História da Música - de 1950 à atualidade

Objectivos

No final da disciplina os estudantes devem:
a) ter adquirido competências metodológicas e conceptuais na área da História da Música; conhecer a literatura específica nos domínios da história e cultura da música desde a II Grande Guerra; 
b) conhecer as principais problemáticas, tendências estilísticas, agentes, instituições, práticas e discursos, géneros musicais respeitantes ao período considerado;
c) ser capaz de contextualizar do ponto de vista histórico, cultural, sociológico e estético os fenómenos musicais relativos ao período em questão;
d) conhecer aprofundadamente o repertório musical, musico-teatral e multimédia do período considerado e saber integrá-lo num contexto de produção artística e intelectual, e nos respetivos quadros socioculturais;

e) dominar as metodologias atuais de apresentação e comunicação de resultados da investigação.

Caracterização geral

Código

01100413

Créditos

6.0

Professor responsável

Paula Cristina Roberto Gomes Ribeiro Brandão

Horas

Semanais - 4

Totais - 168

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável

Bibliografia

COOK, Nicholas e POPLE, Anthony. 2004. The Cambridge history of 20th-century music. Cambridge: Cambridge University Press.

COOK, Nicholas, Monique Ingalls e David Trippett. eds. 2019. The Cambridge companion to music in digital culture. Cambridge: Cambridge University Press.

GRIFFITS, Paul. 2010. Modern music and after. 3rd ed. Oxford: Oxford University Press.

ROSS, Alex. 2007. The rest is noise, listening to the 20th century. NY: Farrar, Straus, Giroux.

TARUSKIN, Richard. 2010. Music in the late twentieth century, Oxford, Oxford University Press.

CARVALHO, M. V. 2007. A tragédia da escuta. Luigi Nono e a música do século XX. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda.

CASTELO-BRANCO, S. ed. 2010. Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX. 4 vols. Lisboa: Círculo de Leitores

Método de ensino

As sessões incluem dimensões expositivas, audições e audiovisualizações, estudos de caso e resolução de problemas, debates, entre outras. A participação dos estudantes é fundamental no processo de aquisição e produção de conhecimento ao longo das sessões. São disponibilizados meios de auto-diagóstico e avaliação. São fornecidas um conjunto de referências de base, incluídas nos Materiais de Apoio do Nónio e recomendações de leitura e audição semanalmente. Os estudantes podem seleccionar um de dois modos de avaliação, ou através da realização de 2 testes, ou 1 teste e um trabalho e respetiva exposição-discussão. 

O estudante pode optar por 1 das 2 modalidades de avaliação em baixo identificadas.

Modalidade A)

45% - 1 teste escrito

10% - participação nas aulas, nos exercícios e discussões

45% - 1 trabalho de investigação e síntese, que deve resultar na escrita de um paper (3000-4000 palavras), e na sua exposição e discussão. O trabalho é constituído por um índice,  introdução, corpo do texto e conclusão, sendo depois incluída a bibliografia (e documentação em geral) utilizada, e eventuais anexos. 

Modalidade B)

45% + 45% - 2 testes escritos 

10% - participação nas aulas, nos exercícios e discussões. (nas 1as sessões prevê-se um conjunto de breves exposições) 

A assiduidade e participação são tidas em contas em ambas as modalidades, sendo aferida pelo número de presenças, intervenção nas aulas e em exercícios coletivos e debates.

Normas a utilizar: Chicago B (autor-data).

Método de avaliação

Métodos de Avaliação - Participação nas aulas, nos exercícios e discussões(10%), Teste escrito(45%), Trabalho de investigação e síntese, que deve resultar na escrita de um paper (3000-4000 palavras), e na sua exposição e discussão. O trabalho é constituído por um índice, introdução, corpo do texto e conclusão, sendo depois incluída a bibliografia (e documentação em geral) utilizada, e eventuais anexos(45%)

Conteúdo

I Da II Grande Guerra à queda do muro de Berlim

1) Vida musical durante a II Guerra Mundial. Propaganda, resistência e exílio. Consequências para a 2ª metade do século XX e o século XXI.

2) A formação de uma vanguarda internacional durante a Guerra Fria. A ascendência de Varèse, Webern e Messiaen nas gerações emergentes. O serialismo integral em Darmstadt e a sua expansão internacional. Nono, Boulez e Stockhausen.

3) Indeterminismo e abertura: Cage, Rauschenberg, Cunningham e a escola de Nova York. Experimentação e transgressão: happenings, Fluxus - Ono, Kaprow, Maciunas, Beuys. Jorge Peixinho.

4) Pensar a música na revolução cultural e política das décadas de 1960 e 1970. A expansão do rock, a arte e a música pop, o minimalismo, o jazz, a canção de intervenção. Woodstock, Maio de 68 e 25 Abril.

5) A expansão das tecnologias do som e da imagem na exploração do espaço sonoro e audiovisual: Varèse, Stockhausen, Berio, Maderna, Schaeffer, Xenakis. Emergência e expansão da informática musical. O espectralismo e o IRCAM.

6) Marcos do desenvolvimento dos audiovisuais (designadamente, do cinema e televisão) até à década de 1990.

7) Do teatro musical à ópera passando pelo musical da Broadway (Kagel, Constança, Britten, Bernstein, Aperghis, Tinoco, Pinho Vargas, Soldado, Côrte-Real, Heiner Goebbels e outros).

II De 1991 à atualidade

8) Pós-modernismos e outros rumos da música na transição entre os sécs. XX e XXI. Repensar o 'novo' e a 'história' depois da 'morte do autor'. Intertextualidade, poliestilismo e multiculturalidade. Rochberg, Berio, Ligeti, Schnittke, Pinho Vargas, Adams, Tinoco, Carrapatoso, entre outros. 

9) Desafios da música na era digital: novos modelos de produção, circulação e escuta musical no processo de expansão dos novos media e de enraizamento da sociedade em rede. Comportamentos e tendências da música no quotidiano atual. Do surgimento do streaming à era Covid 19.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: