Culturas Musicais em Portugal

Objectivos

Esta disciplina pretende dar aos alunos um panorama geral da emergência do Fado a partir dos processos de mudança nas práticas musicais urbanas em Portugal na viragem para o século XIX, bem como do desenvolvimento ulterior do género até aos nossos dias. Propõe-se um modelo de periodização e caracterizam-se as sucessivas etapas do percurso histórico do Fado, procurando abordá-las a partir do respectivo contexto sócio-cultural e detectar em cada uma delas os seus processos de mudança estética e técnica interna em termos dos principais protagonistas, do repertório, das convenções poético-musicais e das práticas performativas.

Caracterização geral

Código

711021082

Créditos

6.0

Professor responsável

Rui Fernando Vieira Nery

Horas

Semanais - 4

Totais - 168

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não tem

Bibliografia

Brito, J. P. (Ed.) (1994). Fado: Vozes e Sombras. Lisboa: Lisboa 94-Electa.
Castelo-Branco, S. (Ed.) (2010). Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX, 4 vols. Lisboa: Círculo de Leitores.
Nery, R. V. (2012). Para uma História do Fado. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 3ª ed. 
Nery, R. V. (2012). Fado: Um Património Vivo. Lisboa: CTT. 

Método de ensino

Os tópicos são apresentados pelo docente e discutidos na aula. As abordagens teóricas são complementadas pela análise das partituras mais antigas de Fado e pela audição comentada de exemplos gravados.

Método de avaliação

Método de avaliação - Os alunos apresentam uma recensão crítica comparando várias interpretações de melodias tradicionais de Fado(40%), e participam num teste final de recapitulação da matéria abordada (60%)

Conteúdo

1. Cançoneta, Modinha e Lundum no salão burguês luso-brasileiro do final do Antigo Regime.

2. O Fado dançado afro-brasileiro e a sua chegada a Lisboa.

3. O Fado nos circuitos boémios e marginais de Lisboa. O mito fundador da Severa.

4. Expansão social do Fado: Revista e Teatro Musical; edições para uso doméstico; emergência do Fado operário e republicano.

5. A transição para o século XX: renovação poética e musical; arranque da indústria discográfica; novos locais de apresentação profissional.

6. O Fado no Estado Novo: censura; carteira profissional; licenciamento de recintos performativos; rede das casas de Fado; debate ideológico e político sobre o género.

7. Os processos de internacionalização e a renovação poético-musical das décadas de 1960 e 70. O impacte do 25 de Abril de 1974. A crise do sector no Portugal democrático.

8. O ressurgimento das décadas de 1980 e 90: "Novo Fado" e entrada na World Music. A candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO).

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: