Tecnologias da Construção

Objetivos

Adquirem-se as competências fundamentais da ciência da construção ao nível da “fase dos toscos” para se obter uma visão global do processo construtivo. Os aspectos relacionados com a fase dos complementos e acabamentos serão tratados na UC de Tecnologias de Revestimentos / Revestimentos e Acabamentos.

As matérias são tratadas numa perspectiva de desempenho, baseada no conhecimento e na documentação mais relevante disponível.

O grande objectivo é capacitar os estudantes de conhecimentos de base sobre os aspectos relacionados com a construção de edifícios correntes, mas de forma que possam, facilmente, utilizá-los em toda a sua vida profissional futura mesmo noutros tipos de construções.

Serão abordados os aspectos gerais da construção de edifícios, desde as fundações directas e as profundas, as contenções periféricas, as drenagens de escavações e para a construção de caves, as cofragens e as estruturas betonadas “in situ”, as estruturas pré-fabricadas de edifícios (nomeadamente pavimentos sobreelevados), as estruturas de cobertura, as paredes, a desconstrução e gestão de resíduos.

Caracterização geral

Código

10445

Créditos

6.0

Professor responsável

Maria Paulina Santos Forte Faria Rodrigues

Horas

Semanais - 4

Totais - 66

Idioma de ensino

Português

Pré-requisitos

São requisitos as competências adquiridas nas unidades curriculares (UC) de Materiais de Construção I e II, e também de Física da Construção / Higrotérmica e Acústica (leccionada em simultâneo), pelo que a frequência dessas UC constituem requisitos para a inscrição na UC de Tecnologias da Construção

Bibliografia

Artigos de revistas científicas (b-on)

LNEC, Documentos de homologação/aplicação de materiais e elementos construtivos

HENRIQUES, F., Humidade em paredes. LNEC, 1990

COELHO, S., Tecnologias das fundações. EPGE, 1996

LNEC, Pavimentos aligeirados de vigotas prefabricadas de betão pré-esforçado. Condições a satisfazer no projecto e na execução. LNEC, 1998

HENRIQUES, F., Paredes duplas. Concepção e critérios de estanquidade. Congresso da Construção, IST, 2001

APICER, Manual de alvenaria de tijolo. Coimbra, 2000

Actas Seminários Paredes de Alvenaria (www.civil.unminho.pt/masonry)

AAVV, Paredes de edifícios. LNEC, 1983. Curso CPP 510

APICER, Manual de aplicação de telhas cerâmicas. Coimbra, 1998

AAVV, Coberturas de edifícios. LNEC, 1988. Curso CPP 516

PINA DOS SANTOS, J.; MATIAS, L., Coeficientes de transmissão térmica de elementos da envolvente dos edifícios. LNEC, 2006. ITE 50

AZEVEDO, S., Guia da demolição. LNEC, 1994

AAVV, Cofragens. LNEC, 1972. Curso CPP 501

Método de ensino

As aulas são teórico-práticas e incluem seminários. As metodologias de ensino implicam: prospeção, escolha e visita a obra; realização de um pequeno relatório técnico; a sua apresentação oral e discussão. Implicam também a tomada de decisões por parte dos estudantes, futuros engenheiros, sobre diferentes opções possíveis na construção de edifícios. Incluem pormenorização esquemática.

Método de avaliação

Frequência: a presença nas aulas será controlada (é obrigatória a presença em pelo menos 50% das aulas)

Época normal: a avaliação é feita com 2 testes presenciais escritos, avaliação sumativa e pequenos trabalhos 

Época de recurso: exame presencial escrito (toda a matéria lecionada) + avaliação sumativa e pequenos trabalhos 

A avaliação sumativa, realizada nas aulas, decorre ao longo de todo o semestre (no caso de trabalhadores-estudantes a avaliação sumativa pode ser eliminada, revertendo a nota para as partes escritas)

A avaliação da evolução dos trabalhos é feita no decurso das aulas; a ausência deste controlo reflete-se na classificação dos trabalhos ou na sua admissibilidade

Na determinação da nota final os testes ou exame vale 70%, a avaliação sumativa e trabalho valem 30%.

Para aprovação é necessário obter uma classificação não inferior a 9.0/20 na média dos testes ou no exame.

Os alunos que não cumpram a nota mínima na média dos testes ou no exame, mas ainda assim obtenham uma média no conjunto da avaliação não inferior a 9,5 têm aprovação com a classificação de 10 valores (independentemente do valor dessa média).

Avaliação final superior a 16 valores, terá de ter confirmação através de pequena oral. Neste caso, a classificação do aluno será a classificação da prova oral. Caso optem por não realizar a prova oral, ser-lhes-á atribuída a classificação de 16 valores.

Na realização de qualquer prova, os Estudantes têm de ter em consideração o disposto no nº3 do artigo 10º do Regulamento de Avaliação da FCT NOVA: “Quando for comprovada a existência de fraude ou plágio, em qualquer dos elementos de avaliação de uma UC, os estudantes diretamente envolvidos são liminarmente reprovados na UC, (…)”. 

Data dos testes a definir na reunião com a C.Pedagógica

Data limite de Entrega e da Apresentação oral/Discussão de pequenos trabalhos – a definir com os alunos

Conteúdo

EDIFÍCIOS
Elementos constituintes
Peças constituintes do projeto
Terminologia genérica e mais específica

REQUISITOS DE DESEMPENHO DE ELEMENTOS DE EDIFÍCIOS
Requisitos de segurança
Requisitos de conforto/habitabilidade
Requisitos de durabilidade e economia

COFRAGENS E ELEMENTOS BETONADOS IN SITU
Elementos betonados in situ: pilares, vigas, lajes de diferentes tipos, incluíndo escadas

Evolução ao nível das cofragens
Cofragens perdidas e reutilizáveis
Cofragens colaborantes e não colaborantes
Cofragens de madeira e metálicas
Montagem e tratamento das superfícies; Betonagem; Desmontagem e limpeza de cofragens
Componentes dos sistemas

IMPLANTAÇÃO E FUNDAÇÕES
Disposições construtivas relativas à implantação
Disposições construtivas relativas à realização de fundações
Fundações diretas ou superficiais
Sapatas isoladas e contínuas
Ensoleiramento geral
Fundações profundas

PAREDES ENTERRADAS
Paredes de contenção
Edifícios isolados com pouca altura de contenção
Edifícios urbanos com vários níveis em cave
Disposições construtivas relativas à execução de:
Muros tipo Berlim definitivos e provisórios
Paredes moldadas
Necessidades específicas de drenagem e de impermeabilização (a complementar em Tecnologia de Revestimentos / Revestimentos e Acabamentos)

PAVIMENTOS
Pavimentos "em contacto" com o terreno
Pavimentos elevados
Lajes executadas em obra
Lajes prefabricadas – com base em:
Pré-lajes
Pranchas vazadas
Vigotas de betão pré-esforçado
Condições de aplicação e disposições construtivas
Pormenorização em zona corrente e pontos singulares

ESTRUTURAS DE COBERTURA
Coberturas inclinadas
Tipos de estrutura, materiais e elementos construtivos constituintes
Coberturas planas
Classificação das coberturas em terraço
Constituição e materiais utilizados

PAREDES
Materiais utilizados em paredes antigas e contemporâneas
Soluções construtivas
Soluções de painéis de parede prefabricados – leves e pesados
Paredes duplas 
Princípios de funcionamento
Elementos constituintes
Pormenorização exaustiva
Paredes de pano duplo
Paredes de terra e paredes de alvenaria de pedra argamassada
Especificação do conjunto parede/revestimento (tipo de parede
função do tipo de revestimento – exemplo com o caso dos
revestimentos independentes do suporte)

DEMOLIÇÕES e DESCONSTRUÇÃO
Desconstrução
Tipos de demolições
Disposições prévias relativas à execução de demolições
Condições de segurança inerentes às demolições
Sequência nos trabalhos
Resíduos de construção e demolição