Licenciatura em História da Arte

Objetivos educativos

1) Adquirir conhecimentos teóricos em História da Arte Internacional e Arte Portuguesa, da Antiguidade à Contemporaneidade.
2) Dominar os conceitos e metodologias básicas da História da Arte.
3) Adquirir competências para a análise e identificação de obras de arte.
4) Desenvolver capacidade conceptual e crítica acerca dos objetos artísticos e sua contextualização.
5) Adquirir capacidade para utilizar os conhecimentos de História de Arte na intervenção cívica e social.
6) Aplicar conhecimentos de História da Arte na reflexão sobre a identidade cultural das diferentes sociedades.
7) Dominar os conhecimentos da História da Arte adequados ao desempenho de atividades nas áreas de Museologia e da Patrimoniologia.

Caracterização geral

Código DGES

9182

Ciclo

Licenciatura (1.º Ciclo)

Grau

Licenciado

Acesso a outros cursos

A conclusão da licenciatura (1º Ciclo) permite a candidatura a cursos de mestrado (2º Ciclo) ou outros cursos pós-graduados que não confiram grau.

Coordenador

Nuno de Carvalho Conde Senos

Data de abertura

2020-09-14

Número de vagas

A disponibilizar brevemente

Propinas

A disponibilizar brevemente

Horários

Presencial

Idioma de ensino

Língua Portuguesa

Requisitos para obtenção do grau ou diploma

Duração: 3 anos/6 semestres. O aluno tem que realizar 180 créditos: 120 créditos realizados no programa de unidades de crédito obrigatórias, 30 créditos do quadro de opções condicionadas e 30 créditos realizados em opções livres ou num minor de uma outra área científica. Semestralmente, o aluno não se deve inscrever em mais de 30 créditos, respeitando as precedências quando estas tiverem sido definidas. No início de cada semestre, o aluno será aconselhado sobre as unidades curriculares a realizar, mais adequadas ao seu percurso académico.
O grau de licenciado corresponde ao nível 6 do QNQ/QEQ - Quadro Nacional de Qualificações/Quadro Europeu de Qualificações.

Condições de acesso

O ingresso no curso pode ser efetuado através do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, dos Regimes Especiais, dos Concursos Especiais de Acesso (M23) ou dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso e Transferência. Para se candidatarem ao ensino superior através do Concurso Nacional de Acesso, os estudantes devem satisfazer as condições descritas pela Direção-Geral do Ensino Superior. Consultar http://www.dges.gov.pt/guias/?plid=593 Estudante Internacional: https://www.fcsh.unl.pt/internacional/estatuto-de-estudante-internacional/

Regras de avaliação

Ao grau de licenciado é atribuída uma classificação final, expressa no intervalo de 0 a 20, bem como no seu equivalente na escala europeia de comparabilidade de classificações. A classificação final é a média aritmética ponderada das classificações obtidas nas unidades curriculares que integram o plano de estudos do curso. Em cada unidade curricular é necessária a classificação mínima de 10 valores, também expressa numa escala de 0 a 20, para que haja aproveitamento. A atribuição da classificação ECTS numa unidade curricular ou no fim do curso é baseada na distribuição das notas obtidas pelos alunos com aproveitamento na disciplina ou curso nos três anos letivos anteriores àquele em que o aluno obteve aproveitamento. O número total de alunos aprovados ou diplomados nesse período deverá ser superior ou igual a trinta. Se este número não for atingido, o período poderá abranger cinco anos. Sempre que não seja possível obter o número mínimo de elementos na distribuição ou a nota atribuída seja uma creditação, a classificação é atribuída de acordo com a tabela, constante no ofício n.º 11196 da Direção Geral do Ensino Superior. Classificação ou qualificação final e eventual menção qualitativa (artigos 16.º e 17.º do Decreto-Lei n.º 42/2005, de 22 de fevereiro)