retórica do Jornalismo’”, Retórica e Mediação – da Escrita à Internet, Covilhã, UBI;
CUNHA, Tito Cardoso (2004), Argumentação e Crítica, Coimbra: Edições Minerva,Coimbra.
PERELMAN, Chaïm e TYTECA , Lucie Olbrechts (1992) ; Traité de L´Argumentation - La nouvelle Rhétorique, 5Î édition., Bruxelles: Éditions de L´Université de Bruxelles.
TOULMIN, Stephen (1993); The Uses of Argument, Cambridge: Cambridge University Press.
WALTON, Douglas (2007), Media Argumentation: Dialectic, Persuasion and Rhetoric, Cambridge, University Press

Método de ensino

Procuramos fazer uso de uma metodologia não-directiva, estimulando e valorizando, pelo debate, a participação activa em cada sessão. Procuramos estimular a participação crítica dos alunos através da análise do discurso jornalístico do ponto de vista da pramatico-argumentativo. Componente teórica: 60% ; Componente prática: 40%.

Método de avaliação

A disponibilizar brevemente

Conteúdo

À retórica cabe, enquanto teoria geral do discurso persuasivo, a função primeira de certificar a pretensão de racionalidade do discurso jornalístico que sabemos teleologicamente orientado para a consecução de fins tão antinómicos como o de “informar”, que o compromete com a verdade, ou o de “captar” audiências, que é garante da sua própria sobrevivência.
Se o discurso jornalístico se apresenta fraccionado nesta díade de objectivos analiticamente antinómicos, também a retórica, enquanto instrumento logotécnico disponível para a sua construção e desconstrução crítica, não pode esconder a sua ínsita polaridade entre emocionalidade e razão. É esta polaridade que lhe confere, afinal, competência bastante para intervir na fundamentação racional de um discurso que tem na laboriosa e delicada coabitação de juizos de valor e de juizos de facto o segredo da sua eficácia performativa.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: