Zoonoses emergentes causadas por tremátodes e outros helmintas

Objectivos

No final desta unidade curricular os alunos devem ser capazes de:
1. Identificar as principais zoonoses emergentes e reemergentes e com os seus agentes etiológicos.
2. Associar os principais hospedeiros intermediários com a sua distribuição geográfica.
3. Conhecer as principais técnicas aplicadas ao diagnóstico imunológico e a sua aplicabilidade.
4. Avaliar as diferentes técnicas moleculares de diagnóstico, aplicadas aos tremátodes e seus hospedeiros intermediários.
5. Selecionar os marcadores genéticos mais utilizados no estudo dos hospedeiros intermediários e a sua aplicação nos diferentes estudos epidemiológicos.
6. Explicar as diferentes abordagens das técnicas malacológicas aplicadas na colheita de moluscos durante a realização de uma saída de campo.

Caracterização geral

Código

1290028

Créditos

2

Professor responsável

Maria Manuela Calado

Horas

Semanais - Se a UC for oferecida como opcional, o horário será disponibilizado no 2º semestre

Totais - 33,5

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não se aplica

Bibliografia

• MasComa, S., Valero, A.A., Bargues; M.D., (2009). Climate change effects on trematodiases, with emphasis on zoonotic fascioloasis and schistosomiasis. Veterinary Parasitology, 163: 264280.
• Paull, S.H. and Pieter T.J. Johson., (2011). Hight temperatures enhance host pathology in a snailtrematode system: possible consequences of climate change for the emergence of disease. Freshwater Biology, 56: 767778.
• Hotez PJ, Brindley PJ, Bethony JM, King CH, Pearce EJ and Jacobson J (2008). Helminth infections: the great neglected tropical diseases. J Clin Invest. 118 (4): 1311–1321.
• Lustigman S, Prichard RK, Gazzinelli A, Grant WN, Boatin BA, McCarthy JS, Basáñez MG., (2012). A research agenda for helminth diseases of humans: the problem of helminthiases. PLoS Negl Trop Dis, 6 (4):e1582.
• Cook C.G., Zumla A.I. (2008). Manson’s Tropical Diseases, 22ª Ed. Elsevier Science, UK E: 1800 pp.

Método de ensino

Aulas teóricas (T);
Aulas teórico-práticas (TP);
Práticas laboratoriais (PL);
Saída de campo;
Seminário (S);
Orientação tutorial: geral e acompanhamento de trabalhos para avaliação.

Método de avaliação

• Seminário, seguido de discussão. Deverá incluir revisão de estratégias de controlo e uma proposta para uma situação específica.
• Análise individual crítica, por escrito, do artigo apresentado pelo seu grupo, com cerca de 2000 palavras (+200 palavras), excetuando gráficos e bibliografia. Deverá incluir análise de metodologia e resultados no contexto da literatura existente, assim como possíveis abordagens alternativas e futuras.
• A nota final será distribuída da seguinte maneira:
• Avaliação continua 10%;
• Seminário 40%;
• Comentário crítico individual escrito 50%.

Conteúdo

I. Tremátodes com importância na saúde humana e animal. Principais espécies hospedeiros intermediários e a sua importância face às alterações climáticas.
II. Tremátodes hermafroditas emergentes e reemergentes: causas e efeitos.
III. Técnicas de diagnóstico imunológico: conceitos e generalidades.
IV. Diferentes técnicas moleculares aplicadas à identificação do parasita no molusco.
V. Mecanismos de resistência em diferentes tremátodes; marcadores moleculares de resistência e mecanismos de resistência aos fármacos utilizados na terapêutica.
VI. Epidemiologia molecular: da teoria à prática. Aplicação prática de bioinformática.
VII. Introdução às técnicas malacológicas aplicadas na colheita de moluscos durante uma saída de campo.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: