Helmintologia Médica

Objectivos

No final desta unidade curricular os alunos devem ser capazes de:
1. Identificar os principais grupos de helmintas patogénicos, as suas características morfológicas diferenciais e a sua importância em saúde humana.
2. Referir os diversos fatores intervenientes na epidemiologia e transmissão dos helmintas.
3. Avaliar as repercussões do parasitismo a nível clínico, económico e social.
4. Identificar as suas formas evolutivas e a sua ação patológica no organismo humano.
5. Mencionar o impacto das helmintíases em Saúde Pública face às mudanças climáticas e ambientais.
6. Selecionar as técnicas mais adequadas ao diagnóstico laboratorial das helmintoses e executar os métodos parasitológicos mais comuns.
7. Referir as principais medidas profiláticas e de controlo das helmintoses.

Caracterização geral

Código

1290036

Créditos

11

Professor responsável

Silvana Belo

Horas

Semanais - 5

Totais - 109

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não se aplica

Bibliografia

• Cook C.G., Zumla A.I. (2008). Manson’s Tropical Diseases, 22ª Ed. Elsevier Science, UK: 1800 pp.
• Magill AG, Ryan ET, Solomon T, Hill DR (2012). Hunter's Tropical Medicine and Emerging Infectious Disease. Elsevier Inc., 1111 pp.
• Brunetti E, White AC Jr. (2012). Cestode infestations: hydatid disease and cysticercosis. Infect Dis Clin North Am., 26 (2):42135.
• Dold C, Holland CV. (2011) Ascaris and ascariasis. Microbes Infect. 13(7):6327.
• Mas Coma S, Valero MA, Bargues MD (2009). Climate change effects on trematodiases, with emphasis on zoonotic fascioliasis and schistosomiasis. Vet. Parasitol. 163:264–280.
• Lustigman S, Prichard RK, Gazzinelli A, Grant WN, Boatin BA, McCarthy JS, Basáñez MG.(2012). A research agenda for helminth diseases of humans: the problem of helminthiases. PLoS Negl Trop Dis, 6 (4):e1582.
• Taylor MJ, Hoerauf A, Bockarie M. (2010). Lymphatic filariasis and onchocerciasis. Lancet. 376 (9747):117585.

Método de ensino

• Aulas teóricas (T);
• Aulas teórico-práticas (TP);
• Práticas laboratoriais (PL);
• Seminários (S);
• Orientação tutorial: geral e acompanhamento de trabalhos para avaliação.

Método de avaliação

• Avaliação contínua das aulas práticas através de preenchimento de fichas individuais referentes às aulas ministradas ou um questionário sobre a matéria já lecionada.
• Seminários, em grupo e individual, seguidos de discussão.
• Duas avaliações teóricas e duas práticas.
• A nota final será distribuída da seguinte maneira: 10% avaliação contínua; 25% seminários; 25% exame prático; 40% exame teórico.

Conteúdo

I. Introdução á Helmintologia Médica. Aspetos morfológicos e fisiológicos nos diferentes filos. Helmintas parasitas do Homem e animais: ciclos de vida e hospedeiros. Moluscos hospedeiros intermediários esua importância na relação parasita-hospedeiro.
II. Helmintoses causadas por céstodes intestinais e tecidulares. Hidatidose e cisticercose.
III. Helmintoses causadas por tremátodes hepatobiliares, intestinais, pulmonares e dos vasos sanguíneos: Schistosoma spp e seus hospedeiros intermediários.
IV. Helmintoses causadas por nemátodes intestinais, viscerais e tecidulares: Geohelmintoses e Síndromes de Larva migrante.
V. Helmintoses transmitidas por vetores: Filarioses.
VI. Modelos animais de nemátodes: Caenorhabditis elegans.
VII. Controlo integrado de helmintoses.
VIII. Métodos de diagnóstico laboratorial das helmintoses. I - Métodos diretos. II - Métodos indiretos: imunológicose moleculares. Observação e identificação de formas parasitárias.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: