Mestrado em Ordenamento do Território e Sistemas de Informação Geográfica

Objetivos educativos

O curso tem os seguinte objectivos: Objectivos gerais -Contribuir para uma cultura de compreensão e análise do território; -Contribuir para melhorar as práticas de Ordenamento do Território; -Contribuir para a formação ao longo da vida num contexto de mudança; -Contribuir para actuações coordenadas do ensino por e-Learning em Portugal. Objectivos específicos -Fornecer um corpo teórico sólido sobre o ordenamento do território, com enfoque no caso português; -Fornecer competências que permitam uma actualização permanente em ordenamento do território; -Assegurar os conhecimentos teóricos e as técnicas necessárias à aplicação de Sistemas de Informação Geográfica ao ordenamento do território; -Contribuir para uma cultura de compreensão e análise do território. -Contribuir para actuações coordenadas do ensino por e-Learning em Portugal, nomeadamente do Ordenamento do Território e dos Sistemas de Informação Geográfica

Caracterização geral

Código DGES

M505

Ciclo

Mestrado (2.º Ciclo)

Grau

Mestre

Acesso a outros cursos

Acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de doutor. Sobre as condições específicas de acesso, consulte-se as normas regulamentares dos cursos de doutoramento da NOVA FCSH.

Coordenador

Rui Pedro de Sousa Pereira Monteiro Julião

Data de abertura

2021-09-20

Número de vagas

20

Propinas

1300 Euros/ano ou 2700 Euros/ano (para estudantes estrangeiros)

Horários

E-learning

Idioma de ensino

Língua Portuguesa

Requisitos para obtenção do grau ou diploma

Duração: 2 anos/4 semestres
Créditos totais: 120 créditos (60 em unidades curriculares + 60 na componente não letiva).
Modalidades de componente não letiva: Dissertação ou Trabalho de Projeto ou Estágio com Relatório.
O grau de mestre corresponde ao nível 7 do QNQ/QEQ - Quadro Nacional de Qualificações/Quadro Europeu de Qualificações.



Competências:

1. Conhecimento dos meios e processos técnicos e científicos para a elaboração, execução e gestão de instrumentos de gestão territorial com recurso a Sistemas de Informação Geográfica;
2.Capacidade de avaliação, científica e técnica, de estudos e projectos de Ordenamento do Território em Sistemas de Informação Geográfica;
3. Capacidade de liderança, negociação e comunicação na elaboração, execução e gestão de estudos de Ordenamento do Território em Sistemas de Informação Geográfica;
4. Conhecimento dos objetivos, problemas e soluções de Ordenamento do Território, em diferentes contextos e escalas;
5. Capacidade para aplicar as principais metodologias de planeamento territorial;
6. Compreensão da inter-relação entre instrumentos de gestão territorial;
7. Domínio das técnicas de monitorização de instrumentos e de processos de gestão do território;
8. Aplicação de metodologias e técnicas de aquisição, estruturação e gestão de informação geográfica e de análise espacial;
9. Aplicação de conhecimentos na resolução de questões novas e/ou complexas, em contextos multidisciplinares;
10. Domínio de software de Sistemas de Informação Geográfica e Detecção Remota para os sectores público e privado.

Condições de acesso

As condições de acesso e ingresso no ciclo de estudos refletem as condições estabelecidas na legislação nacional, nomeadamente: -ser titular do grau de licenciado ou equivalente legal; -ser titular de um grau académico superior estrangeiro reconhecido pelo Conselho Científico da NOVA FCSH; -ser detentor de um currículo académico, científico ou profissional reconhecido pelo Conselho Científico da NOVA FCSH. Os candidatos são selecionados e seriados tendo em conta os critérios definidos anualmente no edital de candidatura.

Regras de avaliação

Ao diploma de pós-graduação é atribuída uma classificação final no intervalo de 10-20 de escala numérica inteira de 0 a 20, bem como o seu equivalente na escala europeia de comparabilidade de classificações. A classificação final do diploma de pós-graduação é a média, por crédito, das classificações obtidas nas unidades curriculares em que o aluno realizou os 60 créditos da componente curricular do mestrado. Ao grau de mestre é atribuída a classificação final no intervalo de 10-20 de escala numérica inteira de 0 a 20, bem como o seu equivalente na escala europeia de comparabilidade de classificações. A classificação final do grau de mestre será a média da classificação final da componente curricular do curso, com o peso de 40%, e da classificação atribuída à dissertação, ou ao trabalho de projeto ou ao estágio com relatório, com o peso de 60%.