Literatura Portuguesa Renascentista

Objectivos

- Perspetivar as letras do Renascimento entre o Humanismo e o Maneirismo.
- Problematizar a profunda alteração quinhentista dos paradigmas estético e conceptual.
- Equacionar a criação literária portuguesa do século XVI no seu horizonte cosmopolita.
- Adquirir competências críticas para a abordagem a obras dramáticas, líricas e épicas do século XVI à luz de contributos fundamentais.
- Incentivar o aprofundamento da criação vicentina, mirandiana e de Luís de Camões a partir de referências axiais da crítica recente.
- Promover a produção e a apresentação oral e escrita de ensaios.
- Estimular o debate e o pensamento críticos visando a formação humanística e cívica.

Caracterização geral

Código

01100506

Créditos

6.0

Professor responsável

Maria Teresa Alves de Araújo

Horas

Semanais - 4

Totais - 168

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não se aplica

Bibliografia

Camões, Luís (2005). Rimas, ed. de A. J. da Costa Pimpão, Coimbra: Almedina.
______ (2016). Os Lusíadas, ed. coord. por A. Olaio e estabelecimento do texto por Rita Marnoto, Coimbra: Almedina e Colégio das Artes da Univ. de Coimbra.
Miranda, F. Sá de (1989). Poesias de Francisco de Sá de Miranda, Lisboa: INCM.
Teatro de Autores Portugueses do Séc. XVI - http://www.cet-e-quinhentos.com.
---------
AAVV (2001). História da Literatura Portuguesa. Renascimento e Maneirismo, Lisboa: Alfa.
Bernardes, J. A. Cardoso e Camões, J, (coord.) (2018). Gil Vicente. Compêndio, Coimbra, Lisboa: Imprensa da Univ. de Coimbra, INCM.
Gil, Fernando e Macedo, Hélder (1998). Viagens do Olhar. Retrospecção, Visão e Profecia no Renascimento Português, Porto, Campo das Letras.
Marnoto, Rita (2016). Sá de Miranda e a introdução de novas formas métricas, Anexo a Colóquio/Letras, n.º 191.
Silva, Vítor Manuel de Aguiar e (2011). Dicionário de Luís de Camões. Lisboa: Editorial Caminho.

Método de ensino

O conjunto das aulas terá uma componente expositiva, visando a perspetivação teórica e a reflexão sobre os modelos críticos de aproximação aos conteúdos programáticos, e uma forte vertente prática de análise e discussão das obras.

Método de avaliação

a desenvolver ao longo do semestre e a apresentar no final deste período e um teste a realizar na última parte do calendário letivo(60%), A avaliação inclui a participação e a assiduidade(20%), um ensaio(20%)

Conteúdo

1. Humanismo, Renascimento e Maneirismo.
2. A herança medieval de Gil Vicente, as suas «novas invenções» e os seus nexos com o teatro espanhol e francês: a farsa Auto da Índia e a Comédia de Rubena.
3. A renovação lírica pela imitação italiana e clássica em «maneira» peculiar: Francisco Sá de Miranda (a reflexividade dos sonetos e o imperativo moralizante e crítico das éclogas e das cartas) e Luís de Camões (a relação Natureza/experiência poética do amor e a reflexão sobre o Tempo e o «desconcerto do Mundo»).
4. Os Lusíadas no contexto português e europeu de Quinhentos e sob as alterações do paradigma hermenêutico verificadas a partir de Jorge de Sena e Eduardo Lourenço; a revisão crítica da figura Vasco da Gama.