Modelação de Sistemas e Processos

Objetivos

No final desta unidade curricular o estudante terá adquirido conhecimentos, aptidões e competências que lhe permitam modelar processos organizacionais tais como contexto de sistemas de software e ainda desenvolvimento baseado em modelos de modelos de software. Em particular, os alunos devem:

  • Compreender o papel dos modelos no desenvolvimento de software; modelos BPM e SysML; ferramentas de apoio à modelação; técnicas para modelação de reutilização em larga escala.
  • Ser capaz de usar eficazmente as ferramentas acima para especificar modelos de software.
  • Conhecer os conceitos e as técnicas de modelação de processos de negócio e sistemas. 

Caracterização geral

Código

12543

Créditos

6.0

Professor responsável

Ana Maria Diniz Moreira, João Baptista da Silva Araújo Júnior

Horas

Semanais - 4

Totais - 52

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

Ter conhecimento básico de Engenharia de software.

Bibliografia

Scheer, August-Wilhelm. ARIS—business process modeling. Springer Science & Business Media, 2012.

Friedenthal, Sanford, Alan Moore, and Rick Steiner. A practical guide to SysML: the systems modeling language. Morgan Kaufmann, 2014.

Software Engineering, I. Sommerville, Addison-Wesley, 10th edition, 2015.

Axel van Lamsweerde, Requirements Engineering: From System Goals to UML Models to Software Specifications 1st Edition, Wiley, 2009

Pohl, Klaus, Günter Böckle, and Frank J. van Der Linden. Software product line engineering: foundations, principles and techniques. Springer Science & Business Media, 2005.

Método de ensino

Nas aulas teóricas são leccionados os conceitos teóricos e nas aulas laboratoriais, que serão realizadas com recurso a ferramentas capazes de executar os modelos leccionados. são aplicadas as matérias leccionadas nas aulas anteriores.

No início da aula os alunos receberão o planeamento dos tópicos do programa e a especificação dos trabalhos práticos. É dado um prazo para a entrega dos trabalhos.

As aulas teóricas são dadas em sala de aula equipada com projetor e slides em Powerpoint.

As aulas práticas são realizadas em salas equipadas com computadores e projetor.

A avaliação divide-se nas partes obrigatórias: um trabalho prático entregue em 2 fases; 2 testes. Os trabalhos práticos e os ensaios são realizados em grupo e os testes, individualmente (ver métodos de avaliação).

Método de avaliação

A avaliação divide-se nas partes obrigatórias: um trabalho prático entregue em 2 fases; 2 testes. Trabalhos práticos e ensaios são feitos em grupo e testes, individualmente. Os relatórios para ambas as fases devem ser entregues.

• A pontuação é uma média ponderada do trabalho prático (Fase I = 20%; Fase II = 30%) e pontuação do teste (Teste 1 = 25%, Teste 2 = 25%).
• Trabalho prático: Um trabalho prático obrigatório entregue em duas fases, consistindo de 20% (da final) na Fase 1 e 30% (da final) na 2ª Fase. Por frequência, a média ponderada das duas fases deve ser maior ou igual a 9,5.
• Teste: 2 testes valendo 25% cada da nota final. O aluno deve ter uma média das provas com nota mínima de 9,5 valores. Caso contrário, ele / ela tem que fazer um exame de recurso, mas apenas se obtiver a frequência dada pelo trabalho prático.
• A nota final é uma média ponderada das notas do teste (25% cada), do 1ª fase do trabalho prático (20%) e 2ª fase do trabalho prático (30%).
• Os testes são sem consulta. Os testes serão presenciais. Se não é possível, eles ficarão online.

O acesso à época de exame de recurso é concedido apenas aos alunos que tenham frequência válida, mas não aprovados em avaliação contínua, ou aos alunos que pretendam melhorar de nota.

• Durante a época de exame de recurso, a nota do exame substitui a nota das provas, para os alunos com frequência obtida no semestre em que estão a realizar o exame, mantendo-se a regra da nota mínima de 9,5 valores para o exame (substituindo a nota mínima de 9,5 valores na média dos testes), para cumprir parcialmente os critérios de aprovação.
• Assim, se a nota do exame de repetição for inferior a 9,5 valores o aluno não é aprovado, caso contrário a nota final é igual a (nota do exame + trabalho prático)/2. Os alunos sem qualquer avaliação durante o semestre serão classificados como "Ausente".
• Para os alunos com frequência válida obtida no semestre anterior, a nota final é a média das provas, ou a nota do exame de recurso, onde os alunos tentam obter aprovação quer na época de avaliação contínua quer na época de exame de recurso, respetivamente.

Note-se que as “melhorias” ocorrem exclusivamente na “época de recurso”.
• A melhoria ("melhoria") de todas as componentes só pode ser feita frequentando a UC no ano letivo imediatamente posterior àquele em que foi obtida a aprovação, submetendo o aluno, nesse ano, a todas as componentes de avaliação ao longo do período de aulas, necessitando de autorização do professor para sua realização

Conteúdo

Introdução ao desenvolvimento baseado em modelo

Fundamentos do BPM

  • Notação de BPM
  • Estilos de modelação de BMP
  • Ferramenta BPM

Processo de Engenharia de Sistemas

  • Captura de Requisitos, a visão e o domínio do sistema
  • Capturando requisitos funcionais e suplementares
    • Análise de requisitos funcionais e não funcionais

Diagramas de estrutura SYSML

  • Diagrama de Requisitos
  • Diagrama de Definição de Blocos
  • Diagrama de Blocos Internos
  • Diagrama de Pacotes
  • Diagrama paramétrico

Diagramas de comportamento SYSML

  • (Diagrama de Caso de Uso
  • Diagrama de Atividade
  • Diagrama de Máquina de Estado
  • Diagrama de Sequência

Análise

  • Descrever uma solução de sistema conceitual - uso efetivo de diagramas de bloco,  diagramas de sequência e statecharts
  • Demonstrar como os requisitos são realizados com base na estrutura proposta

Design para criar hierarquia de sistema e / ou blocos de sistema independentes e reutilizáveis

  • Modelando a estrutura física
  • Preparando os requisitos para o próximo nível
  • Rastreabilidade de modelagem

Modelagem para reutilização em grande

  • Commonalities
  • Variabilidade e gerenciamento de variabilidade

Cursos

Cursos onde a unidade curricular é leccionada: