Cinema Experimental

Objectivos

Este curso tem por objectivo o contacto com diferentes realizadores / artistas que trabalham com a matéria e linguagem do cinema dentro da sala de projeção e/ ou no contexto do museu/ galeria. Estudaremos vários corpos de trabalho fundamentais para se entender a prática do cinema experimental, a sua história, tendo em conta as suas mais variadas vertentes e ramificações. Com esta disciplina espera-se que os alunos fortaleçam os seus projetos pessoais proporcionando uma ampla reflexão e discussão em torno das obras visionadas, realçado as problemáticas que lhes estão inerentes, e as questões sociais e políticas que as motivam. Discutiremos novas estratégias contemporâneas do cinema tendo em conta linguagens, narrativas, mecanismos de percepção, a construção do espaço/tempo, o documento e a ficção, a apropriação do arquivo, a representação do outro e a "auto-ficção".

Caracterização geral

Código

7220911669

Créditos

10.0

Professor responsável

Catarina Caldas de Figueiredo Mendes Mourão

Horas

Semanais - A disponibilizar brevemente

Totais - 280

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável.

Bibliografia

  • BELLOUR, R., La Querelle des Dispositifs, Paris, P.O.L., 2012;
  • BERGER, John, 2001 “Selected Essays” Bloomsbury Publishing;
  • BRESSON, R. (1975) Notas sobre o cinematógrafo, Porto, Sudoeste, 2003. CORRIGAN, Timothy 2011 “The Essay Film, From Montaigne, After Marker” Oxford University Press;
  • FRAMPTON Hollis. 2009 On the camera arts and Consecutive Matters ed JENKINS Bruce, Cambridge: MIT Press;
  • MACDONALD, Scott. A Critical Cinema: Interviews with Independent Filmmakers. 5 vols. Berkeley: University of California Press,1988–2005;
  • MACIEL, K. (org.). 2009. “Transcinemas”. Rio de Janeiro: Contra-capa;
  • REES, A.L. [et ai.] (eds), Expanded cinema: art, performance, film. Londres, Tate, 2011;
  • SHAW, J., WEIBEL, P. (ed), Future Cinema: the Cinematic Imaginary after Film, Karlsruhe: ZKM; Londres:MIT Press, 2003;
  • RUSSELL, Catherine. 1999 “Experimental Ethnography” Duke University Press Durham London.

Método de ensino

Cinema Experimental funciona em regime de seminário, tendo igualmente uma vertente tutorial. Promove-se o debate crítico dos exercícios em sessões conjuntas e acompanha-se cada um dos trabalhos práticos dos alunos dentro da sua especificidade própria. As aulas expositivas integram a análise de obras de artistas/cineastas, assim como o debate integrado de trabalhos realizados pelos alunos dentro do campo da criação audiovisual artística. Será lançado um exercício pratico no contexto das obras visionadas e discutidas e que tem como premissa questionar a linguagem do cinema e a forma como esta implica uma visão e posição sobre o mundo. Sempre que necessário faremos visitas de estudo e serão convidados artistas visuais e/ou cineastas.

Método de avaliação

Desenvolvimento de um exercício prático.(60%), Participação oral.(40%)

Conteúdo

Esta unidade curricular articula teoria e prática e procura através de um exercício prático, refletir sobre novas práticas cinemáticas contemporâneas e o corpo de trabalhos apresentado nas aulas. Por vezes serão as obras visionadas que impulsionarão a experiência prática dos alunos, outras vezes serão as experiências dos alunos, e o campo de experimentação que lhes interessa que irão levar-nos a revisitar trabalhos de artistas relevantes para a discussão.

Temas específicos que serão abordados:

  • Origens do cinema experimental;
  • A questão do tempo: a aceleração e a desaceleração, convocando uma nova forma de experienciar o cinema do ponto de vista do espectador;
  • A questão da perceção;
  • Novas narrativas;
  • A questão autobiográfica;
  • A apropriação do arquivo.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: