História da Música - de 1950 à atualidade

Objetivos

No final da disciplina os estudantes devem:
a) ter adquirido competências metodológicas e conceptuais na área da História da Música; conhecer a literatura específica nos domínios da história e cultura da música desde a II Grande Guerra; 
b) conhecer as principais problemáticas, tendências estilísticas, agentes, instituições, práticas e discursos, géneros musicais respeitantes ao período considerado;
c) ser capaz de contextualizar do ponto de vista histórico, cultural, sociológico e estético os fenómenos musicais relativos ao período em questão;
d) conhecer aprofundadamente o repertório musical, musico-teatral e multimédia do período considerado e saber integrá-lo num contexto de produção artística e intelectual, e nos respetivos quadros socioculturais;

e) dominar as metodologias atuais de apresentação e comunicação de resultados da investigação.

Caracterização geral

Código

01100413

Créditos

6.0

Professor responsável

Paula Cristina Roberto Gomes Ribeiro Brandão

Horas

Semanais - 4

Totais - 168

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Não aplicável

Bibliografia

BIBLIOGRAFIA PRINCIPAL


COOK, Nicholas e POPLE, Anthony. 2004. The Cambridge history of 20th-century music. Cambridge: Cambridge University Press.


COOK, Nicholas, Monique Ingalls e David Trippett (eds). 2019. The Cambridge companion to music in digital culture. Cambridge: Cambridge University Press.


GRIFFITS, Paul. 2010. Modern music and after. 3rd ed.. Oxford: Oxford University Press. [tradução portuguesa da 1ª edição] GRIFFITS, Paul, A música moderna, Jorge Zahar, 1987.


ROSS, Alex, The rest is noise, listening to the 20th century, NY, Farrar, Straus, Giroux, 2007. (há uma tradução para português)


TARUSKIN, Richard. Music in the late twentieth century, Oxford, Oxford University Press, 2010.


No Nónio encontram-se não só estas referências como outros textos de apoio aos trabalhos e ao estudo dos diversos tópicos em estudo na disciplina.


 


OUTRAS REFERÊNCIAS ACONSELHADAS


CARVALHO, Mário Vieira de. 2007. A tragédia da escuta — Luigi Nono e a música do século XX. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda.


CASTELO-BRANCO, Salwa (ed). 2010. Enciclopédia da Música em Portugal no século XX, 4 vols. Lisboa: Círculo de Leitores.


BOSSEUR, Jean-Yves. 1990. Revoluções Musicais. Lisboa: Caminho da Música.


GOLDBERG, Roselee. 2012. “Arte ao vivo de 1933 à década de 1970”. A arte da performance. Orfeu negro. (publicado pela primeira vez em 1979)


NATTIEZ, Jean-Jacques (ed.). 2003. Musiques du XXe siècle (Musiques. Une encyclopédie pour le XXIe siècle I). Arles/Paris: Actes Sud/Cité de la musique.


NERY, Rui Vieira e Castro, Paulo Ferreira de. 1991. História da Música – Sínteses da Cultura Portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda.


RAPOSO, Eduardo M. 2007. 1960-1974 – Canto de intervenção. 3ª edição. Lisboa: Público.


4 volumes de escritos e entrevistas de compositores, editados pelo CESEM e Casa da Música, coordenados por Paulo de ASSIS.


2015. Luigi Nono – escritos e entrevistas.


2010. Jorge Peixinho – escritos e entrevistas.


2011. Emmanuel Nunes– escritos e entrevistas.


2012. Pierre Boulez – escritos seletos.

Método de ensino

As sessões incluem dimensões expositivas, audições e audiovisualizações, estudos de caso e resolução de problemas, debates, entre outras. A participação dos estudantes é fundamental no processo de aquisição e produção de conhecimento ao longo das sessões. São disponibilizados meios de auto-diagóstico e avaliação. São fornecidas um conjunto de referências de base, incluídas nos Materiais de Apoio do Nónio e recomendações de leitura e audição semanalmente. Os estudantes podem seleccionar um de dois modos de avaliação, ou através da realização de 2 testes, ou 1 teste e um trabalho e respetiva exposição-discussão. 


 

Método de avaliação

O estudante pode optar por 1 das 2 modalidades de avaliação em baixo identificadas. A escolha deverá estar concluída até dia 10 outubro.


Inscrição na modalidade de avaliação: https://forms.gle/RkiZDsRdtCuQmk4x9


Modalidade A)


45% - 1 teste escrito, 17 novembro


10% - presença e participação nas aulas, nos exercícios e discussões (nas 1as sessões prevê-se um conjunto de breves exposições)


45% - 1 trabalho de investigação e síntese realizado em grupo, entre 2 e 4 elementos, que deve resultar na escrita de um paper e na sua exposição e discussão. O trabalho é constituído por um índice, introdução, corpo do texto e conclusão, sendo depois incluída a bibliografia (e documentação em geral) utilizada, e eventuais anexos. Normas a utilizar: Chicago B (autor-data).


Dimensão: A dimensão do trabalho situa-se entre 2500 palavras (2 elementos) e 4500 (4 elementos). [em casos excepcionais poderá ser produzido individualmente]


Entrega de plano de trabalho para o trabalho/paper final: até 18 outubro


Exposições de trabalhos: aulas de janeiro


Entrega de trabalho final: 14 janeiro 2023


Modalidade B)


45% + 45% - 2 testes escritos


10% - presença e participação nas aulas, nos exercícios e discussões.


Testes: 17 novembro e 15 dezembro


A assiduidade e participação são tidas em contas em ambas as modalidades, sendo aferida pelo número de presenças, intervenção nas aulas e em exercícios coletivos e debates, inclusivamente nas exposições de trabalhos.


 ---


Horário geral da licenciatura


chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/https://www.fcsh.unl.pt/static/documentos/horarios/licenciatura/aulas/Ciencias_Musicais_Licenciatura.pdf

Conteúdo

(Em atualização)


I Da II Grande Guerra à queda do muro de Berlim


1) Vida musical durante a II Guerra Mundial. Propaganda, resistência e exílio. Consequências para a 2ª metade do século XX e o século XXI.


2) A formação de uma vanguarda internacional durante a Guerra Fria. A ascendência de Varèse, Webern e Messiaen nas gerações emergentes. O serialismo integral em Darmstadt e a sua expansão internacional. Nono, Boulez e Stockhausen.


3) Indeterminismo e abertura: Cage, Rauschenberg, Cunningham e a escola de Nova York. Experimentação e transgressão: happenings, Fluxus - Ono, Kaprow, Maciunas, Beuys.  


4) Pensar a música na revolução cultural e política das décadas de 1960 e 1970. A expansão do rock, a arte e a música pop, o minimalismo, o jazz, a canção de intervenção. Woodstock, Maio de 68 e 25 Abril. 


5) A expansão das tecnologias do som e da imagem na exploração do espaço sonoro e audiovisual: Varèse, Stockhausen, Berio, Maderna, Schaeffer, Xenakis. Marcos do desenvolvimento da eletrónica e dos audiovisuais (designadamente, do cinema e televisão) até à década de 1990. Emergência e expansão da informática musical. O espectralismo e o IRCAM.


6) Interseções portuguesas pós-Darmstadt e pós-25 de abril (Peixinho, Nunes, etc.)


7) Teatro Música, teatro instrumental e ópera passando pelo musical da Broadway (Constança Capdeville, Kagel, Britten, Bernstein, Aperghis, Tinoco, Pinho Vargas, Soldado, Côrte-Real, Heiner Goebbels e outros).


II De 1991 à atualidade


8) Pós-modernismos e outros rumos da música na transição entre os sécs. XX e XXI. Repensar o 'novo' e a 'história' depois da 'morte do autor'. Intertextualidade, poliestilismo e multiculturalidade. Rochberg, Berio, Ligeti, Schnittke, Pinho Vargas, Adams, Tinoco, Carrapatoso, entre outros. 


9) Desafios da música na era digital: novos modelos de produção, circulação e escuta musical no processo de expansão dos novos media e de enraizamento da sociedade em rede. Comportamentos e tendências da música no quotidiano atual. Do surgimento do streaming à era Covid 19.

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: