Estruturas de Betão Armado I

Objectivos

A disciplina tem como objectivos introduzir a aprendizagem sobre estruturas de betão armado. São apresentados os materiais e as suas características relevantes para o comportamento estrutural, e referidos aspectos relacionados com a durabilidade das estruturas de betão armado e com a filosofia de segurança aos estados limites.
São apresentadas técnicas de análise e dimensionamento de elementos estruturais lineares, tirantes, vigas e pilares, para os estados limite últimos de resistência e de deformação, e para os estados limites de utilização. É também apresentada e discutida a pormenorização destes elementos estruturais.
São referidos o dimensionamento e a pormenorização das estruturas de betão armado quando sujeitas às acções dos sismos e do fogo.
Sempre que possível será realizada uma visita a uma obra e/ou realizado o ensaio de uma viga de betão armado à flexão.

Nesta disciplina são referidos, e utilizados como base de trabalho, os Eurocódigos estruturais relativos às estruturas de betão, designadamente os EN1990, EN1991-1, EN1992-1 e EN1998-1.

Caracterização geral

Código

10443

Créditos

6.0

Professor responsável

António Manuel Pinho Ramos, Valter José da Guia Lúcio

Horas

Semanais - 9

Totais - 70

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Para frequentar esta disciplina, recomenda-se que os alunos tenham conhecimentos sólidos em Resistência de Materiais.

Bibliografia

- EN1990 – Eurocode Bases of Structural Design

- EN1991-1 - Eurocode 1 – Actions on structures

- EN1992-1-1 - Eurocode 2 – Design of concrete structures

- EN1998-1 - Eurocode 8 – Design of structures for earthquake resistance

- Apresentações das Aulas.

Método de ensino

A unidade curricular é composta, semanalmente, por duas aulas teórico-práticas com uma duração de 2:30h cada.

Durante as aulas serão expostas as matérias, proporcionando se aos alunos os conhecimentos fundamentais e suas aplicações. São usados como elemento de apoio apresentações em PowerPoint.

As aulas têm como objetivo a consolidação e aplicação dos conhecimentos e pretende-se que sejam os alunos a resolver os problemas. O docente acompanhará a resolução dos problemas propostos, esclarecendo as dúvidas que forem surgindo.

A avaliação é feita através de um exame final, mini testes e dos trabalhos realizados nas aulas.

 

Método de avaliação

AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS DE
ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO I

A avaliação de conhecimentos terá, essencialmente, duas componentes: a avaliação contínua, realizada ao longo do semestre nas aulas teórico-práticas, e provas escritas (dois Mini-testes na Época Normal ou um Exame de Época de Recurso).

1. Época Normal

2 Mini-testes: NE = (1ºMT + 2ºMT) / 2 ≥ 7.5         Classificação: de 0 a 20 valores

2. Época de Recurso

Exame de Recurso: NE ≥ 7.5                            Classificação: de 0 a 20 valores

3. Avaliação contínua

Avaliação das aulas práticas Ac ≥ 7.5 valores         Classificação: de 0 a 20 valores

A avaliação contínua Ac será composta pela classificação dos Trabalhos, pela assiduidade dos alunos e pela apreciação do docente.

Nas aulas serão efetuados Trabalhos individuais, dos quais serão escolhidos aleatoriamente alguns para a avaliação contínua.

4. Classificação Final

NFinal = 0.8xNE + 0.2xAc ≥ 9.5

Os alunos "trabalhador-estudante" poderão ser dispensados da avaliação contínua se o solicitarem por escrito ao Regente da disciplina. Nesse caso NFinal = NE.

Os alunos com classificação final superior a 16 valores terão de efetuar uma prova oral. Caso não compareçam, a nota final será 16 valores.

5. Observações

Nos Mini-testes da Época Normal e no Exame da Época de Recurso é permitida apenas a consulta das Normas, de tabelas e das Apresentações das Aulas.

Conteúdo

1.   Introdução ao betão armado
2.   Acções
3.   Propriedades dos materiais
4.   Filosofia de segurança aos estados limites
5.   Durabilidade
6.   Estados limite últimos de resistência à tracção e à compressão
7.   Estado limite último de resistência à flexão simples
8.   Estado limite último de resistência ao esforço transverso
9.   Disposições construtivas relativas a vigas
10. Estados limite de fendilhação
11. Estados limite de deformação
12. Estados limite últimos de resistência à flexão composta com esforço normal e à flexão desviada
13. Estados limite últimos devido a deformação estrutural
14. Disposições construtivas relativas a pilares
15. Cálculo e pormenorização de paredes resistentes
16. Estado limite último de resistência à torção