Introdução à Conservação e Restauro II

Objectivos

O objectivo desta disciplina é fornecer ao aluno as ferramentas teóricas necessárias que lhe permitam uma boa integração no exercício da disciplina de conservação, fomentando o desenvolvimento do juízo critico e a compreensão de princípios deontológicos, fundamentais para o exercício da profissão. Nesta perspectiva, a compreensão do percurso histórico e da evolução da disciplina é também crucial.

No final do semestre o aluno deve: 

  1. Dominar os principais conceitos que enquadram a actividade de Conservação

  2. Conhecer a evolução das principais teorias e principais teóricos que contribuíram para o desenvolvimento da disciplina da Conservação, numa perspectiva história.

  3. Conhecer a evolução da profissão, relativamente à implementação de documentos normativos e aos desenvolvimentos da formação do conservador-restaurador 

  4. Desenvolver e revelar espírito crítico, de acordo com os princípios deontológicos que regem a profissão.

  5. Desenvolver a capacidade de comunicação e de transmissão de conhecimentos.

Caracterização geral

Código

10106

Créditos

6.0

Professor responsável

Agnés Anne Françoise Le Gac Arinto, Maria da Conceição Lopes Casanova

Horas

Semanais - 4

Totais - 56

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Sem requisitos

Bibliografia

Avrami, E., Randall M. and M. de la Torre, eds. Values and Heritage Conservation: Research Report. Los Angeles: GCI, 2000.

Luciani, R., Il restauro. Storia. Teoria. Tecniche. Protagonisti. Roma: Fratelli Palombi Editori, 1988.

Martínez J., María J. Historia y teoría de la conservación y restauración artística. 2ª ed. Madrid: Tecnos, 2001.

Price, N. S., Mansfield K. Talley and Alessandra M. Vaccaro, eds.Historical and Philosophical Issues in the Conservation of Cultural Heritage. Los Angeles: GCI, 1996.

Método de ensino

A exposição teórica das diferentes temáticas, é complementada com visitas de estudo para uma análise dos bem patrimoniais e uma melhor compreensão dos principais conceitos estudados, bem como com a constituição de grupos de trabalho para pesquisa e discussão de textos e/ou bens patrimoniais, relacionados com os principais temas, que são depois apresentados pelos alunos em sessões de apresentação oral e discutidos pela turma.  

Os alunos têm também um programa individual de pesquisa, integrado nos projectos de trabalho em grupo, que serão avaliados por um relatório escrito e uma apresentação oral, individuais. Um teste final escrito avalia, individualmente, os vários temas do programa da UC.


Método de avaliação

Unidades de avaliação:

1. Avaliação contínua (10%);

2. Teste escrito (40%)

3. Caso de estudo em grupo: Apresentação oral individual (30 %) +  Relatório de grupo (20%)

Dado o plano de contingência a avaliação contínua passa a dizer respeito apenas à participação nas sessões em videoconferência e nas aulas teóricas e práticas planeadas para maio. O teste escrito poderá vir a ser substituído por orais em videoconferência, bem como a apresentações orais. O trabalho de grupo deve ser limitado a grupos de dois alunos.

O aluno deverá ter nota positiva em cada uma das unidades de avaliação para poder concluir com sucesso a disciplina.

Faz-se notar que: 

Na realização de qualquer prova, devem ainda ter em consideração o disposto no nº3 do artigo 10º do Regulamento de Avaliação da FCT NOVA, “Quando for comprovada a existência de fraude ou plágio, em qualquer dos elementos de avaliação de uma UC, os estudantes diretamente envolvidos são liminarmente reprovados na UC, (…).”

A situação de pandemia pode implicar alterações na programação e metodos de avaliação


Conteúdo

1. Principais conceitos

1.1 Definição do conceito de Património e dos conceitos de Preservação, Conservação e Restauro.

1.2.  Noções de autenticidade e significado cultural.

1.3. Ética profissional e limites da intervenção restauradora: conceito de reversibilidade e retratibilidade.

2.Evolução e filosofias da conservação 

2.1 A história do restauro e as origens da conservação como ciência.

2.2 Principais teorias do restauro: de John Ruskin a Cesari Brandi.

2.3.Novos paradigmas: de Salvador Muñoz Viñas a Frank Hassard.

3. Formação e estatuto do profissional

3.1 O papel das organizações internacionais na formação e estatuto profissional do conservadore-restaurador.

3.2 Principais documentos normativos para a Profissão.

3.3 Relação do conservador/restaurador com outras profissões: a equipa interdisciplinar.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: