Desenho

Objectivos

Sensibilizar o aluno ao facto que a disciplina do Desenho se encontra no cruzamento de diferentes saberes ligados às Ciências Humanas, Ciências Exactas e Ciência da Conservação e Restauro, levantando várias questões do foro prático, técnico, físico-químico, ideológico e estético.

Sensibilizar o aluno para a história do desenho, o fabrico artesanal e empírico dos materiais outrora utilizados, e a importância do património gráfico que nos foi legado.

Conhecer e aplicar as terminologias básicas do Desenho, bem como abordar aspectos linguísticos subjacentes aos modos de representação e a dificuldade na sua tradução em Português.

Confrontar o aluno com a distância conceptual, visual e material que existe entre o mundo perceptivo e o mundo representado.

Desenvolver a habilidade manual do aluno e a sua capacidade de trabalhar com diversos materiais e suportes.

Desenvolver a capacidade de representação bidimensional e tridimensional de objectos em diversos registos.

Desenvolver a acuidade visual e a noção de «pontos de vista», colocando o aluno em diversas situações de observação de objectos nas próprias aulas, in situ ou em museus, e ao ar livre.

 Exercitar a memória visual, a partir do domínio progressivo de formas simples e complexas, com base na sua produção repetitiva, com e sem documentos.  

Caracterização geral

Código

11005

Créditos

3.0

Professor responsável

Agnés Anne Françoise Le Gac Arinto

Horas

Semanais - 5

Totais - 70

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

n/a

Bibliografia

GOMBRICH Ernest H., Arte e Ilusão. Um estudo da psicologia da representação pictórica, São Paulo: Ed. Martins Fontes, 1995.

MASSIRONI Manfredo, Ver pelo desenho: Aspectos técnicos, cognitivos, comunicativos, Lisboa: Edições 70, 1996.

NICOLAIDES Kimon, The natural way to draw, Boston: Houghton Mifflin Company, 1941.

PARRAMÓN José M., A perspectiva na arte, Colecção Desenhar e pintar, Lisboa: Editorial Presença, 1994.

PARRAMÓN José M., Como desenhar com carvão, sanguina e giz, Colecção Desenhar e pintar, Lisboa: Editorial Presença, 1995

Método de ensino

Utilização de uma grande variedade de materiais e suportes com diferentes qualidades, em tamanhos, texturas, cores, espessuras e resistências.

Enfoque, nas aulas práticas, nas próprias técnicas e instrumentos utilizados no passado na produção de desenhos - Protocolos experimentais em laboratório.

Visitas de estudo em locais de interesse. 

Método de avaliação

A avaliação é individual e contínua, sem exame ou trabalho final.

Presença nas aulas obrigatória.

Para obter frequência, as faltas não-justificadas não podem exceder 3. 

A avaliação assenta no conjunto dos exercícios produzidos ao longo do semestre.

A classificação final corresponde à média ponderada dos trabalhos práticos. 

***

Na realização de qualquer prova, devem ainda ter em consideração o disposto no nº3 do artigo 10º do Regulamento de Avaliação da FCT NOVA, “Quando for comprovada a existência de fraude ou plágio, em qualquer dos elementos de avaliação de uma UC, os estudantes diretamente envolvidos são liminarmente reprovados na UC, (…).”

 

Conteúdo

  1. Os mecanismos sensoriais da vista e do tacto e os mecanismos cerebrais associados.
  2. Deixar uma marca num suporte – Ferramentas e suportes susceptíveis de serem utilizados nos processos de escrita e desenho.
  3. Conceitos de base do Desenho – linhas, formas, planos, contrastes, contorno, espaço positivo e espaço negativo.
  4. Linhas de composição na obra de arte – Estruturas arquitectónicas e estatuária de várias épocas – Os panejamentos como linguagem própria da Escultura – Análise morfológica do pregueado, enfoque na sua rítmica ornamental e nas variações de amplitude, que permitem definir estilos e levantar questões de autoria.
  5. Pontos de vista e perspectiva
  6. Cinzentos reais e cinzentos ópticos – Variações tonais de valores e modelado, expressão de relevos e texturas – Técnicas secas, húmidas e mistas 
  7. Repertórios de imagens e reprodução mecânica – Imitação e cópia servil.
  8. Quadrículas e escalas
  9. O modelo vivo e a sua representação – Proporções e gestual.
  10. Retrato e Auto-retrato – Verdade, semelhança e estereótipo.
  11. O impacto das lacunas nas produções artísticas e a contribuição do desenho nos processos de restituição do seu sentido.
  12. Matérias-primas e instrumentos utilizados no passado na produção de desenhos – Reconstituição de técnicas antigas pela aplicação de diversos protocolos experimentais.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: