Métodos Interativos de Participação e Decisão

Objectivos

Devido à sua transversalidade disciplinar e ao crescente número de fatores reconhecidos como relevantes, as decisões em ambiente, ocorrem frequentemente situações de grande controvérsia. Perante esta realidade o especialista enfrenta situações de grande incerteza e ambiguidade, para as quais necessita de ferramentas adequadas. Os discentes devem ser capazes de: compreender as tendências que estão na origem destes processos complexos; avaliar processos de decisão; implementar e avaliar processos de participação e aplicar metodologias colaborativas de apoio à tomada de decisão.

Esta unidade curricular visa, mais especificamente:

(1) Sensibilizar e preparar os alunos para a compreensão dos aspetos chave e enquadramento conceptual de apoio processos colaborativos de decisão;

(2) Aquisição de conceitos chave para a operacionalização da participação ativa;

(3) Desenvolvimento de competências na estruturação e condução de metodologias interativa na prática;

Caracterização geral

Código

10390

Créditos

3.0

Professor responsável

Lia Maldonado Teles de Vasconcelos, Nuno Miguel Ribeiro Videira Costa

Horas

Semanais - 3

Totais - 42

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não há

Bibliografia

Breslin, J. William; Rubin, Jeffrey Z. Ed. (1995). Negotiation Theory and Practice. The Program on Negotiation at Harvard Law School. Cambridge, MA, USA

Dryzek, John S. (2000). Deliberative Democracy and Beyond. Liberals, Critics, Contestations. Cambridge University Press, Cambridge, UK

Innes, Judith E; David E Booher (2010) Planning with Complexity: An Introduction to Collaborative Rationality for Public Policy. Taylor and Francis, NY, USA

Susskind, Lawrence; McKearnan, Sarah; Thomas-Larmer, Jennifer (Ed.) (1999). The Consensus Building Handbook. A Comprehensive Guide to Reaching Agreement. Sage Publications, Inc. Thousand Oaks, CA, USA

van den Belt, M. (2004) Mediated Modeling: A System Dynamics Approach to Environmental Consensus Building. Island Press, Washington, USA

Método de ensino

Parte em formato expositório, esta UC recorre a técnicas inovadoras de ensino (Dewey, Freire) visando tornar o estudante um agente ativo. Este é encorajado a analisar/interpretar/debater/ refletir/explorar um caso real, aplicando a metodologias quantitativas/qualitativas aprendidas, consolidando os conhecimentos adquiridos e criando competências no uso dos mesmos, tutorialmente apoiado pelo docente.

Método de avaliação

A avaliação é contínua e integra as seguintes componentes: 30% Minitestes + 70% Trabalho Prático (inclui apresentação oral, trabalho escrito de grupo e trabalho individual)

Dois mini-testes, previamente marcados no CLIP, com uma duração de cerca de 60 min cada, com igual peso na nota da componente teórica-prática, em que a média respectiva terá que ser igual ou superior a 9.5; não há nota mínima exigida para cada um dos mini-testes.

Um trabalho prático cuja nota terá, também, que ser igual ou superior a 9.5, é apoiado tutorialmente pelos docentes, havendo 4 momentos ao longo do semestre em que os estudantes recebem feedback e orientações do docente contra a entrega de partes do trabalho, permitindo-lhe fazer ajustes e melhoramentos até à entrega final do documento escrito. Uma das componentes do trabalho prático é feita individualmente e entregue para discriminação positiva quando da nota final do estudante. Após a entrega do documento escrito do trabalho os alunos fazem uma apresentação oral com tempo limitado, onde são encorajados a explorar formas criativas e adequadas de comunicação.

Os 2 mini-testes são realizados em sala de aula na faculdade e em tempo real, com a presença do(s) docente(s).

Conteúdo

Governância: estruturas democráticas formais e informais. Enquadramento legal da participação. O papel da administração pública. Teoria e prática das metodologias interactivas e de participação colaborativa (3ª geração): a) identificação e avaliação de actores chave, seus interesses e percepções; b) Mapas de actores, redes relacionais e de conflito; c) Percepção e avaliação de risco; d) Técnicas de facilitação, negociação e mediação ambiental - princípios e aplicação prática. Informação, comunicação e envolvimento das populações, ONG e sector privado. Integração das metodologias interactivas em estudos/planos/projectos. Fundamentos, metodologias e ferramentas de modelação participada. Casos de estudo: abordagens qualitativas e quantitativas. Casos-estudo I - Conflitos ambientais: a) os fenómenos tipo Nimby; b) estruturação de processos participativos para a resolução de conflitos de interesses. Casos-estudo II -  Políticas de Ambiente e OT: a) desenvolvimento de políticas/estratégias; b) estruturação de processos prospectivos de geração de consensos. Novas formas de cidadania e responsabilidade social das empresas: o papel dos Engenheiros do Ambiente.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: