Teoria de Sinais

Objectivos

Após concluir a disciplina com aproveitamento o aluno tem as seguintes capacidades: domínio dos principais conceitos e ferramentas analíticas para análise e processamento de sinais deterministicos, em tempo discreto, e sua aplicação prática; conhecimentos de análise de sinais e sistemas em tempo contínuo; compreensão dos principais aspectos da amostragem de sinais. Nesta disciplina o aluno torna-se capaz de utilizar ferramentas analíticas e computacionais na resolução de problemas reais em processamento de sinal.

Caracterização geral

Código

3748

Créditos

6.0

Professor responsável

Fernando José Almeida Vieira do Coito

Horas

Semanais - 5

Totais - 75

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

A disponibilizar brevemente

Bibliografia

Bibliografia recomendada:

Teoria de Sinais - Manuel D. Ortigueira e Fernando J. Coito - Março 2012

Outra bibliografia:
Bernd Girod, R. Rabenstein e A. Stenger, "Signals and Systems", Wiley
M. D. Ortigueira, "Processamento Digital de Sinais", Fundação Calouste Gulbenkian.
Notas das aulas Teóricas - F.Coito
Alan V. Oppenheim, "Signals and Systems", Prentice Hall
M. D. Ortigueira, Folhas teóricas de Teoria de Sinais
I.M.G. Lourtie, "Sinais e Sistemas", Escolar Editora

A. Quarteroni e F. Saleri, "Cálculo Científico com MatLab e Octave", Springer
Manual de Matlab
Introdução ao Simulink

Aulas práticas:
Colecção de Problemas resolvidos
Enunciados de Problemas
Enunciados dos trabalhos de laboratório

 

Método de ensino

A disciplina está organizada em aulas teóricas e de prática-laboratorial. Nas aulas de prática-laboratórial os conceitos introduzidos na aula teórica são aplicados, primeiro de um ponto de vista analítico e, depois, através de trabalhos práticos. Cada sequência aula teórica+prática-laboratório visa a compreensão de um tema.

Método de avaliação

A aprovação na disciplina de Teoria de Sinais pode ser obtida através de uma de duas formas alternativas:

  1. Média superior a 9.5 valores (escala 0-20 valores) na avaliação de 2 testes a realizar durante o semestre.

  2. Realização de um exame final de recurso com nota mínima de 9.5 valores . A nota obtida no exame será a nota final da disciplina.

A disciplina não tem frequência. Todos os alunos que não tenham aprovação por testes poderão ir a exame final.

Testes e Exame

Tanto os testes como o exame terão duas componentes de avaliação: componente teórico-prática e componente laboratorial. A avaliação da componente laboratorial incidirá sobre o trabalho realizado nas aulas práticas/laboratório. Esta componente corresponde a 25% de cada prova (5 valores).

Em cada prova, a componente laboratorial só tem início após a conclusão e entrega da parte teórico-prática.

 

Para efeitos de consulta, os alunos poderão levar consigo para os testes e exame uma folha A4. A folha A4 pode incluir qualquer matéria que o aluno considere útil, nomeadamente fórmulas, tabelas ou informação sobre os trabalhos laboratoriais.

Aulas práticas/laboratório

A frequência das aulas práticas/laboratório não é obrigatória.

A participação nas aulas práticas presenciais (aulas de laboratório) é limitada a alunos não repetentes.

Nas aulas de laboratório serão realizados trabalhos práticos com avaliação. Os alunos que responderem aos trabalhos das aulas ficam dispensados de responder às questões da componente laboratorial do exame e dos testes correspondentes.

Para alunos repetentes, a classificação obtida nos trabalhos práticos realizados em anos anteriores será considerada para efeitos da dispensa referida no parágrafo anterior.

Conteúdo

1  Sinais e sistemas
 2  Sistemas lineares e invariantes no tempo
 3  Transformada de Laplace
 4  Transformada Z
 5  Os sinais periódicos e a série de Fourier (DFT)
 6  Transformada de Fourier de sinais discretos
 7  A transformada de Fourier de sinais a tempo contínuo.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: